Drogas: efeitos, sensações, tempo de duração e abstinência de tipos de drogas
Menu & Busca
Drogas: tipos, efeitos, sensações, tempo de duração e abstinência

Drogas: tipos, efeitos, sensações, tempo de duração e abstinência

Home > Lifestyle > Saúde > Drogas: tipos, efeitos, sensações, tempo de duração e abstinência

A palavra drogas denomina os tipos de substâncias que causam alterações no organismo, seja no físico, mental ou em ambos. Utilizadas há séculos por diversos povos e com finalidades distintas, são feitas de ervas, plantas, produtos químicos, entre outros ingredientes.

Esses tipos de drogas, sejam entorpecentes ou alucinógenos, são conhecidos por causarem “boas” sensações, como euforia, energia ou, até mesmo, calma. Seus efeitos a longo prazo, no entanto, são destrutivos e podem causar diversas doenças ao organismo, como câncer, depressão e lesões musculares.

Dito isso, confira as sensações causadas pelas drogas mais consumidas pelos jovens, além dos efeitos de cada uma e as reais consequências desses tipos de drogas em nosso organismo.

Efeitos, consequências, tempo de duração e abstinência de tipos de drogas:

1 – Álcool (goró, mé, caninha, cachaça, birita, pinguinha)

O álcool é um dos tipos de drogas mais consumidas pelos jovens.
O álcool é um dos tipos de drogas mais consumidas pelos jovens. | Foto: Reprodução.

Forma de Ingestão: oral
Duração: 
de 2 até 4 horas
Dependência psicológica: 
alto
Dependência física: 
moderado

Efeitos do Álcool

O Álcool é um dos tipos de drogas semi-sintéticas que se consumida de forma moderada, em curto prazo, causa euforia, quebra das inibições, relaxamento e diminuição da consciência. Já em maiores quantidades, o álcool pode causar náusea e inconsciência. O consumo de álcool a longo prazo ainda pode causar obesidade, psicose, impotência sexual, úlceras, depressão, danos cerebrais e hepáticos, além de poder levar à morte.

A doença mais associada a seu consumo em excesso e a longo prazo é a cirrose hepática, conhecida como cirrose alcoólica. Neste caso, o consumo constante de álcool causa a esteatose hepática, um acúmulo de gordura no fígado que evolui e se torna um carcinoma hepatocelular, um tumor maligno.

Quando a doença evolui para câncer, o doente deve iniciar um novo tratamento, com quimioterapia e radioterapia. Em alguns casos, apenas um transplante de fígado pode reverter o caso, entretanto, a enfermidade pode retornar no outro fígado ou no transplantado.

Efeitos do Álcool no Corpo

Quando o álcool, um dos tipos de drogas existentes, chega ao cérebro, ele estimula os neurônios a liberar serotonina, que regula as sensações de prazer, humor e ansiedade. Por isso, o álcool deixa as pessoas desinibidas e eufóricas. Em seguida, o álcool inibe a liberação de glutamato, que por sua vez inibe o trabalho dos neurônios e faz com que o corpo perca sua coordenação motora.

Em mulheres e idosos, o efeito do álcool é mais suscetível, ou seja, essas pessoas sentem rapidamente os efeitos da embriaguez. No caso das mulheres, isso ocorre devido a retenção de gordura no organismo, repelindo a absorção do álcool pelas células, fazendo com que ele permaneça por mais tempo na corrente sanguínea.

Nos idosos, o efeito é devido às alterações fisiológicas como hipertensão, diabetes, gordura no fígado, entre outras doenças.

Os efeitos do álcool variam de um organismo ao outro e depende da quantidade ingerida.
Os efeitos do álcool variam de um organismo para outro e depende da quantidade ingerida. | Foto: Reprodução.

Sintomas de Abstinência de Álcool

O primeiro sinal da abstinência alcoólica é a ressaca, que ocorre após 12 horas da ingestão da bebida. O álcool é um dos tipos de drogas que em menos de 24 horas o organismo já necessita de mais.

