Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Drogas: efeitos, sensações, tempo de duração e abstinência

Drogas: efeitos, sensações, tempo de duração e abstinência

Que elas causam boas sensações e que também fazem mal para o nosso corpo, a gente já sabe.

O que você vai ver aqui é a real descrição das sensações causadas pelas drogas mais consumidas pelos jovens, além das reais consequências delas em nosso organismo.

Efeitos, consequências, tempo de duração e abstinência de cada droga:

1 – Álcool (goró, mé, caninha, cachaça, birita, pinguinha)

Efeitos do álcool
Efeitos do álcool

Forma de Ingestão: oral
Duração: 
de 2 até 4 horas
Dependência psicológica: 
alto
Dependência física: 
moderado


Efeitos:
O Álcool consumido de forma moderada, em curto prazo, causa euforia, quebra das inibições, relaxamento, depressão e diminuição da consciência. Já em maiores quantidades pode causar náusea e inconsciência. O consumo de álcool a longo prazo pode causar obesidade, psicose, impotência sexual, úlceras, danos cerebrais e hepáticos, além de poder levar à morte.

No Corpo: Quando o álcool chega ao cérebro, ele estimula os neurônios a liberar serotonina, que desregula as sensações de prazer, humor e ansiedade. Por isso, o álcool deixa as pessoas desinibidas e eufóricas. Em seguida, o álcool inibe a liberação de glutamato, que por sua vez inibe o trabalho dos neurônios e faz com que o corpo perca sua coordenação motora.


Sintomas de Abstinência: Ansiedade, depressão, fadiga, oscilações de humor e falta de clareza de raciocínio.
Curiosidade: Muitos acreditam que a bebida alcoólica teve seus primeiros registros na Pré-História, durante o período Neolítico, quando houve a aparição da agricultura. A partir do processo de fermentação natural, celtas, gregos, romanos, egípcios e babilônicos começaram a consumir e atribuir diferentes significados ao consumo do álcool.

 –

2 – Cigarro (fumo, cigarrete, pito, estoura-peito, careta)

Efeitos do cigarro
Efeitos do cigarro

Forma ingestão:  oral
Duração: 
de 30 minutos até 4 horas
Risco de dependência psicológica: alto
Risco de dependência física: 
alto


Efeitos: Em curto prazo e em quantidades moderadas, o cigarro causa relaxamento e contração dos vasos sanguíneos. Em grandes quantidades, pode causar dores de cabeça, perda de apetite e náusea. Em longo prazo, prejudica a respiração, pode causar doenças cardíacas, diferentes tipos de câncer e pode levar à morte.

No Corpo: Ao entrar em contato com os vasos capilares dos pulmões, a nicotina se mistura com o sangue já oxigenado, chega até o coração e consequentemente é bombeada para todo o corpo. Este processo é tão rápido que atinge o cérebro entre 6 e 10 segundos. No cérebro, as moléculas da nicotina se prendem aos neurônios, inicialmente os deixando relaxados, mas posteriormente agitando-os e fazendo com que seja necessária uma nova dose de nicotina para acalmá-los.

Sintomas de Abstinência: Oscilação de humor, tremor, aumento de suor, aumento de apetite, aperto no peito e tosse, secreção nasal, insônia e prisão de ventre.

Curiosidade: O consumo do tabaco iniciou-se com fins medicinais e como um acessório cerimonial. Os indígenas da América Central, há cerca de 1000 a.C, usavam o tabaco em rituais mágicos e religiosos, para purificar e fortalecer os guerreiros. Eles acreditavam também que com o uso do tabaco podia prever o futuro.

3 – Maconha (baseado, erva, mato, cabrobró, cigarrinho do capeta, brizola, verdinho)

Efeitos da maconha
Efeitos da maconha

Forma ingestão: oral
Duração: de 2 até 4 horas
Risco de dependência psicológica: moderado
Risco de dependência física:
 nenhum

Efeitos: Consumida em quantidades moderadas, a maconha causa relaxamento, quebra das inibições, alteração da percepção, euforia e aumento de apetite. Em grandes quantidades pode causar pânico. O consumo a longo prazo pode causar fadiga e psicose.

No Corpo: A maconha, especialmente aquelas com alto teor de THC, fazem o mesmo caminho do cigarro no organismo. Ao adentrar os pulmões e entrarem em contato com o sangue, chegam ao coração e causa um aumento do batimento cardíaco. Em um curto espaço de tempo chega ao cérebro, atinge os neurônios e diminui a pressão sanguínea, pois dilatam os vasos. Este é o motivo da vermelhidão nos olhos.

Sintomas de Abstinência: Oscilação de humor podendo chegar a depressão, insônia, diminuição do apetite, perda de peso e dores musculares, com desconforto físico e arrepios.

