Menu & Busca
10 melhores episódios de Black Mirror

10 melhores episódios de Black Mirror


Entre tantos lançamentos nos serviços de streaming, temos que concordar que não há outra série como Black Mirror. A criação de Charlie Brooker ganhou vida na televisão britânica em 2011, mas foi em 2016, quando entrou na Netflix, que ela se tornou um fenômeno e ganhou todo tipo de público.

YOUTUBE PREPARA PARÓDIA DA SÉRIE BLACK MIRROR

Misturando fiicção científica e tecnologia, cheia de provocações, romances, suspense e até terror, a série é composta por episódios independentes de 40 a 90 minutos de duração cada, que podem ser assistidos como o espectador preferir.

Se você nunca assistiu, fizemos uma lista dos 10 melhores episódios (do pior para o melhor) por onde você pode começar. E se você já assistiu, vale a pena revê-los:

10º  Urso Branco (White Bear)

Urso Branco
Urso Branco (White Bear)

Uma mulher acorda em uma casa estranha e não se lembra quem é. Não sabe onde está nem por que tanta gente está gravando com os celulares. Não sabe por que essas pessoas disfarçadas a perseguem. Todos se recusam a falar com ela ou ajudá-la. O que sabe é que terá de ir a White Bear, um lugar supostamente seguro.

No fim, como costuma acontecer nos episódios de Black Mirror, as coisas não são o que parecem, e uma virada obriga a repensar toda a história. Um episódio inquietante e perturbador da segunda temporada da série. Mas o final faz valer a pena.

9º  Hino Nacional (The National Anthem)

Hino Nacional
Hino Nacional (The National Anthem)

O bizarro episódio inicial de Black Mirror é diferente de todos os que vieram depois. O primeiro-ministro do Reino Unido precisa tomar uma rápida decisão: para que os sequestradores libertem a princesa Susannah, terá de manter relações sexuais com um porco enquanto todo o país vê o ato pela televisão.

Um episódio impactante e difícil de assistir, mas que mostra a obsessão da sociedade pelas celebridades, o poder da voz do povo e a facilidade de manipulação das massas.  

8º Arkangel

Arkangel
Arkangel

Esse episódio conta a história de uma mãe que, preocupada com a segurança da filha, recorre a um dispositivo de última geração para monitorar sua localização, protegê-la de visões que possam ser perturbadoras e até mesmo ver o que ela vê.

Arkangel contém uma das cenas mais violentas da série – alguns não conseguiram assistir, mas é um episódio que levanta um debate muito interessante.

7º USS Callister

USS Callister
USS Callister

Para muitos, um dos melhores capítulos da quarta temporada da série, USS Callister é uma história de ficção científica com um toque vintage, que serve de homenagem e/ou paródia de Star Trek. 

Um homem cansado de ser ignorado no trabalho se torna o todo-poderoso num jogo em que é o capitão de uma nave. E os tripulantes que têm de obedecer às suas ordens são justamente os seus colegas de trabalho.

Esse episódio cumpre com eficiência a missão de mostrar as más consequências de tecnologias poderosas caindo em mãos erradas. Além disso, aborda temas importantes como assédio moral, machismo e depressão.

San Junipero

San Junipero
San Junipero

San Junipero é ambientado nos anos 80 e conta uma história de amor pura com toques de ficção científica, incluindo nostalgia e envelhecimento ao longo do episódio.

O episódio explora o que aconteceria se nossa consciência fosse armazenada na nuvem por um tempo infinito e pudéssemos escolher como seria a vida após a morte. Parece loucura demais para um dia se tornar realidade, mas é um dos melhores episódios da terceira temporada.

O curioso é que San Junipero é um dos poucos episódios de Black Mirror que traz um final feliz.

5º Natal (White Christmas)

Natal (White Christmas)
Natal (White Christmas)

Esse episódio da segunda temporada combina duas tecnologias imaginárias para contar uma das histórias mais “cinzas” de Black Mirror.

White Christmas é um episódio especial de fim de ano que reúne três histórias em uma. Matt (Jon Hamm) e Joe (Rafe Spall) estão confinados em uma cabana remota cercada de neve no dia do Natal e decidem trocar confidências para matar o tédio.

Começa com a trama de um homem que recorre à ajuda de um conselheiro amoroso à distância para tentar ter mais sucesso em suas conquistas. Continua mostrando um mundo no qual as pessoas podem ter um clone que faz as tarefas solicitadas. E termina entrando na premissa de que a opção de bloquear os outros, como nas redes sociais, possa ser transferida para as relações físicas.

4º Hang the DJ 

Hang the DJ
Hang the DJ

Um aplicativo que mostra o quanto você é compatível com outra pessoa e já prevê a data de validade da relação.