Sintomas como dor de cabeça, enjoo, tontura, sede, palidez e tremores são os primeiros sintomas da abstinência. Após consumo a longo prazo os sintomas são ansiedade, depressão, fadiga, oscilações de humor e falta de clareza de raciocínio.

Para evitar a ressaca recomenda-se beber muita água (antes, durante e depois da bebedeira), beber pouco, beber devagar e com intervalos entre cada copo, garrafa ou lata e se alimentar antes da ingestão de álcool.

Alcoolismo

Chama-se alcoolismo a ingestão descontrolada de álcool por uma dependência, seja física ou emocional. Os dependentes de álcool a esse ponto também são chamados de alcoólatras. Há tratamento, que envolve terapia e até desintoxicação em um hospital ou clínica médica.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 3% da população brasileira com mais de 15 anos é alcoólatra, uma média de 4 milhões de pessoas. Durante a pandemia de Covid-19, o consumo de bebidas aumentou, a frequência de ingestão cresceu de 2,2% para 4,9%.

Curiosidades sobre o Álcool

Muitos acreditam que a bebida alcoólica, um dos primeiros tipos de drogas, teve seus primeiros registros na Pré-História, durante o período Neolítico, quando houve a aparição da agricultura. A partir do processo de fermentação natural, celtas, gregos, romanos, egípcios e babilônicos começaram a consumir e atribuir diferentes significados ao consumo do álcool.

Além disso, na Idade Média o consumo de cervejas era maior que o de água, isso porque o líquido era de baixa qualidade, enquanto a bebida alcoólica era associada a morte de bactérias e a prevenção de doenças.

2 – Cigarro (fumo, cigarrete, pito, estoura-peito, careta)

Os efeitos do cigarro no organismo.
Os efeitos do cigarro no organismo. | Foto: Reprodução.

Forma de ingestão:  oral
Duração: 
de 30 minutos até 4 horas
Risco de dependência psicológica: alto
Risco de dependência física: 
alto

Efeitos do Cigarro

Em curto prazo e em quantidades moderadas, o cigarro causa relaxamento e contração dos vasos sanguíneos, considerado um dos tipos de drogas com menor efeito de bem-estar. Em grandes quantidades, contudo, o cigarro pode causar dores de cabeça, perda de apetite e náusea. Em longo prazo, prejudica a respiração, pode causar doenças cardíacas, diferentes tipos de câncer e pode levar à morte.

As doenças mais relacionadas ao tabagismo são o enfisema pulmonar e o câncer de pulmão. Ambas prejudicam o funcionamento do órgão e dificultam a respiração do enfermo. O cigarro, contudo, não é a única causa para as enfermidades em questão, cânceres, em sua maioria, são de predisposição genética, enquanto o enfisema pode ser causado por outras doenças e substâncias.

Efeitos do Tabaco No Corpo

Ao entrar em contato com os vasos capilares dos pulmões, a nicotina se mistura com o sangue já oxigenado, chega até o coração e consequentemente é bombeada para todo o corpo. Este processo é tão rápido que atinge o cérebro entre 6 e 10 segundos. No cérebro, as moléculas da nicotina se prendem aos neurônios, inicialmente os deixando relaxados, mas posteriormente agitando-os e fazendo com que seja necessária uma nova dose de nicotina para acalmá-los.

O cigarro é um dos tipos de drogas sintéticas, composto de nicotina, alcatrão e monóxido de carbono.
O cigarro é um dos tipos de drogas sintéticas, composto de nicotina, alcatrão e monóxido de carbono. Foto: Reprodução.

Sintomas de Abstinência de Cigarro

Assim como outros tipos de drogas, a abstinência de cigarro provoca os seguintes sintomas: oscilação de humor, tremores, aumento de suor, aumento de apetite, aperto no peito e tosse, secreção nasal, insônia, prisão de ventre, tristeza e, em alguns casos, quadros depressivos. Essas manifestações, no entanto, são passageiras e quando o organismo está livre da nicotina, a abstinência passa, deixando apenas o desejo de fumar.

