Programa 'Pânico', na rádio Jovem Pan, termina em barraco e pancadaria
Menu & Busca
Programa ‘Pânico’, na rádio Jovem Pan, termina em barraco e pancadaria

Programa ‘Pânico’, na rádio Jovem Pan, termina em barraco e pancadaria

Home > Entretenimento > Famosos e TV > Programa ‘Pânico’, na rádio Jovem Pan, termina em barraco e pancadaria

Durante o programa Pânico, na rádio Jovem Pan, o convidado, nesta terça-feira (11), foi Tomé Abduch, comentarista e integrante do movimento “Nas Ruas”, o qual se exaltou durante uma acirrada discussão com André Marinho, o apresentador que participa do programa. 

A realidade ocorrida reflete o que no Brasil já se tornou “comum” desde a eleição de Jair Bolsonaro e a perceptível polaridade política brasileira. Nessa visão, a briga de Tomé e André foi do campo político até o pessoal. Em uma pergunta sobre as manifestações realizadas pelo movimento “Nas Ruas” e a relação entre Bolsonaro e agricultores, Tomé Abduch respondeu sobre o movimento e a importância dessas manifestações, o entrevistado ainda convocou as pessoas para estar nas ruas com máscaras e álcool gel em “um espaço aberto e ventilado”. 

O comentarista completou sua fala: “E eu vou falar uma coisa, é muito mais nocivo o que está acontecendo com a criminalidade do Brasil, esses corruptos que nos assaltam, que matam muito mais que o coronavírus”.

Briga entre o apresentador André Marinho e o comentarista Tomé Abduch no Pânico
A briga após as discussões e divergências políticas. | Foto: Reprodução.

O que é o movimento Nas Ruas?

O movimento “Nas Ruas”, segundo o seu site, tem a missão de fiscalizar o poder público, trazer novas soluções de combate à corrupção e a impunidade, além de promover uma maior consciência política. Tal portal do movimento ainda afirma que defendem um voto impresso, citado pelo Tomé Abduch no programa Pânico, somado à diminuição do Estado, federalismo e entre outros tópicos defendidos. 

A briga entre Tomé Abduch e André Marinho no Pânico

Tudo começou quando Tomé Abduch decidiu retomar um comentário feito por André Marinho no último programa, o qual o comentarista e um dos representantes do movimento “Nas Ruas” optou por responder em relação à casa de João Doria (PSDB), a partir desse momento, Tomé já iniciou seu esclarecimento sobre sua residência e a coincidência da casa fazer parte das empresas do governador de São Paulo. 

O Abduch afirmou em sua fala: “Vou falar o que eu penso sobre o João Doria… o pior governador que esse Estado já teve! Que aliás é amigo do seu pai, amigo do Dirceu”. Nessa fala do participante, o discurso se entrelaçou entre a esfera política e pessoal. Somado a isso, André Marinho rebateu com a escritura no celular e afirmou que o Tomé “usa, desfruta e se lambuza do conforto de uma casa” da empresa de Doria. 

Com o passar do discurso, Tomé Abduch começou a citar sobre o pai do André Marinho e a discussão foi se aprofundando. Até que no momento da fala de Tomé Abduch tentando proteger sua história, a fala de André diante da mesa do programa Pânico alterou a discussão para uma briga de corpo físico. 

Confira o momento em que toda a discussão iniciou: 

Momento em que começa a briga entre Tomé Abduch e André Marinho no programa Pânico. | Fonte: Youtube/Nordeste Cortes.

Saiba o que disseram André Marinho e Tomé Abduch em relação à briga ocorrida:

Posição de André Marinho sobre a discussão ocorrida nessa terça-feira no Pânico. | Fonte: Twitter.

_______________________________
Por Amanda Marques – Redação Fala!

Tags mais acessadas