Michele Morrone prefere projetos difíceis e que saem do conforto
Menu & Busca
Michele Morrone prefere projetos difíceis e que saem do conforto

Michele Morrone prefere projetos difíceis e que saem do conforto

Home > Entretenimento > Famosos e TV > Michele Morrone prefere projetos difíceis e que saem do conforto

Como vem demonstrando ao longo dos anos, Michele Morrone não se contenta com papéis mais básicos e sem densidade psicológica. Sendo assim, no decorrer dos dez anos que está no cinema, o italiano já deu vida a um viciado em drogas – Luigi, de Bar Giuseppe – e a um tritão, na série Sirene. Além disso, no polonês 365 Dni, interpretou Massimo Torricelli, um homem obsessivo e com vício em sexo.

Na trama do erótico, Massimo é chefe de uma máfia siciliana e é muito influente na região. No entanto, uma cilada pode pôr em xeque todo o império construído pelo gângster e sua família. Como se não bastasse, as coisas pioram quando ele reencontra Laura Biel (Anna-Maria Sieklucka), jovem que caminhava pela praia enquanto sofria com a armadilha. Dessa forma, com o encontro, decide sequestrá-la, para que ela o ame em até 365 dias – mesmo que ela nem saiba quem ele é.

De mesmo modo que o longa, Michele Morrone entrou para a lista de personagens polêmicos com o mafioso Massimo. Afinal, durante toda a história, o homem mostra-se disposto a fazer qualquer coisa para atingir o que quer, além de ser muito controlador e abusivo. Em uma entrevista, o astro chegou a revelar que até prefere fazer esse tipo de papel, no qual passa por certo desconforto. Entenda os motivos para a predileção a seguir.

michele morrone
Galã de 365 Dni prefere projetos difíceis. | Foto: Montagem/Reprodução.

Michele Morrone gosta de se desafiar e sair da zona de conforto

Para Michele Morrone, não é uma opção interpretar personagens “fáceis”, ou seja, normais ou sem grandes questões. De acordo com ele, sair da zona de conforto é essencial para todo artista, uma vez que passa a se desafiar e pode crescer na carreira com isso. Em um bate-papo com o Live Now, explicou melhor a preferência em dar vida a papéis complexos.

Eu não sou uma pessoa fácil. Eu não gosto de projetos fáceis, vamos ser honestos. Sempre penso que a vida é uma partida. Então, não gosto de ficar muito na minha zona de conforto, porque eu sinto que, quanto mais você fica na zona de conforto, mais você não cresce [na carreira]. Sempre que você sai da zona de conforto, talvez seja muito difícil, mas, uma vez que você termina o projeto, a sua zona difícil, você terá uma experiência muito maior.

Apesar de Michele Morrone ter essa preferência por personagens mais densos e difíceis, isso não quer dizer que nunca interpretará alguém mais “comum” ou até “sem graça”. No entanto, é provável que o astro se dê melhor em filmes que se desafie, já que gosta dessa experiência e tende a se entregar mais para tais projetos complexos.

____________________________
Por Isabela Cagliari – Redação Fala!

Tags mais acessadas