Cigarro Eletrônico

cigarro eletrônico é um aparelho mecânico e eletrônico que simula um cigarro, e assim permite uma “imitação” do ato de fumar.

O cigarro eletrônico produz vapor inalável com ou sem nicotina, e pode vir com sabores variados, como café, laranja, menta, etc. Hoje age como uma alternativa ao fumante, por proporcionar sabor e a sensação física similar à da fumaça do tabaco, mesmo que não tenha tabaco, nem combustão e nem fumaça.

O cigarro eletrônico faz muito menos mal que o tabaco, por conter um número significativo de toxinas a menos que o cigarro convencional. Ainda assim, a seu próprio modo, o cigarro eletrônico faz mal, e deve ser usado com consciência.

Curiosidades sobre o tabaco

O consumo do tabaco iniciou-se com fins medicinais e como um acessório cerimonial. Os indígenas da América Central, há cerca de 1000 a.C, usavam o tabaco em rituais mágicos e religiosos, para purificar e fortalecer os guerreiros. Eles acreditavam também que com o uso do tabaco podia prever o futuro.

3 – Maconha (baseado, erva, mato, cabrobró, cigarrinho do capeta, brizola, verdinho)

Os efeitos da maconha no organismo.
Os efeitos da maconha no organismo. | Foto: Reprodução.

Forma ingestão: oral
Duração: de 2 até 4 horas
Risco de dependência psicológica: moderado
Risco de dependência física:
 nenhum

Efeitos da Maconha

A maconha é um dos tipos de drogas naturais mais conhecidas no mundo. Se consumida em quantidades moderadas, causa relaxamento, quebra das inibições, alteração da percepção, euforia e aumento de apetite. Em grandes quantidades, no entanto, pode causar pânico e ansiedade. O consumo a longo prazo pode causar fadiga e psicose.

Não há nenhuma doença que esteja diretamente relacionada ao uso de maconha, entretanto, problemas pulmonares, como câncer e enfisema, problemas mentais, como demência, podem ser causados pelo uso do entorpecente, mas não está diretamente relacionado.

Efeitos da Maconha no Corpo

A maconha, especialmente aquelas com alto teor de THC (Tetra-Hidrocanabinol), faz o mesmo caminho do cigarro no organismo. A fumaça da maconha no pulmão entra em contato com o sangue, chega ao coração e lá causa um aumento do batimento cardíaco. Em um curto espaço de tempo chega ao cérebro, atinge os neurônios e diminui a pressão sanguínea, pois dilatam os vasos. Este é o motivo da vermelhidão nos olhos.

O uso da maconha pode causar aumento da frequência cardiaca, dilatação dos vazos sanguíneos e mudança no apetite de seus usuários.
O uso da maconha pode causar aumento da frequência cardíaca, dilatação dos vasos sanguíneos e mudança no apetite de seus usuários. | Foto: Reprodução.

Sintomas de Abstinência de Maconha

Os sintomas mais frequentes para a abstinência da maconha são a oscilação de humor (podendo chegar a depressão), insônia, diminuição do apetite, perda de peso e dores musculares, como desconforto físico e arrepios.

Quando consumida com THC, os efeitos da abstinência são mais fortes no organismo do usuário, assemelhando-se aos sintomas de abstinência de drogas do tipo sedativa.

Curiosidades da Maconha

A Cannabis é uma erva nativa da Ásia Central e Meridional, que se espalhou pelo mundo afora com registros de seu consumo com fins religiosos, por povos africanos, chineses, indianos, muçulmanos, cristãos, entre outros. Com o passar do tempo, o consumo de maconha também foi associado a fins medicinais, mas no início do século XX começou a ser proibida em países como Estados Unidos e África do Sul.

