Skincare: 5 técnicas de beleza das mulheres na Roma Antiga
Menu & Busca
Skincare: 5 técnicas de beleza das mulheres na Roma Antiga

Skincare: 5 técnicas de beleza das mulheres na Roma Antiga

Home > Entretenimento > Cultura > Skincare: 5 técnicas de beleza das mulheres na Roma Antiga

O skincare é um prática que adotada por muitas mulheres na atualidade, sua origem, no entanto, é muito antiga. No Egito Antigo, por exemplo, eles já adotavam alguns cuidados, porém, foi no Império Romano que a prática se difundiu pelo Ocidente. No Oriente, por sua vez, o Império Chinês relata grandes personalidades adeptas dos cuidados com a pele.

Skincare é uma palavra de origem inglesa que significa “cuidados com a pele”. Como o próprio nome indica, o ele nada mais é que uma rotina de cuidados com a pele adotados para mantê-la bonita e saudável. As tendências de cuidados com a pele mudam a cada ano e o que os antigos utilizavam, já não serve para nós. É a partir de seus produtos, porém, que descobrimos quais os melhores métodos de cuidar do rosto.

A seguir, conheça 5 técnicas de skincare usadas pelas mulheres, e alguns homens, na Roma Antiga e compare com os métodos atuais!

5 técnicas de skincare da Roma Antiga

1. Leite de Jumenta

Na Roma Antiga, os homenes e mulheres tomavam banho com leite de jumenta.
Na Roma Antiga, os homenes e mulheres tomavam banho com leite de jumenta. | Foto: Reprodução.

Por mais que tenha se popularizado na Roma Antiga, entre homens e mulheres, essa é uma técnica associada à Rainha Cleópatra, do Egito. O leite de jumenta era utilizado na rotina de skincare para retardar o envelhecimento precoce, além de trazer viço para a pele. Era comum que os romanos se banhassem com o leite que possui propriedades antioxidantes, perfeitas para uma pele hidratada e para retardar o envelhecimento das células.

Até hoje, o leite de jumenta é requisitado em todo o mundo. O líquido, contudo, é raro, pois as jumentas dão cerca de 20 litros de leite apenas. Um litro pode custar o equivalente a R$ 500.

2. Farinha de cevada e manteiga

As mulheres na Roma Antiga tinham uma rotina de skincare curiosa.
As mulheres na Roma Antiga tinham uma rotina de skincare curiosa. | Foto: Reprodução.

Os romanos, não apenas as mulheres, acreditavam que a melhor cura para acne era a mistura de farinha de cevada com manteiga. Eles criaram um creme com essa mistura, que tinha um cheiro forte e era extremamente oleoso.

A mistura, no entanto, não é um absurdo, uma vez que a manteiga é um hidratante natural e utilizada em alguns cosméticos atualmente (seja manteiga de origem animal ou vegetal). Enquanto a cevada, por sua vez, contribui com a regeneração da pele, ideal para pessoas que têm acne.

É preciso frisar, contudo, que apenas a cevada não trata a pele, além disso, existe uma forma correta de utilizar tal produto.

3. Massa de pão para skincare

As máscaras faciais, atualmente, estão em seu auge. Cada dia que passa, o mercado de skincare lança um produto do tipo, perfeito para se usar a noite ou de dia. Na Roma Antiga, não poderia ser diferente! Essas técnicas de skincare, porém, eram feitas de uma forma bem diferente. Era comum que as mulheres romanas usassem massa de pão fresca no rosto como uma máscara facial para dormir.

Além da massa, as romanas adicionavam à mistura o famoso leite de jumenta, para contribuir com o viço e a hidratação da pele.

4. Pó de giz, cocô de crocodilo e chumbo branco

Os romanos usavam produtos para clarear suas peles.
Os romanos usavam produtos para clarear suas peles. | Foto: Reprodução.

Na Roma Antiga, quanto mais branca fosse sua pele, mais nobre você seria. Por isso, muitas mulheres, e homens também, utilizavam algumas técnicas para clarear a pele. Eles utilizavam determinados produtos em sua rotina de skincare que garantiam o clareamento de manchas e da pele.

Os produtos mais comuns para isso eram o pó de giz, misturado com manteiga e outros “cremes”, cocô de crocodilo, usado puro na face ou, chumbo branco, um mineral extremamente tóxico e danoso para a saúde de uma pessoa.

5. Lã de ovelha

Assim como o leite de jumenta, a lã de ovelha se popularizou na Roma Antiga, mas tem sua origem no Egito. Na verdade, a lã de ovelha serve como matéria-prima para uma espécie de óleo, denso e espesso, perfeito para a hidratação da pele e dos cabelos. Atualmente, este produto se chama lanolina, e é muito comum em diversos cosméticos pelo mundo.

Em Roma, as mulheres usavam a lanolina como um hidratante para a pele, seja da face ou do corpo, além de usar o produto para outras finalidades que não o skincare.

_________________________________________
Por Luiza Nascimento – Redação Fala!

Tags mais acessadas