Curiosidade: A Cannabis é uma erva nativa da Ásia Central e Meridional, que se espalhou pelo mundo a fora com registros de seu consumo com fins religiosos, por povos arianos, chineses, indianos, muçulmanos, cristãos, entre outros. Com o passar do tempo, seu consumo também foi associado a fins medicinais, mas no início do século XX começou a ser proibida em países como Estados Unidos e África do Sul.

4 – Lança Perfume (loló, lança, bico verde, abelhinha)

Droga Lança Perfume apreendida
Lança Perfume – Foto: G1

Forma ingestão:  nasal/oral
Duração:  de 30 segundos até 30 minutos
Risco de dependência psicológica: 
moderado
Risco de dependência física: 
nenhum

Efeitos: Consumida em quantidade moderada, o lança-perfume causa excitação, alucinação, formigamento nas extremidades do corpo e ruídos nos ouvidos. Em grandes quantidades pode causar desmaios, déficit de atenção, dificuldades de concentração e lesões no fígado.

No Corpo: O lança-perfume age diretamente no sistema nervoso central. Quando inalado, faz o mesmo caminho do cigarro: a partir dos pulmões ele vai para o sangue, que é bombeado para o cérebro. Já no cérebro, a substância entra em contato com os neurônios, que não se recompõe quando destruídos e aumentam os batimentos cardíacos em até 180 por minuto. Assim que inalada, esta droga age entre 5 e 10 segundos.

Sintomas de Abstinência: Embora com intensidade baixa, causa agitação, ansiedade, tremores, insônia e necessidade extrema da substância.

Curiosidade: O lança-perfume chegou ao Brasil em meados do século XX, quando apareceu no Rio de Janeiro e se tornou símbolo do carnaval carioca. Inicialmente, os foliões esguichavam o líquido do frasco, em tom de brincadeira, causando sensação refrescante, agradável e perfumada. Posteriormente, começou a ser inalada pelos foliões por dar a sensação de excitação e euforia.

5 – LSD (doce, ácido, pepel, papelzinho, chapeleiro maluco, lisérgico)

Efeitos do lsd
Efeitos do lsd

Forma ingestão: oral
Duração: de 1 até 8 horas
Risco de dependência psicológica: 
baixo
Risco de dependência física: 
nenhum

Efeitos: Em quantidades médias, o LSD causa alteração da percepção visual, alucinações e até pânico. Em maiores quantidades, podem levar o usuário a exaustão, tremores e vômito. Em longo prazo pode causar psicose.

No Corpo: Ao ser ingerido, o LSD causa alterações na atividade do córtex visual e aumenta a comunicação desta região do cérebro com outra área conhecida como parahipocampo. O parahipocampo está diretamente associado à capacidade de formar imagens na mente e na memória pessoal. É daí que surgem as alucinações e o aumento da percepção visual.

Sintomas de Abstinência: Não existem sintomas.

Curiosidade: Na década de 60, o LSD era fornecido gratuitamente para cientistas interessados em ter um entendimento melhor do comportamento de um esquizofrênico. Em um futuro próximo, a droga foi utilizada para tratamento contra alcoolismo e disfunções sexuais. O LSD se popularizou junto ao movimento psicodélico, que se deu na Inglaterra na mesma década de 60, quando tomou conta das baladas e do cenário musical.

6 – Anfetamina (ecstasy, bala, balinha colorida, md)

Efeitos da anfetamina
Efeitos da anfetamina

Forma ingestão: oral
Duração: de
1 até 8 horas
Risco de dependência psicológica: alto
Risco de dependência física: 
nenhum

Efeitos: A curto prazo, em quantidades médias, a bala causa excitação, euforia e diminuição de apetite. Já em maiores quantidades, pode causar inquietação, irritabilidade, insônia, desarranjos estomacais e convulsões. Em longo prazo, pode causar problemas dermatológicos, subnutrição, alucinações e psicose.

No Corpo: A anfetamina promove alterações nos neurotransmissores do cérebro chamados dopamina e serotonina, o que deixa o usuário mais alerta e traz sensação de bem-estar. Também deixa o usuário mais comunicativo e com melhor desempenho intelectual.

Sintomas de Abstinência: Ansiedade, fadiga, paranoia, variações de humor e depressão.

Curiosidade: A Anfetamina começou a ser utilizada em larga escala durante a Segunda Guerra Mundial, para manter soldados acordados e mais ativos. Com o uso, perceberam também que diminuía a sensação de fome e fadiga.

7 – Cocaína (pó, coca, farinha, albino, brilho, ratatá)

pó cocaína coca efeitos sensações abstinência abstinencia duracao organismo
Efeitos da cocaína.