Para fins medicinais é utilizado o óleo da Cannabis que funciona como um relaxante natural, utilizado para diminuir o estresse de pessoas e, até mesmo, em animais. Os estudos sobre os benefícios do canabidiol começaram na década de 60 e concluiu-se seus efeitos analgésicos, anti-inflamatórios e anticonvulsivantes.

4 – Lança-Perfume (loló, lança, bico verde, abelhinha)

O lança-perfume é um dos tipos de drogas associadas ao Carnaval e a foliões.
O lança-perfume é um dos tipos de drogas associadas ao Carnaval e aos foliões. | Foto: Reprodução/G1.

Forma ingestão:  nasal/oral
Duração:  de 30 segundos até 30 minutos
Risco de dependência psicológica: 
moderado
Risco de dependência física: 
nenhum

Efeitos do Lança

Consumida em quantidade moderada, o lança-perfume causa excitação, alucinação, formigamento nas extremidades do corpo e ruídos nos ouvidos. Em grandes quantidades pode causar desmaios, déficit de atenção, dificuldades de concentração e lesões no fígado.

Se usado a longo prazo, a droga pode causar lesões na medula óssea, problemas cardíacos, como arritmias e infartos, e, em alguns casos, o uso pode causar a morte.

Efeitos do Lança-Perfume No Corpo

O lança-perfume age diretamente no sistema nervoso central. Quando inalado, faz o mesmo caminho do cigarro: a partir dos pulmões ele vai para o sangue, que é bombeado para o cérebro. Já no cérebro, a substância do lança entra em contato com os neurônios, que não se recompõem quando destruídos e aumentam os batimentos cardíacos em até 180 por minuto. Assim que inalada, esta droga age entre 5 e 10 segundos.

Lança Perfume efeitos, sensações, tempo de duração e abstinência
Lança-perfume: efeitos, sensações, tempo de duração e abstinência.

Sintomas de Abstinência de Lança-Perfume

O lança é um dos tipos de drogas que seus sintomas aparecem após o primeiro uso. Essas manifestações são de intensidade baixa, mas causam agitação, ansiedade, tremores, insônia e necessidade extrema da substância.

Se usada com outras drogas, o loló pode ser letal e seus sintomas de abstinência tornam-se mais fortes, causando, em alguns casos, depressão.

Curiosidades

O lança-perfume chegou ao Brasil em meados do século XX, quando apareceu no Rio de Janeiro e se tornou símbolo do carnaval carioca. Inicialmente, os foliões esguichavam o líquido do frasco, em tom de brincadeira, causando sensação refrescante, agradável e perfumada. Posteriormente, começou a ser inalada pelos foliões por dar a sensação de excitação e euforia.

Atualmente, o lança é um dos tipos de drogas associados ao Carnaval e a festas de rua, como bailes funk, entre outras comemorações com jovens.

5 – LSD (doce, ácido, papel, papelzinho, chapeleiro maluco, lisérgico)

O LSD (ácido) é um dos tipos de drogas chamadas de sintéticas, pois são produzidas em laboratório.
O LSD (ácido) é um dos tipos de drogas chamadas de sintéticas, pois são produzidas em laboratório. | Foto: Reprodução.

Forma ingestão: oral
Duração: de 1 até 8 horas
Risco de dependência psicológica: 
baixo
Risco de dependência física: 
nenhum

Efeitos do LSD

Em quantidades médias, o LSD causa alteração da percepção visual, dilatação das pupilas, aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial, sudorese, boca seca, perda de apetite e insônia. Em maiores quantidades, podem levar o usuário a exaustão, tremores, vômito, ataques de pânico e ansiedade. Em longo prazo pode causar psicose.

A experiência com ácido pode variar de acordo com seus sentimentos, pois é uma substância que afeta, diretamente, o psicológico do usuário. Quando uma má experiência é relatada, o termo bad trips (viagens ruins) é utilizado e esses momentos podem durar dias ou semanas dependendo da quantidade ingerida da droga.