Hang the DJ mostra como seria uma sociedade em que essa tecnologia existe na forma de um software que junta casais por períodos de tempo definidos até que o par ideal seja encontrado.

O episódio apresenta algumas reflexões interessantes sobre os relacionamentos na era da Internet, e também têm um dos finais mais tristes da série.

3º Volto Já (Be Right Back)

Volto Já (Be Right Back)
Volto Já (Be Right Back)

Be Right Back é um episódio lindo e esquisito que tem de tudo: uma mensagem sobre a tecnologia, uma história de ficção científica pura e também muita alma e sentimento ao abordar a irreparável tristeza de perder um ente querido.

Ao assisti-lo é possível ver tanto o lado otimista quanto o pessimista desse futuro próximo. Depois que Ash morre tragicamente em um acidente de carro, Martha fica sabendo de uma nova tecnologia capaz de simular o comportamento de uma pessoa falecida baseada em suas atividades online.

Be Right Back mostra o que se passa na cabeça da namorada e o questionamento se aquilo ali vale a pena. Por mais que o tema seja estranho e ainda pareça distante da nossa realidade, é bem válido. E o desfecho é sensacional.

3º Black Museum

Black Museum
Black Museum

Como o episódio de Natal, Black Museum reúne uma série de histórias curtas que desembocam numa conclusão macabra.

Todas são contadas de maneira prazerosa por Rolo Haynes (Douglas Hodge), um ex-cientista que se torna proprietário do museu que dá nome ao episódio. Acompanhamos então a jovem Nish (Letitia Wright) como ouvinte dos notáveis feitos de Haynes em sua antiga profissão, sempre seguidos da temível conjunção adversativa “mas” – já que os desfechos de cada relato são desastrosos, para não dizer outra coisa.

Repleto de referências à mitologia da série e com uma reviravolta repentina envolvendo vingança, é um dos episódios mais Black Mirror de Black Mirror. 

2º Queda Livre (Nosedive)

Queda Livre
Queda Livre (Nosedive)

Nosedive é, na aparência, um episódio muito futurista, com muita tecnologia envolvida, mas sua mensagem não poderia ser mais atual. O episódio causa terror principalmente porque nos reconhecemos muito nele.

Nosedive fez Black Mirror cair de vez nas graças do povo. Esse episódio nos apresenta a história de uma mulher que tenta a todo custo elevar sua avaliação em um aplicativo. Certas pessoas têm mais privilégios por serem melhor avaliadas, o que gera uma pressão social em que é preciso estar sempre de acordo com certos padrões estéticos e de comportamento – ou seja, algo não muito diferente do que já vivemos atualmente.

Para quem se preocupa com a quantidade de “likes” de uma foto no Instagram, o episódio pode ter o impacto de um soco no estômago.

INSTAGRAM SEM CURTIDAS: APLICATIVO OCULTA NÚMERO DE CURTIDAS PARA USUÁRIOS

1º Toda a Sua História (The Entire History of You)

Toda a Sua História
Toda a Sua História (The Entire History of You)

O capítulo final da primeira temporada nos apresenta a tecnologia da “memória granular”, que permite instalar microchips nos cérebros que gravam tudo o que fazemos, vemos e ouvimos. Assim, é possível reviver memórias com clareza, sempre que quiser.

Até parece uma boa ideia para quem gostaria de reviver momentos da infância ou lembrar a sensação que teve ao experimentar alguma emoção pela primeira vez. O problema é quando inseguranças no relacionamento estimulam a utilização dessa tecnologia para bisbilhotar a privacidade do parceiro.

Com um dos desfechos mais devastadores de toda série, The Entire History of You lida com casamentos desgastados, inseguranças, traições e términos.

BLACK MIRROR – CONFIRA OS TRAILERS DA 5ª TEMPORADA

Bônus

Manda Quem Pode (Shut Up and Dance)

Manda Quem Pode (Shut Up and Dance)

Um jogo macabro e um segredo oculto. Shut Up and Dance é talvez o episódio mais sombrio, e menos de ficção científica, desde National Anthem. Uma sufocante história de terror psicológico, uma horripilante viagem rodoviária que nunca poderia terminar bem. Esse episódio da terceira temporada de Black Mirror conta com uma das surpresas mais chocantes da série.

BLACK MIRROR: BANDERSNATCH – DESBLOQUEAMOS TODOS OS FINAIS

E aí, você concorda com esse TOP 10? Essa lista é claro, está aberta a discussões. Nem todos podem concordar com o fato de nenhum episódio da quinta temporada aparecer aqui, por exemplo. Além disso, BANDERSNATCH, o filme interativo baseado na série Black Mirror dividiu opiniões e preferimos não adicioná-lo nesta lista.



Quer se tornar um colaborar e escrever para o fala?
Saiba como

0 Comentários

Tags mais acessadas