Flakkë e a mistura de eletrônica com sertanejo em "Baldinho de Pipoca"
Menu & Busca
Flakkë e a mistura de eletrônica com sertanejo em “Baldinho de Pipoca”

Flakkë e a mistura de eletrônica com sertanejo em “Baldinho de Pipoca”

Home > Entretenimento > Música > Flakkë e a mistura de eletrônica com sertanejo em “Baldinho de Pipoca”

O DJ e produtor Fernando Borelli, artisticamente conhecido como Flakkë, lançou o remix oficial da música, Baldinho de Pipoca, da dupla sertaneja Thiago & Graciano, à convite da Sony Brasil. A música original, que conta com mais de 2 milhões de streams, ganhou sua versão eletrônica e quebra tabus ao misturar dois estilos musicais divergentes, que podem dar muito certo na pista. 

Flakkë
Em entrevista, Flakkë conta sobre remix de Baldinho de Pipoca. | Foto: Reprodução.

Flakkë somou mais de 24,5 milhões de plays com os hits Me Gusta, com KVSH e Beowülf, Sweet Munchies e Apache, ao lado de Cat Dealers, e lançou recentemente o álbum conceitual Falling, também pela Sony Music.

Confira o bate-papo do DJ com o Fala! Universidades e conheça mais sobre a produção do remix de Baldinho de Pipoca, como foi o período de pandemia para o artista e o que podemos esperar de Flakkë no ano que vem.

Flakkë fala sobre mistura de eletrônica com sertanejo em Baldinho de Pipoca

1. Lançar um remix de uma música sertaneja é um desafio muito grande, pois o resultado pode ficar catastrófico (o que não foi o caso, claro). Como você tomou esses cuidados?

Eu acho que o primordial foi ter escolhido uma música que naturalmente é boa, e em segundo lugar, ter feito de coração e não pelo potencial de viral ou com a intenção de fazer um mega hit. Eu tratei esse remix com o mesmo carinho que tenho com todas as minhas músicas e acho que isso fez a diferença.

2. Como aconteceu o convite ou a ideia?

A Sony Music me mandou uma lista de músicas para eu escolher para um possível remix, a única de sertanejo que tinha era a Baldinho de Pipoca, e foi a que mais me interessei para fazer um remix. Eu ouvi e falei: “pera, isso aí é material pra um belo remix cremoso”.

3. Como você acredita que será a reação do público sertanejo e a do eletrônico, ao ouvirem o remix de Baldinho de Pipoca

Eu acredito que a galera do sertanejo vá curtir bastante porque a música eletrônica cada dia mais está atrelada aos eventos de sertanejo, e a Baldinho de Pipoca é uma música que performa super bem. Agora, quanto ao público do eletrônico existe, sim, da maior parte um preconceito em relação aos gêneros musicais mais “galerosos”, tipo funk e sertanejo, mas, por incrível que pareça, eu só tenho tido respostas muito boas dos meus fãs.

4. Você acredita que isso tenha sido somente um surto artístico, ou você pretende fazer mais coisas similares?

Sinceramente, não sei. Mas estou sempre aberto a experimentar com gêneros musicais novos e inusitados, esse é o pilar do meu projeto desde o início, e até agora já misturei música indiana, árabe, balcânica, jazz, música celta, música clássica, e etc… por que não música sertaneja?

5. Essa quarentena te ajudou ou te atrapalhou como artista? Você se inspirou mais durante a pandemia? 

Assim como quase todo mundo, eu tive meus momentos de desânimo na quarentena, mas criativamente foi muito bom. Sem a rotina de shows, eu pude ficar no estúdio diariamente, e dessa brincadeira saiu tanta música que se eu quiser posso ficar os próximos 3 anos sem produzir, mas não vou ficar!

6. O que podemos esperar do Flakkë 2021?

Em 2021, vocês podem esperar o mesmo Flakkë cremoso dos anos anteriores, mas com muito menos apego a certos preciosismos da cena eletrônica atual e mais gordinho por causa da quarentena.

Ouça, agora mesmo, Baldinho de Pipoca (remix) de Flakkë, clicando aqui!

Tags mais acessadas