NBA Jam: o jogo que revolucionou o segmento
Menu & Busca
NBA Jam: o jogo que revolucionou o segmento

NBA Jam: o jogo que revolucionou o segmento

Home > Notícias > Esporte > NBA Jam: o jogo que revolucionou o segmento

Clássico game de arcade, NBA Jam fez muito sucesso e impulsionou títulos de esportes

Quem hoje joga os títulos de esportes, como Fifa, NBA 2K, Madden (futebol americano), NHL (hockey), tem uma experiência quase que perfeita de uma partida esportiva, com gráficos próximos do real, câmeras de transmissões inovadoras, inclusive sendo possível ver o suor dos jogadores. Mas esses podem não se lembrar que nos primeiros games lançados as coisas eram bem diferentes. E um dos primeiros títulos publicados, ainda em formato arcade, foi o NBA Jam.

basquete
Jogo foi um dos primeiros a ter equipes licenciadas. | Foto: Reprodução.

NBA Jam

O jogo foi lançado em 1993, ainda em formato arcade, pela Midway, e foi um enorme sucesso mesmo com um preço alto para os padrões da época, custando entre um a dois dólares. O jogo foi um dos primeiros a trazer times e atletas licenciados da National Basketball Association, a NBA, o que ajudou a atrair um enorme público. Mas essa não era a única atração. 

Diferentemente das partidas oficiais, no game, os jogos eram em formatos de 2×2, sem foras, lances livres ou faltas. Era possível empurrar os adversários, roubar a bola das mãos do oponente sem se preocupar com as punições dos árbitros, com exceção da regra de arremessar em até 24 segundos. Outro diferencial era em relação aos próprios atletas, eles faziam pulos muito altos (mais do que um ser humano consegue dar), eles conseguiam derrubar o aro das cestas, furavam o chão da quadra. Claramente era um jogo muito mais voltado para a diversão, do que ser um simulador, como é o Fifa por exemplo. E quando um dos jogadores marcava três cestas em sequência, ele ficava no fire, que era um modo em que ganhava mais força, velocidade e podia pular ainda mais alto.

nba
Quando o jogador ficava on fire ele ganhava ainda mais habilidades. | Foto: Reprodução.

O jogo é cheio de Easter Eggs, o presidente da época e a primeira dama, Bill e Hillary Clinton, eram personagens desbloqueáveis e jogáveis, além de alguns mascotes de times. No arcade, existia um modo em que os usuários controlavam tanques de guerras. Um dos integrantes da equipe de desenvolvimento do game era torcedor do Detroit Pistons e quando o Chicago Bulls enfrentava os Pistons, o time de Chicago errava o último arremesso do jogo automaticamente.

nba jam
Presidente e primeira dama estavam presentes no jogo. | Foto: Reprodução.

Outro charme do game eram os gritos que o narrador Tim Kitzrow dava durante as partidas. Para entender um pouco de como ele fazia as locuções, lembre-se do locutor de esportes norte-americano Rômulo Mendonça. Os gritos eram parecidos, inclusive ambos usam um bordão igual, boomshakalaka!.

 Outras versões de NBA Jam foram lançadas, inclusive para consoles, com jogos 3×3 e 5×5 feitos pela Midway e por outras desenvolvedoras, mas a crítica dos fãs era que a essência não era mais a mesma. O último jogo lançado com a alcunha foi em 2010, para PC, Xbox 360 E PS3, feito pela EA, após adquirir os direitos com a falência da Midway. O game de 2010 fez muito sucesso, trazia os mesmo elementos da versão de arcade, mas com gráficos melhorados e elencos atualizados. De lá para cá, não houve mais lançamentos para consoles, mas está disponível uma versão mobile do jogo. 

É impossível não reconhecer a importância que a NBA Jam tem para o mundo dos games, especialmente os de esportes, ele foi um dos primeiros a mostrar que o jogo não tinha que seguir os padrões reais das partidas para fazer sucesso entre os gamers. E após o lançamento outros títulos seguindo a linha foram publicados, como o NFL Blitz e o Fifa Street. A detentora dos direitos da franquia no momento é a EA, mas esta não deu vida nova ao game, com exceção ao jogo de 2010. Por hora, temos que nos contentar com a versão mobile, jogar as versões antigas no PC, ou comprar a máquina original game arcade

__________________________________
Por Raul Galetti – Fala! Anhembi

Tags mais acessadas