Você Já Ouviu Falar Nos Óculos Com Lentes Psicodélicas ?
Menu & Busca
Você Já Ouviu Falar Nos Óculos Com Lentes Psicodélicas ?

Você Já Ouviu Falar Nos Óculos Com Lentes Psicodélicas ?

Home > Notícias > Entrevistas > Você Já Ouviu Falar Nos Óculos Com Lentes Psicodélicas ?

Hoje vamos falar sobre óculos psicodélicos. Matheus Greche, co-fundador da marca DROP Eyewear, conversou com a gente e falou um pouco sobre este universo que ainda é novidade aqui no Brasil.

 Confira a nossa entrevista:

matheusgreche

Fala!: Matheus, você é o único idealizador da marca ou desenvolveu com a ajuda outras pessoas?

M.G: Não, a marca foi criada e desenvolvida em conjunto com um dos meus melhores amigos e sócio, Pedro Senatro, que atualmente está cursando administração na ESPM. Tudo aconteceu de uma maneira bem orgânica e natural. Eu havia voltado de um mochilão que tinha feito em Julho do ano passado, onde eu tive contato pela primeira vez com o óculos. Estava em Amsterdam, e acabei indo em um festival de Techno na cidade vizinha, porque afinal, eu estava em Amsterdam né (risos). No festival, me mostraram o óculos e eu fiquei maravilhado, uma experiência visual sem igual. Voltando ao Brasil, procurei o óculos para comprar e não encontrei, então comprei pela internet e demorou 4 meses para chegar.

O óculos chegou bem na semana do EDC Brasil e eu acabei convencendo o Pedro (meu sócio) a ir também. No festival, eu via alguém olhando maravilhado pro palco, curtindo o som e mostrava o óculos, para ver a reação da galera. Foi unânime, todos curtiram, me perguntaram de onde eu tirei isso. E foi ai que eu e Pedro tivemos a ideia de começar esse projeto.

Captura de Tela 2016-07-19 às 12.55.52
Foto: divulgação Facebook DROP Eyewear.

Fala!: No Brasil, esse tipo de óculos ainda é novidade? Você pode dizer quantas marcas trabalham com esse produto no país, e de onde esse conceito veio?

M.G: Nossos óculos são novidade ao grande público sim, pelo fato de não haver nenhuma marca que o comercialize em grande escala.

O conceito do óculos surgiu em meados de 2012, em Nova York, pela designer norte-americana Pam Tietze. Ela conta como chegou a esse novo conceito de experiência visual: estava caminhando despretensiosamente por NY, quando entrou em uma loja e começou a brincar com os cristais de lustres, colocar diante dos olhos e ver tudo fragmentado. Foi daí que teve a ideia de fazer um óculos assim.

No começo, ela fez alguns experimentos e chegou a produzir alguns óculos para uso pessoal e para alguns amigos. Porém, rapidamente todos começaram a incentivá-la a fazer mais e mais, e assim foi criada a H0les, a primeira marca de óculos caleidoscópio.

Captura de Tela 2016-07-19 às 12.54.16
Foto: divulgação Facebook DROP Eyewear.

Fala!: Você é, ou já foi universitário? O que você estudou?

M.G: Eu sou formado em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela ESPM, me formei em Junho de 2015.

Fala!: Como empreendedor, o que você tem a passar de mensagens aos universitários que sonham em ter sua própria marca, ou começar o seu próprio negócio?

M.G: Meu conselho seria para você ter calma. Não fique desesperado se ainda não se encontrou, se ainda não sabe o que fazer com a sua vida. Eu saí da faculdade com o diploma na mão e mais nada. Sem muita perspectiva de para que área seguir, sem oportunidades de emprego. Por isso tenha calma, respire fundo, não está fácil para ninguém.

