Confira 5 filmes de época brasileiros para curtir o fim de semana
Menu & Busca
Confira 5 filmes de época brasileiros para curtir o fim de semana

Confira 5 filmes de época brasileiros para curtir o fim de semana

Home > Entretenimento > Cinema e Séries > Confira 5 filmes de época brasileiros para curtir o fim de semana

Venha conhecer a história do Brasil com 5 filmes que marcaram uma época

Nem só de livros vive a história do Brasil. Nestes quinhentos anos, muitas coisas extraordinárias aconteceram. Com o tempo livre que agora temos em casa, temos o privilégio de poder nos encantar com as grandes obras da sétima arte, que são um importante registro didático sobre determinadas épocas que nosso país enfrentou.

O cinema conta história. Que tal conhecer um pouco mais desses filmes que marcaram, e representaram com fidelidade, uma época? Detalhe, todos eles estão disponíveis no YouTube.

filmes de época
Confira 5 filmes de época brasileiros para curtir o fim de semana. | Foto: Montagem/Reprodução.

5 filmes de época brasileiros

1. Como Era Gostoso o Meu Francês (1971)

Dirigido por Nelson Pereira dos Santos, o filme conta a história de um prisioneiro francês que é capturado pela tribo dos Tupinambás. Para participar de um ritual antropofágico, no qual a tribo inteira comeria a sua carne para, assim, adquirir suas habilidades com armas de fogo, já que os indígenas o consideraram como um português. Agora ele tem oito luas de vida antes de ser devorado.

O filme é um retrato bastante fiel ao Brasil durante seu “descobrimento”. Apesar de ser baseado em alguns dos relatos do Alemão Hans Stade, o foco principal não está no colonizador, e sim no colonizado, buscando o olhar dos índios com relação à sua cultura e riqueza. É de um tom irônico e provocador que vale a pena ser assistido pelo menos uma vez na vida.

2. Xica da Silva (1976)

Retratado de maneira alegórica, o cineasta Cacá Diegues conta a história de Xica da Silva (interpretada pela esplendorosa Zezé Motta), escrava e amante do contratador de diamantes João Fernandes. Ostenta uma vida luxuosa e extravagante, ganhando tamanha fama e fortuna que sua repercussão chega até os ouvidos da corte do rei.

Baseado no livro Memórias do Distrito de Diamantina, é uma grande representação da época dos diamantes, ocorrida em Minas Gerais durante o século XVIII. Ficou na história do cinema nacional ao trazer para as telonas a vida da “Cinderela negra”.

Destaque também para a música tema do filme, composta e interpretada pelo saudoso Jorge Ben Jor. A pedido do próprio Cacá Diegues.

3. Mauá – O Imperador e o Rei (1999)

Após perder seu pai, o gaúcho Irineu Evangelista de Sousa (Paulo Betti), posteriormente conhecido como o Barão de Mauá, é mandado para o Rio de Janeiro pelo seu padrasto ainda criança. Lá ele descobre sua aptidão para negócios, chamando a atenção de alguns empresários. Quando cresce, alcança tamanha fortuna que consegue se tornar mais rico do que o próprio país. E decide encarar a difícil missão de industrializar o Brasil, contrariando os interesses do imperador Dom Pedro II e seus governantes.

É inegável o tamanho da marca que Barão de Mauá deixou no nosso país. O filme, dirigido por Sérgio Rezende, consegue transmitir a imagem do visionário que foi essa figura. Até a sua queda. É um bom filme, que retrata a época do Brasil Império.

4. Dona Flor e Seus Dois Maridos (1976)

Baseado no clássico romance de Jorge Amado, o filme, dirigido por Bruno Barreto, conta a história de Dona Flor (Sônia Braga), uma professora de culinária casada com “Vadinho” (José Wilker), um mulherengo viciado em jogo, que devido à vida desregrada, acaba falecendo. Dona Flor acaba se casando de novo com um cavalheiro encantador, mas acaba por receber a visita de seu antigo marido em forma de espírito.

Foi um grande sucesso de bilheteria e uma das mais significativas obras do cinema nacional. Não é à toa que está em 39º lugar no ranking dos 100 melhores filmes brasileiros, segundo a Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine). Assim como o livro, nos apresenta uma situação absurda, mas consegue lidar de uma forma bem humorada e inteligente. E é uma obra indispensável para quem quiser conhecer mais sobre o cinema nacional.

5. O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias (2006)

Nesta obra semi-autobiográfica, o diretor de Castelo Rá-Tim-Bum, Cao Hamburguer conta a história de Mauro (Michel Joelsas), um garoto de doze anos que é deixado aos cuidados do seu avô, enquanto seus pais militantes de esquerda precisam fugir da perseguição da ditadura militar.

O que chama atenção nesse filme é a forma que é contada a história. Filmes que representam o período da ditadura militar no Brasil, no geral, tendem a mostrar explicitamente a violência e a repressão. O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias vai por um caminho diferente, ao nos mostrar esse mundo pelos olhos de uma criança. O cotidiano é belo e faz parte da história. O filme ganha mais notoriedade por traduzir esse sentimento coletivo.

___________________________
Por Matheus Cosmo – Fala! Fiam Faam

Tags mais acessadas