Efeitos do LSD No Corpo

Ao ser ingerido, o LSD causa alterações na atividade do córtex visual e aumenta a comunicação desta região do cérebro com outra área conhecida como parahipocampo. O parahipocampo está diretamente associado à capacidade de formar imagens na mente e na memória pessoal. É daí que surgem as alucinações e o aumento da percepção visual.

 O LSD é um dos tipos de drogas que se popularizou com o movimento psicodélico na década de 60 e 70.
O LSD é um dos tipos de drogas que se popularizou com o movimento psicodélico na década de 60 e 70. | Foto: Reprodução.

Sintomas de Abstinência de LSD

Entre todos os tipos de drogas, o LSD é uma das únicas substâncias que não causam nenhum sintoma físico em períodos de abstinência. A droga, entretanto, possui sintomas mentais de abstinência, pois os quadros psicóticos podem se agravar no período sem a substância.

Curiosidades sobre LSD

Na década de 60, o LSD era fornecido gratuitamente para cientistas interessados em ter um entendimento melhor do comportamento de um esquizofrênico. Em um futuro próximo, a droga foi utilizada para tratamento contra alcoolismo e disfunções sexuais. O LSD se popularizou junto ao movimento psicodélico, que se deu na Inglaterra na mesma década de 60, quando tomou conta das baladas e do cenário musical.

6 – Anfetamina (ecstasy, bala, balinha colorida, MDma, md)

Efeitos da anfetamina
Efeitos da anfetamina no organismo do usuário. | Foto: Reprodução.

Forma ingestão: oral
Duração: de
1 até 8 horas
Risco de dependência psicológica: alto
Risco de dependência física: 
nenhum

Efeitos da Bala Droga

A curto prazo, em quantidades médias, a bala causa excitação, euforia e diminuição de apetite. Já em maiores quantidades, pode causar inquietação, irritabilidade, insônia, desarranjos estomacais e convulsões. Em longo prazo, pode causar problemas dermatológicos, subnutrição, alucinações e psicose.

Além das “boas” sensações, de energia e agitação, o ecstasy pode provocar sensações ruins no corpo do usuário, sem relações com a abstinência. Após a ingestão, ocorre o aumento da temperatura do organismo, tensão muscular (impedindo movimentos), enrijecimento dos membros inferiores e da coluna e oscilação da pressão arterial.

Efeitos da Droga Bala No Corpo

A anfetamina promove alterações nos neurotransmissores do cérebro chamados dopamina e serotonina, o que deixa o usuário mais alerta e traz sensação de bem-estar. Também deixa o usuário mais comunicativo e com melhor desempenho intelectual.

Efeitos da Droga Bala No Corpo
A anfetamina já foi usada como estimulante na 2ª Guerra Mundial. | Foto: Reprodução.

Sintomas de Abstinência

Assim como outros tipos de drogas, os sintomas mais frequentes da abstinência de anfetamina são a ansiedade, fadiga, paranoia, variações de humor e depressão. A longo prazo, a droga pode causar quadros psicóticos, que durante o período de abstinência podem se intensificar.

Pessoas que estão se desintoxicando desse tipo de droga devem, além do tratamento com fármacos, ter acompanhamento psicológico, realizar meditações, entre outras atividades tranquilas.

Curiosidades sobre Anfetamina

A anfetamina começou a ser utilizada em larga escala durante a Segunda Guerra Mundial, para manter soldados acordados e mais ativos. Com o uso, perceberam também que diminuía a sensação de fome e fadiga.

7 – Cocaína (pó, coca, farinha, albino, brilho, ratatá)

A cocaína é um dos tipos de drogas semi-sintéticas.
A cocaína é um dos tipos de drogas semi-sintéticas. | Foto: Reprodução.

Forma ingestão: nasal
Duração: 
4 horas
Risco de dependência psicológica: 
alto
Risco de dependência física: 
alto

Efeitos da Cocaína

Em curto prazo e em quantidades médias, a cocaína causa sensação de auto confiança e vigor intenso, semelhante a outros tipos de drogas, como o álcool. Já em maiores quantidades, causa irritabilidade e depressão. Em longo prazo pode causar danos no septo nasal, nos vasos sanguíneos, problemas de dentição, falta de nutrientes, perda de capacidade analítica e pode causar psicose.