Forma ingestão: nasal
Duração: 
4 horas
Risco de dependência psicológica: 
alto
Risco de dependência física: 
alto

Efeito: Em curto prazo e em quantidades médias, a cocaína causa sensação de auto confiança e vigor intenso. Já em maiores quantidades, causa irritabilidade e depressão. Em longo prazo pode causar danos no septo nasal, nos vasos sanguíneos e pode até causar psicose.

No Organismo: Quando aspirada, a cocaína age no sistema nervoso periférico, inibindo a absorção, pelos nervos, da norepinefrina  (algo semelhante a adrenalina). Desta forma, ela potencializa o estímulo dos nervos. Ela também estimula o sistema nervoso central, agindo de forma similar a anfetamina.

Sintomas de Abstinência:  Cansaço, aumento do apetite, irritabilidade, ansiedade, depressão, perda da capacidade de sentir prazer, distúrbios do sono, retardamento psicomotor e, às vezes, ideação suicida e “fissura” pela droga.

Curiosidade: A folha de coca já era consumida por povos nativos da América do Sul há mais de 5 mil anos, para suportar a fome, a sede e o cansaço. Com a chegada dos espanhóis, a coca acabou sendo usada para fins medicinais, como a cura de resfriados, feridas e para suportar a dor de ossos quebrados. Mais tarde, a cocaína se popularizou como tratamento para toxicodependência de morfina.

Confira também:

– A dificuldade em aceitarmos a depressão

8 Comentários

  1. jose almeri
    12 meses ago

    é verdade que;
    as drogas causa muitos efeitos colaterais nos seres humanos isso é fato
    mas, os cientistas podem amenizar outros recursos para que os humanos não se enlaça neste mundo tão tenebroso, pois a melhor forma de viver a vida, em drogas nenhuma, parece um pesadelo, principalmente para os jovens dessa geração. no entanto; ganhar dinheiro fácil; parece um mistério sem fim para a sociedade, e para as autoridades do mundo todo. mas em breve eu tenho certeza que; o deus do céu vai arruinar aqueles que; arruínam a terra com tantas fontes de psiquiatrias diversas, e dai vem a morte, vem as consequèncias
    de uma vida, sem os sabores reais da natureza que Deus criou para todos nós, que vivem em um paraíso, sem drogas.

    • Ilo
      9 meses ago

      Fala isso mas deve fumar e beber , deus n condena a qm usa drogas , as drogas tem diversas funçoes , n eh atoa q a droga psicodelica mais forte do mundo ,eh produzida na glandula pineal do ser humano , em 80 espécies de planta e todos os mamiferos , tbm presente na formação do feto

  2. Ismael Ribeiro
    9 meses ago

    Gostaria de saber quanto tempo cada tipo de droga citada acima demora pra sair completamente do organismo do indivíduo que a usa?

    • 9 meses ago

      Quais os tipos de drogas e o tempo que elas ficam em nosso organismo?

      O Álcool tende a ser identificado entre 3 a 5 dias pela urina, 10 a 12 horas na corrente sanguínea e até 90 dias pelo cabelo. As Anfetaminas ficam na urina entre 1 a 3 dias, estão presentes no sangue cerca de 12 horas, e no Cabelo em até 90 dias. A Maconha, a que mais tem demora a ser expelida, fica identificável pela urina de 7 a 30 dias, no Sangue Cerca de duas semanas e no cabelo por até 90 dias.

      A Cocaína poderá ser identificada pela urina se feita até 3 a 4 dias, no sangue de 1 a 2 dias e no cabelo por até 90 dias. A Heroína pela Urina é identificada até o 3º ao 4º dias de consumo, no sangue Até 12 horas e no cabelo por Até 90 dias.

      O Ecstasy poderá ter substâncias avaliadas na urina por até 3 a 4 dias, no sangue por 1 a 2 dias e no Cabelo em até 90 dias. Por fim, a Morfina que pode ser identificada na Urina por 2 a 3 dias, no Sangue: 6 a 8 horas e no Cabelo por até 90 dias.

    • Joacir Ferreira
      8 meses ago

      No caso dos sintéticos fica por muito tempo no organismo. Mas cerca de 6 meses não é mais detectado nos exames de sangue convencionais.

  3. 3 meses ago

    Seus artigos são bem informativos, vendo que muitas pessoas buscam informações relevantes, muito bom quando encontramos conteúdo de qualidade como esse, parabéns.

  4. Seus artigos são bem informativos, vendo que muitas pessoas buscam informações relevantes, muito bom quando encontramos conteúdo de qualidade como esse, parabéns.

  5. cristiano massur da silva
    2 meses ago

    Ótimo artigo, com certeza tirou muitas dúvidas. Mas tem informações que deixaram desejar, não tenho o conhecimento de todas as drogas, em cocaína não tem duração de 4 horas e sim entre 8 e 10 horas. Gostei muito do artigo. Não sei se usa o blog ainda, mas esta incorreto a palavra ”nenhum” por ”nunhum”.