Em discurso, Secretário da Cultura de Bolsonaro cita nazista Goebbels
Menu & Busca
Em discurso, Secretário da Cultura de Bolsonaro cita nazista Goebbels

Em discurso, Secretário da Cultura de Bolsonaro cita nazista Goebbels

Home > Notícias > Política > Em discurso, Secretário da Cultura de Bolsonaro cita nazista Goebbels

O até então Secretário da Cultura, Roberto Alvim, apresentou hoje (17/1) o seu novo projeto “Prêmio Nacional de Arte” e gerou polêmica ao citar trecho de discurso feito durante a ditadura nazista por Joseph Goebbels, braço direito de Hitler.

Roberto Alvim, Secretário da Cultura de Bolsonaro, cita discurso nazista de Joseph Goebbles
Roberto Alvim, Secretário da Cultura de Bolsonaro, cita discurso nazista de Joseph Goebbels

Além da citação retirada da biografia de Joseph Goebbels, a estética do vídeo também está sendo bastante questionada pelos telespectadores. A atmosfera e o visual propostos remetem muito a um antigo cenário fascista.

A música que toca ao fundo da fala do Secretário da Cultura também gerou indagações por ser do compositor Richard Wagner, músico requerido por Hitler para exaltar a “Raça Ariana”. Compare Joseph Goebbels com Roberto Alvim:

80 ANOS DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

Secretário da Cultura, Roberto Alvim, faz menção a discurso nazista de Goebbels

Confira a parte polêmica do vídeo em que Roberto Alvim cita um trecho da tradução em português do livro “Goebbels: a Biography” de Peter Longerich, que conta que o líder nazista afirmou:

A arte alemã da próxima década será heroica, será ferramente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos [significa: poder de tocar o sentimento da melancolia ou o da ternura] e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada.

OPINIÃO: AS NUANCES DO TOTALITARISMO

O discurso é bem similar com o que Roberto Alvim fez no vídeo, onde ele disse:

A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada com as aspirações urgentes do nosso povo, ou então não será nada.

O secretário especial de Cultura, contou em entrevista à Rádio Gaúcha que sua assessoria seria responsável pela parte do discurso que faz menção a Joseph Goebbels e alegou que o episódio foi uma “coincidência retórica”.

De acordo com Alvim, as frases do líder nazista foram postas em sua mesa por sua assessoria e que a ideia original era buscar no Google “nacionalismo em arte”.

TERCEIRA GUERRA MUNDIAL? TRUMP ORDENA BOMBARDEIO E MATA GENERAL IRANIANO

Bolsonaro demite Secretário da Cultura

O Estadão divulgou informações de que o Presidente da República, Jair Bolsonaro, teria demitido Roberto Alvim de seu cargo político após citação nazista. De acordo com o jornal, auxiliares próximos a Bolonaro disseram que “a situação de Alvim ficou insustentável” e que o Ministro de Turismo, Marcelo Álvaro Antonio já foi comunicado da decisão.

Internet se revolta e diz não ao nazismo, facismo e a Roberto Alvim

Diversos internautas se revoltaram nas redes sociais com a menção feita pelo até então Secretário da Cultura do País. Além de usuários, muitas figuras públicas e autoridades também se pronunciaram após a fala de Roberto Alvim.

O Estado não define o que é e o que não é cultura! Já um governo define quem dele faz e quem dele não faz parte. Quem recita Goebbels e faz pronunciamento totalitário não pode servir a governo nenhum no Brasil e deve ser demitido

Disse Marcel Van Hattem em sua conta no Twitter

QUASE TRÊS DÉCADAS DEPOIS DO FIM DA GUERRA FRIA – VEJA COMO ESTÃO ALGUMAS INSTALAÇÕES DA ÉPOCA

Confira outras figuras importantes que se posicionaram perante ao discurso de Roberto Alvim:

0 Comentários

Tags mais acessadas