Exercícios Abdominais: muito mais do que estética, qualidade de vida
Menu & Busca
Exercícios Abdominais: muito mais do que estética, qualidade de vida

Exercícios Abdominais: muito mais do que estética, qualidade de vida

Home > Lifestyle > Saúde > Exercícios Abdominais: muito mais do que estética, qualidade de vida

Já foi comprovado cientificamente que o processo de emagrecimento ocorre como um todo no corpo, ou seja, fazer exercícios isolados, como abdominais, não vai fazer você perder gordura na barriga. Entretanto, os benefícios deste tipo de exercício vão muito além deste objetivo estético.

Benefícios em fazer abdominal regularmente
Benefícios em fazer abdominal regularmente

Benefícios em fazer abdominal regularmente

Melhora da performance em outros esportes

O core é o centro de força do corpo e todo movimento parte do centro para as extremidades. A transferência de força quando o abdômen está fortalecido é muito mais rápida, o que contribui para o desempenho do atleta em sua modalidade.

Melhor desenvolvimento das tarefas do dia a dia

A força vem do centro do corpo para as extremidades. Ou seja, com um abdômen fortalecido, você conseguirá desenvolver muito bem tarefas como carregar sacolas de compras, agachar para pegar algum utensílio que caiu ou está guardado em locais mais baixos, empurrar sofás, camas e outros móveis, entre outras.

Prevenção de lesões

O trabalho do core auxilia no equilíbrio como um todo, pois desenvolve a musculatura do centro do corpo, responsável para a estabilização da coluna. A compressão dos discos vertebrais, situação que acomete muitas pessoas, é aliviada após os exercícios, fazendo com que a dor melhore rapidamente.

Aumento de força no core

Muito prescrito por profissionais da saúde, o trabalho de força no core é necessário, principalmente, em casos de reabilitação ortopédica (desvio na coluna, protusões – quando algum órgão está desalinhado para frente – e hérnias.

Melhora da postura

O treinamento do core contribui para a melhora da postura pois auxilia no alinhamento entre os seguimentos corporais, cintura escapular e cintura pélvica.

Referências: Pedro Bruno Neto (@pedrobrunoneto) – CREF 123214-G/SP

Tags mais acessadas