5 hábitos que podem ser prejudiciais à saúde das unhas
Menu & Busca
5 hábitos que podem ser prejudiciais à saúde das unhas

5 hábitos que podem ser prejudiciais à saúde das unhas

Home > Lifestyle > 5 hábitos que podem ser prejudiciais à saúde das unhas

Se você pensa que a saúde das unhas é apenas um detalhe a mais que ninguém nota, está extremamente enganado (a)! Com o formato e o esmalte certo, elas crescem mais fortes, sem descamar e são capazes de deixar qualquer look básico muito estiloso.

Mas para que estejam sempre em dia, é claro que precisamos ter alguns cuidados essenciais e fugir de alguns hábitos que podem ser aparentemente inocentes, mas podem acabar com a saúde das unhas.

Veja alguns hábitos que separamos para você saber o que prejudica o desenvolvimento de suas unhas e saiba como mantê-las sempre impecáveis.

Saúde das unhas
Alguns hábitos podem mudar a saúde das unhas. | Foto: Reprodução

1) Puxar o esmalte quando as unha começam a descascar

Quando passam alguns dias desde a aplicação e o esmalte começa a descascar, é difícil controlar aquela vontade de puxar as pontinhas com as próprias unhas ou até mesmo com o dente – principalmente quando a semana está acabando e você sabe que já está chegando a hora de renovar a esmaltação.

Mas tirar o descascado com o dedo ao invés de usar o removedor de unhas pode acabar causando enfraquecimento, aparecimento de manchas esbranquiçadas e partes mais altinhas na superfície – tudo porque a primeira camada protetora da unha sai junto com o movimento de puxar o esmalte.

Então, se você não deseja deixar a pontinha dos dedos fraca ou com irregularidades, resista à vontade de descascar e só tire o produto usando o removedor próprio fazendo com que suas unhas fiquem fortes e saudáveis.

2) Ficar com o mesmo esmalte durante muito tempo pode fazer mal à saúde das unhas

Por falta de tempo, preguiça ou até porque as unhas ainda estão bonitas, muita gente acaba ficando muito tempo com o mesmo esmalte.

Porém, apesar de não parecer nada demais, você sabia que isso pode prejudicar a saúde das suas unhas? Segundo dermatologistas, a prática de manter o produto por muito tempo é uma das responsáveis pelo ressecamento e aparecimento das desagradáveis manchinhas brancas.

Para não correr o risco de sofrer com nenhum desses problemas, a dica é não ficar com o esmalte por mais de cinco dias e dar uma pausa de dois até a próxima esmaltação.

3) Mudar a cor do esmalte várias vezes durante a semana

Da mesma forma que é prejudicial ficar com o mesmo esmalte por muito tempo, trocar a cor constantemente também não é uma boa para manter a saúde das unhas.

Com tantas tonalidades lindas disponíveis no mercado, é muito normal bater a vontade de renovar a cor mais de uma vez na semana, mas, por causa do uso do removedor, essa prática também pode causar ressecamento na região.

4) Ter mania de roer as unhas

Em meio ao estresse do dia-a-dia, em momentos de ansiedade, muitas pessoas acabam roendo as unhas para tentar aliviar a pressão. Quando isso se torna um hábito, além de afetar o crescimento, pode causar ondulações e deformações nas unhas.

Para evitar esse hábito, uma boa dica é não ficar muito tempo sem esmalte, já que o produto estimula o crescimento e também deixa a área com um gosto não muito agradável que vai fazer você pensar duas vezes antes de colocá-las na boca!

5) Não cuidar da alimentação pode atrapalhar a saúde das unhas

Não adianta nada tomar cuidado com o tempo do esmalte, evitar manias prejudiciais e caprichar na hidratação se você não mantém uma alimentação equilibrada.

Assim como acontece com a pele e cabelo, a falta de alguns nutrientes e excesso de outros acabam se refletindo nas unhas, causando o enfraquecimento que toda mulher quer evitar.

Por isso, manter uma dieta equilibrada e rica em vitaminas, além de consumir bastante água, é um dos cuidados indispensáveis para passar longe desse problema.

Depois de todas essas dicas, vocês agora já sabem o que devem evitar para manter a saúde das unhas em dia para que cresçam fortes e saudáveis.

____________________________________________________________
Por Sabrina Ferreira – Fala! Centro Universitário Brasileiro de Pernambuco, Recife

Tags mais acessadas