Como as atividades físicas previnem a ansiedade e doenças crônicas
Menu & Busca
Como as atividades físicas previnem a ansiedade e doenças crônicas

Como as atividades físicas previnem a ansiedade e doenças crônicas

Home > Lifestyle > Saúde > Como as atividades físicas previnem a ansiedade e doenças crônicas

O período de quarentena por conta do Covid-19 já se alonga por mais de um mês e o custo disso é alto para a saúde das pessoas, pois, agora, tudo que necessitamos realizar é feito dentro de casa – seja os estudos ou o trabalho – assim, a movimentação acaba sendo muito menor do que a de um dia normal.

Mesmo para quem não tinha como hábito a pratica de exercícios físicos no dia a dia, pois até a caminhada para ir para a escola, faculdade ou trabalho não está mais ocorrendo e o resultado não é somente uma piora na saúde física como também psicológica, causando o aumento do hormônios que causam ansiedade.

como emagrecer em casa
A prática de exercícios físicos pode evitar a ansiedade. | Foto: Pixabay.

Ao consultar três professores de educação física referências na profissão – Guilherme Boccalini, Leandro Boccalini e Leonardo Carnezi – sobre como a falta de exercícios físicos por um longo período pode ser prejudicial à saúde e todos os beneficios que ele poderia nos trazer, ainda que realizado em casa com equipamentos básicos, pois as atividades combatem o estresse e a ansiedade, além de diminuir o desejo de a todo momento querer comer alimentos não saudáveis.

Essa vontade por alimentos com açúcar ou gordurosos se dá principalmente por conta do aumento do estresse, que resulta em uma maior produção da quantidade do cortisol e da grelina, conhecido como o “hormônio da fome”. Assim, o cérebro cria uma “recompensa” com alimentos prazerosos e, após isso, vem o sentimento da culpa, causando ansiedade, arrependimento e até depressão, entrando em um ciclo negativo que pode vir a causar doenças crônicas como diabetes, hipertensão, obesidade e dislipidemia.

Para evitar que esses problemas apareçam ou se agravem, é fundamental a prática de exercícios dentro de casa, mesmo que não resulte em um corpo “bonito”, pois ajuda na prevenção dessas doenças e melhora o funcionamento do cérebro.

Dessa forma, foi perguntado para os três professores a forma mais adequada de se treinar, como manter a forma mesmo longe da academia, como evitar lesões e a forma de combate à ansiedade nesse tempo de distanciamento social.

Alguns treinos passados na internet por profissionais podem ser bastante bons e trabalhar bem o corpo, porém, o mais recomendado é que cada um tenha um treino para si, pois o treinamento é algo individual e que varia de pessoa para pessoa.

Assim, um professor que monte um treino só para você pode provir em melhores resultados, além de que o acompanhamento durante a execução desse treino é importante para evitar que um movimento seja realizado de forma errada e gere uma lesão. 

Manter a forma mesmo distante da academia e com poucos aparelhos em casa é possível, entretanto, depende da motivação da pessoa. É necessário que o aluno mantenha uma rotina de treinos e se sinta confortável em realizá-los, além de manter uma dieta saudável e controlada, pois, dessa maneira, o aluno dificilmente perderá aquilo que foi construído antes do isolamento social.

melhores exercícios para emagrecer
A prancha é um ótimo exercício físico para realizar em casa. | Foto: Pixabay.

Evitar lesões é o procedimento mais simples de todos os itens, porque basta ao aluno seguir as orientações do professor, que o risco de lesões se torna quase nulo. Por isso, reforço o primeiro tópico, pois respeitar a mecânica dos exercícios, e não sair fazendo treinos da internet só porque parecem ser bons, ajuda a prevenir lesões que se tornam mais uma complicação para a pessoa na quarentena.

A ansiedade pode ser afastada seguindo uma rotina de treinos físicos e aeróbicos, então, separe um tempo do seu dia, de preferência sempre no mesmo horário, para dedicar somente a essas práticas. Caso se sinta mais à vontade, coloque uma música de motivação, como sugere o professor Leonardo Carnezi, já que as atividades produzem a serotonina, dopamina e ocitocina, hormônios que geram bem-estar para o indivíduo.

Mantendo esses hábitos constantemente dentro de casa, a perda de musculatura e o ganho de gordura serão menores, fazendo com que, quando a quarentena terminar, o retorno não seja tão complicado e brusco. Basta que o profissional, que prescreve os exercícios, seja criativo e consiga transformar objetos de casa em auxiliares para os exercícios, não tendo a mesma sobrecarga que um aparelho de academia, porém, servindo de auxílio para a execução do exercício.

________________________________
Por André Udlis – Fala! Cásper

Tags mais acessadas