Homem é infectado duas vezes por coronavírus em Hong Kong
Menu & Busca
Homem é infectado duas vezes por coronavírus em Hong Kong

Homem é infectado duas vezes por coronavírus em Hong Kong

Home > Lifestyle > Saúde > Homem é infectado duas vezes por coronavírus em Hong Kong

Um homem de 33 anos foi infectado pela segunda vez com o coronavírus 4, 5 meses após a primeira infecção. Ele é o primeiro caso de reinfecção detectado no mundo

Cientistas de Hong Kong estudam primeiro caso de reinfecção do coronavírus.
Cientistas de Hong Kong estudam primeiro caso de reinfecção do coronavírus. | Foto: Reprodução.

Nessa segunda-feira (24), cientistas da Universidade de Hong Kong publicaram no jornal Clinical Infectious Diseases que o homem foi infectado com o coronavírus pela segunda vez, 142 dias depois da primeira vez que teve o vírus.

O paciente, um homem de 33 anos, se contagiou pela segunda vez em uma viagem para a Espanha. Na primeira vez, o jovem teve dores na garganta, febre e dor de cabeça por três dias. Na segunda, não mostrou sintomas.

De acordo com o estudo, a imunidade que é garantida pelo contágio do Covid-19 pela primeira vez não durou mais que quatro meses nesse sujeito. “Esse caso ilustra que uma reinfecção pode ocorrer alguns meses após a primeira vez. O que encontramos sugere que o SARS-CoV-2 pode persistir em humanos […] mesmo se os pacientes tenham adquirido imunidade por infecção natural ou vacinação.”.

O Dr. Paul Hunter, professor de medicina na Universidade de East Anglia, não se encontrou surpreso com o evento. “Alguns comentaristas vêm afirmando que é improvável que a imunidade seja permanente e pode ser que dure apenas alguns meses”.

Homem é infectado duas vezes por coronavírus em Hong Kong

Como o coronavírus está presente em escala mundial, é muito difícil confirmar que esse acontecimento de Hong Kong tenha sido realmente o primeiro caso de reinfecção no mundo – mas é o primeiro comprovado. Após o caso ser publicado, outros surgiram na Holanda e na Bélgica.

Tal anúncio foi feito em televisão pública na Holanda, um dia depois da publicação do artigo da Universidade de Hong Kong. De acordo com a emissora, o paciente holandês é um homem idoso com sistema imunológico fraco. Já na Bélgica, é provável que a pessoa não tenha desenvolvido anticorpos o suficiente no primeiro contato com o coronavírus.

Os cientistas de Hong Kong sugerem que todos devem usufruir das medidas protetoras contra o vírus, como usar máscara, evitar aglomeração e lavar sempre as mãos. “Pacientes com infecções passadas de Covid-19 devem também cumprir com as medidas”, escreveram.

_______________________________________
Por Domitilla Mariotti – Redação Fala!

Tags mais acessadas