Tenho o maior respeito por quem opta pelo empreendedorismo, por alguém que acredite em si mesmo e na sua ideia. Pode tentar e até falhar, mas o simples fato de ter se exposto, dado a cara a tapa já é algo a ser valorizado, e muito. Vejo como exemplo meu pai, o filho mais novo de quatro irmãos, em uma família pobre. Não deixou nunca as adversidades o abaterem, sempre lutou e trabalhou muito para poder construir tudo que eu e minha família temos hoje. Sempre que me deparo com alguma dificuldade me lembro do meu velho e passo por cima delas. Se algum dia eu for um décimo do que ele é, estarei feliz.

13511053_1710102349243098_5762070865658930298_n
Foto: divulgação Facebook DROP Eyewear.

Fala!: Basta dar uma breve olhada no Facebook da marca para entender o seu conceito, o seu público e o seu mercado. Como você enxerga essa cultura que consome muita música eletrônica e está cada vez mais presente nos festivais? Você sempre fez parte desse universo?

M.G: O Brasil vive um momento muito legal para quem curte música eletrônica. Temos um país de dimensões continentais, cheio do povo mais caloroso e festivo do mundo. Por isso, os melhores e maiores festivais estão vindo cada vez mais para cá, rolando praticamente o ano inteiro. Sem contar com a cena eletrônica de São Paulo, que tem festas de todos os estilos diferentes, todos os dias da semana. Realmente, nós estamos tratando de um nicho de mercado quando se trata dos nossos óculos. Porém, acho que não teria um cenário tão favorável e receptivo quanto o que estamos nos deparando.

Fala!: Os óculos são para qualquer tipo de uso? Tipo, uso casual, balada, trabalho…?

M.G: Nossos óculos são uma experiência visual, feitos para distorcer a realidade, transformar até o ambiente mais banal e simples em uma viagem psicodélica. Então, até por motivos de segurança, a lente não deve ser usada em momentos que você dependa exclusivamente da sua visão, como dirigir, atravessar a rua, cozinhar, etc. Mas fora isso você pode usar a lente como bem entender. Muitas pessoas usam para festas e baladas, tem gente que usa para tirar fotos e vídeos diferentes, outros usam apenas pela estética, então há um grande leque de opções.

13339549_1704294329823900_6730557762137678673_n
Foto: divulgação Facebook DROP Eyewear.

Fala!: Uma dúvida pertinente: como é a visão com essas lentes malucas? Na primeira impressão, parece que a pessoa não vai conseguir enxergar nada!

M.G: kkkkkkk Isso é verdade, muitas pessoas ainda não sabem como elas funcionam. Alguns acham que a lente é desse jeito apenas por fora, e que não altera a visão.

Os óculos caleidoscópio consistem em uma lente de cristal, que altera a visão com uma faceta toda lapidada, como um diamante. Essa lapidação causa uma distorção, fragmentação da visão. Nossos modelos possuem diferentes tipos de lente, cada uma com uma lapidação diferente, um desenho geográfico, causando uma visão única.

13615037_1715259275394072_4311569549451742967_n
Foto: divulgação Facebook DROP Eyewear.

Fala!: Até onde você pretende chegar com a DROP Eyewear?

M.G: Honestamente, não sei dizer. Mas o que posso afirmar é que estou, pela primeira vez, curtindo realmente o que eu faço. Acordo cedo motivado, corro atrás do que vier, perco noites de sono de vez em quando, mas nem me importo. Acho que quando você finalmente encontra algo que te dê prazer em trabalhar, você pode se considerar feliz. Hoje estou trampando com algo que curto e acredito, cercado de pessoas maravilhosas que me dão o maior suporte e ainda melhor, trazendo algo novo para o Brasil. Isso não tem preço.

matheusgreche

Para saber mais, encontre a marca na internet:

Site oficial – dropeyewear.com.br

Instagram – @dropeyewear

Facebook – facebook.com/dropeyewear

Por: Marcelo Gasperin – Fala! Universidades

0 Comentários

Tags mais acessadas