Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
JOVENS PROTESTAM CONTRA FECHAMENTO DE ESCOLAS PÚBLICAS EM SÃO PAULO.

JOVENS PROTESTAM CONTRA FECHAMENTO DE ESCOLAS PÚBLICAS EM SÃO PAULO.

CAPA
Foto: Isabella Mori

Na manhã do dia 09 de Outubro, na Avenida Paulista, jovens se reuniram em forma de protesto sob o calor de 30°. O amplo e arejado vão do MASP foi o início, às 8h da manhã, de um aglomerado de estudantes que começava a criar corpo.  Havia música, tambores, cartazes e muita cor.

A energia foi grande, o movimento dos mais de 500 estudantes fez parecer que o grupo era muito maior, deixando impressionada a famosa avenida. Jovens das mais diferentes idades (de 11 a 25 anos) fizeram parte desse evento, não sendo esses cidadãos comuns, mas estudantes que estavam em busca de um futuro melhor, isto é, protestando contra a mais nova decisão do governo estadual em relação à educação.

DSC_0033
Foto: Beatriz Issler

 

O novo modelo escolar consiste em reorganizar as escolas de São Paulo, fazendo com que os prédios fiquem divididos por ciclo estudantil. Algumas escolas que possuem o ciclo completo, anos iniciais do Ensino Fundamental, anos finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio terão seus alunos distribuídos nos prédios que, a partir do ano que vem, serão escolas de apenas uma dessas três fases do ciclo.

Segundo a Secretaria da Educação, os alunos que precisarão fazer transferência, serão encaminhados para unidades com, no máximo, 1,5 km de suas residências.

Com a nova medida adotada pelo Governador Geraldo Alckmin, muitos jovens foram surpreendidos com a notícia de que suas escolas seriam fechadas. “A coordenadora da escola chegou e me disse que ia fechar a minha escola, então todo mundo organizou essa manifestação para ir para rua e para lutar[…] Já não tem escola, já não tem hospital, já não tem educação… Vai fechar escola pra quê?” diz Yuri, 15 anos, estudante da escola Fernão Dias, em Pinheiros.

A Polícia Militar e Choque estiveram  em quantia significativa entre os jovens. Em entrevista com a repórter Beatriz Issler, Capitão Santos da Polícia Militar parabenizou o comportamento dos estudantes e alegou ter abordado um grupo de pessoas mascaradas que estavam misturadas no grupo dizendo que estes, uma vez que de forma não identificável, não são considerados alunos legítimos, sendo assim encaminhados para o Centro de Identificação da polícia.

choque_editada
Foto: Beatriz Issler

 

A manifestação passou pelos dois sentidos da Avenida Paulista, deixando diferentes recados ao som de batucadas e músicas reproduzidas pelos jovens: “Hoje, a aula é na rua”, “Somos o futuro da nação”, “+ Escolas, – Corrupção” “Não feche a minha escola!”.

Confira mais fotos:

FOTO 2
Foto: Isabella Mori

 

DSC_0075
Foto: Beatriz Issler

 

DSC_0076
Foto: Beatriz Issler

 

DSC_0108
Foto: Beatriz Issler

 

DSC_0026
Foto: Beatriz Issler

 

FOTO 3
Isabella Mori

 

FOTO 4
Isabella Mori

 

Por: Beatriz Issler e Isabella Mori

0 Comentários

Tags mais acessadas