Além disso, usuários de cocaína podem desenvolver problemas cardíacos como pressão alta permanente, taquicardia e arritmia. Dores intensas no peito são comuns em usuários da droga.

Efeitos da Cocaína No Organismo

Quando aspirada, a cocaína age no sistema nervoso periférico, inibindo a reabsorção, pelos nervos, da norepinefrina  (algo semelhante a adrenalina). Desta forma, ela potencializa o estímulo dos nervos. Ela também estimula o sistema nervoso central, agindo de forma similar à anfetamina.

Cocaína era muito usada por povos nativos da América do Sul.
A cocaína era muito usada por povos nativos da América do Sul. | Foto: Reprodução.

Sintomas de Abstinência de Cocaína

De maneira distinta a outros tipos de drogas, a abstinência de cocaína ocorre em três etapas: o crash, a síndrome disfórica tardia e a extinção. Na primeira fase, o usuário passa por alterações de humor, ficando instável em suas relações e, em alguns casos, tornando-se agressivo. A segunda fase é marcada por um período de letargia e tristeza, com duração de até 10 semanas. A terceira, e última fase, é quando os sintomas físicos e mentais de abstinência passam e a pessoa está completamente limpa.

Entre os sintomas principais estão o cansaço, aumento do apetite, irritabilidade, ansiedade, depressão, perda da capacidade de sentir prazer, distúrbios do sono, retardamento psicomotor e, às vezes, ideação suicida e “fissura” pela droga.

Curiosidades sobre a Cocaína

A folha de coca já era consumida por povos nativos da América do Sul há mais de 5 mil anos, para suportar a fome, a sede e o cansaço. Com a chegada dos espanhóis, a coca acabou sendo usada para fins medicinais, como a cura de resfriados, feridas e para suportar a dor de ossos quebrados. Mais tarde, a cocaína se popularizou como tratamento para toxicodependência de morfina.

Drogas ilícitas

No Brasil há duas maneiras de se classificar uma droga, além de sua composição e fabricação, considerando-a lícita ou ilícita. As drogas ilícitas, como o próprio nome indica, são aquelas proibidas por lei a ser comercializadas e utilizadas em espaços públicos.

Estas drogas, no entanto, são algumas das mais consumidas pelo povo brasileiro, motivando o tráfico de drogas dentro do País. Os tipos de drogas ilícitas são:

