Opinião - Felicidade em meio ao sofrimento
Menu & Busca
Opinião – Felicidade em meio ao sofrimento

Opinião – Felicidade em meio ao sofrimento

Home > Lifestyle > Opinião – Felicidade em meio ao sofrimento

A fortaleza representa uma das virtudes mais necessárias para a contemporaneidade. Em meio a tanto sofrimento e adversidade, a virtude da fortaleza nos convida a perseverança, cuja essência consiste na manutenção da constância tendo em vista a perspectiva da esperança. Pode-se dizer que a fortaleza e a esperança representam o sustentáculo moral diante dos problemas e instabilidades. 

A fortaleza e a esperança nutrem a paciência e a felicidade em meio aos momentos de angústia. Por mais paradoxal que possa parecer, é possível ser feliz mesmo estando inserido em um contexto de sofrimento, basta que haja um propósito para perseverar. Se buscamos de forma ardente o Sumo Bem, certamente teremos maior determinação para o enfrentamento do desânimo. Dizia Viktor Frankl: “O sofrimento deixa de ser sofrimento no instante em que encontra um sentido, como o sentido de um sacrifício”. 

Quanto mais resistimos aos problemas e angústias, mais crescemos nas virtudes, pois demonstramos que existe um significado para toda a desordem aparente. A realidade do sofrimento é crucial para o progresso na vida espiritual. Se não compreendemos o motivo pelo qual perseverar em meio ao aparente caos da realidade que nos cerca, não há, em última instância, razão pela qual lutar ou até mesmo viver. 

felicidade em meio ao sofrimento
É possível encontrar a felicidade em situações de sofrimento. | Foto: Reprodução.

Felicidade em meio ao sofrimento

O Evangelho é claro em dizer que a grande razão pela qual é possível resistir em meio ao sofrimento é o Amor, que se manifesta, sobretudo, na obra redentora de Cristo e nas promessas de Deus. “Mas é preciso amar o sofrimento. Nosso Senhor deu sua coroa de espinhos aos seus amigos na terra. Não procure melhor” (Santa Bernadette). Por esse motivo, é possível felicidade genuína em meio à angústia.

Em tempo de tristeza e de inquietação, não abandones nem as boas obras de oração, nem a penitência a que estás habituada. Antes as intensifica, e verás com que prontidão o Senhor te sustenta. 

Dizia Santa Teresa de Jesus.

Sofrimento, sacrifício e Amor são indissociáveis. Amar uma pessoa significa sofrer por ela, ou seja, realizar sacrifícios em prol de sua felicidade. Amor é uma decisão de aliança e companheirismo, ou seja, de união efetiva; aliança que é demonstrada pela fidelidade em meio ao sofrimento.

Meça sua vida pela perda, não pelo ganho; não pelo vinho bebido, mas pelo vinho derramado. Pois o poder do amor está no sacrifício do amor; e aquele que mais sofreu tem mais para dar. 

Ugo Bassi.

Portanto, independentemente da conjuntura, não devemos nos entregar à impaciência, ao rancor e aos males da murmuração. O amor é paciente e não guarda rancor. O amor frisa a lembrança das chamas da caridade e da genuína esperança. É muito bom olhar para o passado e lembrar de cada desafio superado. Essa lembrança deve representar o fundamento da paciência existente no verdadeiro amor. “É preciso ter paciência e perseverar, irmãos caríssimos, para que, tendo sido introduzidos na esperança da verdade e da liberdade, possamos chegar à verdade e à liberdade” (Cipriano de Cartago).

_________________________
Por Leonardo Leite – Reaviva Mack – Universidade Presbiteriana Mackenzie

Tags mais acessadas