Atividades extracurriculares e importância para a formação
Menu & Busca
Atividades extracurriculares e importância para a formação

Atividades extracurriculares e importância para a formação

Home > Universidades > Atividades extracurriculares e importância para a formação

Nos últimos anos, acentuou-se o debate entre a relação de trabalho e a questão das experiências exigidas pelo mercado. Em um país com mais de 14 milhões de desempregados, fica cada vez mais complicado conseguir aquela vaga dos sonhos. Por isso, é preciso manter a qualificação pessoal e profissional atualizada se quiser ter uma chance de disputar uma vaga no mercado de trabalho. Para isso, o papel das atividades extracurriculares é fundamental na formação do profissional.

atividades extracurriculares
Entenda a importância das atividades extracurriculares. | Foto: Reprodução.

Formação acadêmica

Nunca antes na história do Brasil o acesso às vagas universitárias foi tão facilitado como na atualidade. Existem vários programas com bolsas e a cada ano surgem novos centros de formação universitária que abarcam vários estudantes em busca de uma formação universitária para ingressar no mercado de trabalho.

O fato é que nenhum estudante universitário que deixa a universidade está totalmente preparado para os desafios que se apresentam no mundo corporativo. Aliás, quem algum dia estará 100% pronto? ​Por isso, no processo de formação acadêmica é preciso aliar a teoria com a prática. E existem muitas formas de se fazer isso. Nunca despreze o valor da formação acadêmica. Cedo ou tarde, ela abrirá portas para você.

Uma das formas mais comuns e conhecidas é o estágio, que pode ser obrigatório ou não. O estágio obrigatório é aquele que consta na grade curricular do curso, já o estágio não obrigatório é aquele em que o estudante pode optar por fazer ou por não fazer. A questão do estágio, independente da modalidade, é que ele representa um importante elo entre o tripé: estudante, centro universitário e empresa. Em algumas empresas, você nem consegue entrar para qualquer área sem antes ter participado do programa de estágio.

Outras formas que o estudante possui para alinhar a teoria com a prática são as incubadoras universitárias, os programas de extensão, os projetos acadêmicos e de pesquisa, intercâmbio com aulas em universidades estrangeiras entre outras possibilidades. Todo esse conjunto faz parte das chamadas atividades extracurriculares, importantíssimas no desenvolvimento dos futuros profissionais.

A importância das atividades extracurriculares

É bastante comum na cultura de países europeus, bem como nos EUA, a adoção de atividades extracurriculares para a obtenção de créditos extras e/ou obrigatórios para o ingresso em universidades conceituadas, bem como para a entrada em programas de emprego em empresas multinacionais. No Brasil, tais programas existem, mas poderiam ser melhor explorados.

O que é uma atividade extracurricular?

É aquela atividade que “foge” do currículo proposto pela escola ou universidade. São atividades capazes de agregar alto valor na formação do cidadão ajudando-o a enxergar o mundo através de uma visão diferenciada daquela a que ele normalmente tem e que é formada, via de regra, pela visão de mundo das outras pessoas. 

Uma atividade extracurricular é um diferencial competitivo no mercado e cada vez tem sido explorado pelos jovens em busca de opções para ingressar no mercado de trabalho. No LinkedIn, por exemplo, os Top Voices sempre recomendam aos seus seguidores que busquem por atividades extras como forma de comprovar experiência profissional, bem como um meio para adquirir novas experiências e desenvolver networking.

No processo de formação profissional do estudante, nem sempre é possível abranger todos os assuntos e, inúmeras vezes, a associação teoria versus prática acaba sendo limitada pela visão de mundo dos professores e daqueles que coordenam os centros. Por isso, a adoção de tais atividades é fundamental para a formação mais completa dos alunos, que serão os futuros profissionais em suas respectivas áreas de atuação.

Em cursos da área de humanas, por exemplo, que exige muito compromisso com leitura, estudos acadêmicos, a participação em estágios e projetos de pesquisa é fundamental para abrir os horizontes e as perspectivas dos jovens para os diversos nichos em que se pode atuar. Um trabalho voluntário, por exemplo, pode ampliar o know hall sobre o funcionamento de ONGs e entidades que atuam na promoção e desenvolvimento de culturas sustentáveis. Além de proporcionar experiências, tais atividades ajudam na formação de algo chamado networking, tão falado e pouco entendido.

Atividades extracurriculares podem, ainda, ser o elo entre os diversos agentes da sociedade. Digamos que um aluno faça um estágio em um centro de pesquisa. Este aluno pode conversar com o diretor do centro de pesquisa e com o diretor do curso e promover um intercâmbio entre as partes ajudando na formação de uma grade curricular que atenda aos interesses do centro de pesquisa. É uma relação de ganho mútuo, tão fundamental nos dias de hoje.

Como participar de atividades extracurriculares?

1. Tenha um foco

Para tudo na vida é preciso ter foco. Foco é traçar um objetivo e não permitir que situações adversas impeçam você de seguir naquele sentido. Uma pessoa focada é uma pessoa concentrada, determinada e obstinada. Quanto mais focado, melhores serão os seus resultados no que tange a encontrar um bom programa que te ajude a alcançar seus objetivos.

2. Faça pesquisas

Pesquise sobre os programas existentes e veja qual deles se encaixa para você. Com a internet e as redes sociais, você consegue pesquisar tudo em pouquíssimo tempo. Use as palavras-chave corretas e você encontrará aquilo que precisa. E lembre-se: pesquisar é ler, estudar, informar, analisar, refletir e discutir. 

3. Informe-se com sua instituição de ensino

Procure a coordenação acadêmica de seu curso e busque informação sobre os programas disponíveis. Entre em contato com seus professores e veja o que eles têm a oferecer. Muitos professores ganham mais em seus salários quando conseguem inserir mais alunos em programas. Uma boa conversa não custa nada e pode render. 

4. Converse com quem já participou ou participa para entender mais sobre os diversos tipos existentes

Faça um checklist de perguntas para perguntar às pessoas que já participaram ou que participam dos programas extracurriculares. Pergunte sobre os benefícios, as dificuldades, o que aprenderam, onde fizeram e como fizeram para conseguir. 

Se você não conhece, pergunte a seus amigos. Em um universo de conhecidos, você conseguirá encontrar pelo menos uma pessoa que já participou ou que conhece alguém que já tenha participado.

5. Comece desde já

Por fim, comece desde já a seguir os passos das sugestões anteriores. Se você ainda estuda, as portas estarão abertas com mais facilidades para você. Mas, se você já não estuda faz um tempo, não tem problema. Ao fazer a sua pesquisa, você encontrará oportunidades. Seja focado, pesquise, converse e aja! 

O seu futuro será determinado pela qualidade de suas escolhas e pela sua capacidade de agir mediante às situações que se apresentam em seu cotidiano. Para isso, uma boa formação profissional é importante e pode ser conquistada com as atividades extracurriculares. 

_____________________
Por Paulo Machado – Fala! Universidade Federal do Amazonas

Tags mais acessadas