  • Maconha: a maconha está entre as diversas drogas consideradas ilícitas no Brasil e em diversos países do mundo. Além da Cannabis Sativa, as outras derivações da planta são proibidas no País de serem plantadas ou consumidas, seja para uso próprio ou indicação médica.
  • Cocaína: feita da folha de coca, esta droga sintética é proibida no Brasil, seja para venda ou consumo. Além da cocaína, outros tipos de drogas feitas à base de coca são consideradas ilícitas no País.
  • Crack: a sexta droga mais consumida no Brasil é o crack, uma droga sintética e ilícita, comercializada pelo tráfico dentro do País. Este entorpecente é extremamente viciante e seu uso é associado às camadas mais pobres da sociedade.
  • Bala/ecstazy/balinha/MDMA: esta droga com tantos nomes está entre os inúmeros tipos de drogas ilícitas dentro do Brasil. Seu uso é proibido em diversos outros países, contudo, é facilmente encontrado dentro de festas e raves, onde jovens utilizam pura ou dentro de suas bebidas.
  • LSD: conhecida por ácido, esta droga tão popular na década de 60 e 70 está entre as proibidas para venda e consumo no País. O mercado de LSD brasileiro é menor do que o das drogas citadas acima, porém, a droga pode ser encontrada nos carnavais de rua e festas.
  • Heroína: esta droga pode ser administrada de outras formas, no entanto, a maneira mais usual é a injetável. Seu uso pode oferecer diversos riscos à saúde e por isso é proibida em diversos países do mundo, inclusive no Brasil. Assim como o crack, a dependência por heroína é instantânea e requer tratamento com medicamentos e psicólogos em seu processo de desintoxicação.
  • Morfina: feita a base de opióides, a morfina é um remédio analgésico utilizado por médicos para anestesias. A droga, no entanto, é viciante e seu uso e venda se tornou ilegal dentro do País sem autorização médica. Além disso, o anestésico foi substituído por outras, para que o número de usuários diminua gradualmente.
  • Ópio: todas as drogas que possuem ópio como ingrediente base são ilegais dentro do Brasil devido aos riscos à saúde humana. Entre os opióides mais conhecidos estão o Fiorional com Codeína, Tylenol com Codeína, Empirin com Codeína, Roxanol, Duramorph, Demerol, Actiq, Duragesic, Sublimaze, OxyContin, Percodan, Percocet, Tylox e Dilaudid.
  • Anfetaminas: até pouco tempo usada em remédios, as anfetaminas foram consideradas drogas ilícitas no País devido ao seu poder viciante e os danos ao organismo humano.
  • Barbitúricos: utilizados em antidepressivos, sedativos, anticonvulsivos e hipnóticos, está é um dos tipos de drogas ilícitas que existem no Brasil. Os barbitúricos, contudo, podem ser vendidos sob prescrição médica em poucos casos.
  •  Chá de Ayahuasca: Mesmo considerado por muitos uma droga ilícita, por seu poder alucinógeno e pelos malefícios à saúde, este chá é considerado pela constituição brasileira uma droga lícita, pois seu uso está ligado a rituais religiosos do País.

Drogas lícitas

Enquanto a lista de drogas ilícitas é extensa no Brasil, os tipos de drogas lícitas são bem menores. Essas drogas podem ser vendidas livremente no País, no entanto, seus usuários devem ser maiores de idade, ou seja, devem ter completado 18 anos para comprar e usar tais produtos.

Os tipos de drogas lícitas comercializadas no Brasil são:

  • Bebidas alcoólicas: as bebidas alcoólicas são as drogas lícitas mais populares no Brasil, sendo a mais consumida pelos brasileiros. A droga, contudo, só pode ser comercializada para maiores de 18 anos e diversas restrições são feitas em relação a seu consumo, como a proibição da ingestão de álcool antes de conduzir um carro, moto ou outro tipo de veículo.
  • Tabaco: consumido através de cigarros, charutos, cigarretes, entre outros meios, o tabaco está entre os tipos de drogas lícitas consumidas no País. Além deste componente, outros são encontrados na composição dos cigarros, como a nicotina, que também é aceita no Brasil.
  • Medicamentos não prescritos: vendidos livremente nas farmácias, esses medicamentos podem ser comprados por qualquer pessoa sem ser necessário uma receita médica. Mesmo que não sejam proibidos, essas drogas possuem seu nível de dependência, além de serem nocivas ao organismo humano se foram ingeridas de maneira exacerbada.

Drogas Sintéticas

Além de serem lícitas ou ilícitas, as drogas podem ser divididas em mais três categorias, referentes ao seu processo de fabricação, sendo sintética, semi-sintética ou natural. As drogas sintéticas são aquelas produzidas a partir de componentes químicos realizados e elaborados em laboratório.

Quais os tipos de drogas sintéticas?
Quais os tipos de drogas sintéticas? | Foto: Reprodução.

Os tipos de drogas sintéticas são:

  • LSD;
  • GHB;
  • Bala/ecstasy, balinha, MDMA;
  • Anabolizantes;
  • Quetamina;
  • Inalantes;
  • Efedrina;
  • GLP;
  • PCP;
  • Cetamina;
  • DOB;
  • PMA;
  • PMMA;
  • Ice;
  • MPTP.

