Menu & Busca
Rap: o gênero musical que cruzou a cidade de Nova York e pousou em São Paulo

Rap: o gênero musical que cruzou a cidade de Nova York e pousou em São Paulo


Por Samira Figueiredo – Fala! ESPM

A Origem

Do inglês Rhythm and Poetry, o RAP é um estilo musical conhecido por suas batidas fortes e rítmicas. É um dos pilares do movimento Hip-Hop, junto com o breakdance, o grafite e a moda street.
O RAP surgiu em Nova York, na década de 1970, a era do sistema de som. Diante da cidade de arranha-céus, tomada pelo estilo musical Disco, os jovens demandavam algo novo.


Assim, com a primeira festa de Hip-Hop da história, o DJ jamaicano Kool Herc ficou reconhecido. Foi um evento tão original por conta da maneira em que tocava os discos exclusivos de seu acervo, repetindo a parte principal das batidas e deixando o resto do show para os Bboys na pista.
Coke La Rock foi um dos precursores da rima cantada – ele anunciava as atrações da festa de forma melódica. Enquanto Herc é considerado o pai do Hip-Hop, o DJ Afrika Bambaata é visto como o padrinho, por ter sido o primeiro a usar o termo que dá nome ao movimento e por ter expandido essa cultura pra fora do Bronx.


A partir do caminho que os três traçaram, surgiram diversos DJ’s, MC’s e grupos que carregavam a bandeira do Hip-Hop. Um deses DJ’s é o Grandmaster Flash, retratado na série The Get Down, do Netflix.
Grandmaster criou, junto ao grupo The Furious Five, a música The Message, que pode ser considerada como a origem da rima consciente. Um trecho do clássico é “A child is born with no state of mind / Blind to the ways of mankind” (Uma criança nasce sem estado de espírito, cega para os caminhos da humanidade).

Made in Brazil

Na década de 1980 o RAP chega ao Brasil, tomando São Paulo como casa e as periferias como berço. Sua principal missão era dar voz a quem era invisível aos olhos da sociedade – inclusive como uma forma de protesto.
O produtor musical Milton Sales promovia concursos com grupos de RAP, e então, em 1990, surge os Racionais MC’s, com o álbum Holocausto Urbano. Durante a mesma época, outros nomes de peso apareceram, como MV Bill, Sistema Negro e Thaíde.


Nos anos 2000, Mauro Mateus dos Santos, conhecido como Sabotage, fez sua carreira. Da favela do Canão, Zona Sul de São Paulo, o rapper encontrou na música sua oportunidade de sair do tráfico. Suas músicas tratavam de sua vivência e do cotidiano da periferia. Em 2003 o rapper foi assassinado, mas deixou como legado seu lendário e único disco solo, chamado Rap é Compromisso, que é considerado um dos mais importantes do RAP brasileiro.


Atualmente, a cena do RAP possui uma variedade rica de assuntos tratados nas rimas e ritmos. Emicida, Criolo, Kamau e Primeiramente são alguns dos nomes que honram as batidas.
Do RAP consciente ao ostentação, do trap ao boom bap, o Rítmo e Poesia que surgiu nas ruas e entrou nos barracos, casas e baladas, deve ser sempre ouvido e observado de perto.

Confira também:

– “Olhar Instigado” – confira uma resenha sobre o documentário

– Os desafios da produção musical independente

Quer se tornar um colaborar e escrever para o fala?
Saiba como

0 Comentários

Tags mais acessadas