'Space Force': crítica da série em que ir à Lua pode ser engraçado
Menu & Busca
‘Space Force’: crítica da série em que ir à Lua pode ser engraçado

‘Space Force’: crítica da série em que ir à Lua pode ser engraçado

Home > Entretenimento > Cinema e Séries > ‘Space Force’: crítica da série em que ir à Lua pode ser engraçado

Space Force traz elenco de respeito, boas risadas, tema em alta, mas peca no desenvolvimento dos personagens

O desejo de conquistar o espaço sideral acompanha a humanidade há muito tempo, e ultimamente esse sentimento vem aumentando com projetos de habitar a Lua e outros planetas.

Aproveitando esse tema espacial, surge a série de comédia da Netflix, Space Force. Lançada em 29 de maio de 2020, criada por Steve Carell e Greg Daniels, dupla do seriado The Office.

Na série, o recém-condecorado general de quatro estrelas da Força Aérea, Mark Naird (Steve Carell), tem a responsabilidade de comandar a nova força armada dos Estados Unidos, a Força Espacial que tem como principal objetivo levar o homem à Lua até 2024 e criar uma base de colonização para habitação por lá.

De fato, a Força Espacial existe e é o sexto ramo das forças armadas dos EUA, junto com o Exército, Marinha, Força Aérea, Guarda Costeira e os Fuzileiros Navais. Essa divisão alcançou o posto de força independente no dia 20 de dezembro de 2019, após assinatura do presidente Donald Trump. Antes disso, era subordinada à Força Aérea norte-americana.

Space Force
Série Space Force, da Netflix. | Foto: Reprodução.

Space Force – leia a crítica da série

Se a missão da Força Espacial na vida real é garantir o lançamento de foguetes, proteger satélites americanos e fornecer informações para as outras forças, a Space Force de Naird tem que levar o homem mais uma vez à Lua. Fica claro durante a série que o general não tem muito preparo para essa missão e falta até um pouco de conhecimento científico e espacial para ele. Mas essa lacuna de conhecimento é suprida pelo Dr. Adrian Mallory (John Malkovich). 

O Dr. Mallory traz a porção de conhecimento e racionalidade que o general Naird não tem e vai ser a voz da razão em quase todos os episódios. Além de Mallory, o Dr. Chan (Jimmy O. Yang) é responsável por frear as ideias um pouco exageradas do personagem de Steve Carell. Se a dupla de doutores busca sempre argumentos científicos, calculam os riscos e são contra a violência, Mark Naird escolhe ideias nada pensadas ou científicas, como soltar bombas e até enviar um chimpanzé para arrumar um satélite avariado.

Além da série de trapalhadas do general na posição de superior da força, Space Force mostra a vida de pai de família que Naird tem, como o relacionamento complicado com a filha adolescente, Erin Naird (Diana Silvers), que após a mudança para o Colorado sofre com a falta de amigos e a nova realidade morando em outro estado.

Além de Steve Carell a série traz outra estrela de sitcoms, Lisa Kudrow, a Phoebe de Friends, que em Space Force faz a esposa de Naird, Maggie, que está presa. 

Pontos fracos

Nessa primeira temporada de 10 episódios, a série arranca gargalhadas em diversos momentos, seja em debates dos doutores contra o militar, nos tweets nada científicos do assessor de comunicação, Tony Scarapiducci (Ben Schwartz), e até na falta de jeito em relacionamentos amorosos que membros da força têm.

Um dos problemas da produção é a falta de desenvolvimento dos personagens como, por exemplo, a Capitã Angela Ali (Tawny Newsome), que poderia ter uma elaboração melhor pelo posto que possui na força e pela missão que vai comandar. A falta de desenvolvimento é sentida em praticamente todos os personagens, com exceção de Naird, não sentimos como se conhecemos os integrantes da missão tão bem como conhecemos os 6 amigos de Friends.

Outro ponto fraco de Space Force é em relação ao enredo que a trama segue. Os episódios, às vezes, não têm relação com o anterior e parecem um pouco perdidos dentro da história. É como se faltasse foco para contar sobre os preparativos da missão de colonizar a Lua, que em alguns momentos parece ficar esquecido.

Pontos fortes

Mas não podemos dizer em todos os momentos “Houston we have a problem”, a série tem seus pontos fortes, como atores de nome, um tema em alta e personagens com carisma. Então, vale a pena assistir. Como a primeira temporada só tem 10 episódios, uma tarde de risadas com a equipe da Space Force é quase garantida. 

A série foi renovada pela Netflix, para uma segunda temporada, mas ainda sem previsão de lançamento no streaming. Vamos ver se nos novos episódios os pontos em abertos serão explicados e se vamos conhecer melhor os membros da missão.

_________________________
Por Raul Galetti – Fala! Anhembi

Tags mais acessadas