Drogas Semi-Sintéticas

As drogas semi-sintéticas são produzidas a partir da manipulação de elementos naturais por processos químicos ou a partir da mistura de ingredientes sintéticos e naturais.

Quais os tipos de drogras semi-sintéticas?
Quais os tipos de drogras semi-sintéticas? | Foto: Reprodução.

Entre os tipos de drogas semi-sintéticas estão:

  • Heroína;
  • Crack;
  • Cocaína;
  • Morfina;
  • Merla;
  • Oxi.

Drogas Naturais

As drogas naturais, como o nome indica, são feitas e derivadas de plantas e raízes que possuem efeitos calmantes, alucinógenos, entre outros. Elas alteram a percepção da realidade, afetando, principalmente, a parte psíquica dos seres humanos e, por isso, provocam dependência física e psicológica como as sintéticas e semi-sintéticas.

Quais os tipos de drogas naturais?
Quais os tipos de drogas naturais? | Foto: Reprodução.

Os tipos de drogas naturais existentes são:

  • Maconha;
  • Ópio;
  • Cogumelos alucinógenos;
  • Chá de Trombeteira;
  • Chá de Iboga;
  • Chá de Ayahuasca.

Quais os tipos de drogas mais usados?

No mundo, as drogas mais utilizadas são as lícitas, que são em sua maioria, o álcool e o tabaco, além de remédios e outros fármacos. No Brasil, segundo estudo realizado pela Fiocruz em 2020, as 10 drogas mais utilizadas no País são:

  • 10º – Drogas injetáveis: drogas injetáveis como soníferos, opiáceos, heroína, entre outros, estão entre os mais usados no Brasil. Segundo a Fiocruz, 591 mil pessoas admitiram ter contato com essas substâncias, enquanto 246 mil admitem o uso no último ano e 34 mil injetaram alguma droga ao longo das quatro semanas anteriores.
  • 9º – Bala/ecstasy/MDMA: uma das drogas sintéticas mais conhecidas no País, o ecstasy já foi experimentado por mais de um milhão de brasileiros, com 235 mil pessoas utilizando-o no último ano e 53 mil em um intervalo de 30 dias.
  • 8º – LSD: por mais que seu mercado seja pequeno, o LSD ou ácido é a oitava droga mais usada no Brasil. Do tipo sintética, ela já foi experimentada por 1,2 milhão de brasileiros, sendo que 289 mil admitiram o uso no último ano e 60 mil no mês anterior à pesquisa.
  • 7º – Solventes: o principal componente do lança, ou popularmente conhecido como loló, é a sétima droga mais consumida no País. O estudo aponta que essas drogas estão entre as mais experimentadas em todo o Brasil, com cerca de 4,2 milhões de pessoas admitindo seu uso. Quando o número se refere ao uso contínuo, seja em um ano ou em um mês, o total de usuários cai para 318 mil (no último ano) e 86 mil (no último mês).
  • 6º – Crack: De acordo com o estudo da Fiocruz, 1,3 milhões experimentaram o crack, 451 mil tiveram contato com a droga em um ano e 172 mil pessoas usaram no mês anterior a pesquisa.
  • 5º – Cocaína: a cocaína está entre as substâncias mais usadas no País, com 4,6 milhões de brasileiros admitindo seu uso em algum momento de suas vidas. Esse número, no entanto, diminuiu quando foram questionados a respeito da frequência de uso, com 1,3 milhão afirmando o contato com a substância no último ano e 461 mil no último mês.
  • 4º – Maconha: Segundo o estudo realizado em 2020, 11,7 milhões de brasileiros experimentaram maconha pelo menos uma vez na vida, contudo, o número caiu para 3,8 milhões de usuários da droga no último ano e 2,2 milhões no último mês.
  • 3º – Medicamentos: Uma droga que pode ser do tipo lícita e ilícita, os medicamentos estão no TOP 3 das drogas mais consumidas no Brasil e no mundo. Devido a sua facilidade de obtenção, os fármacos estão na vida de mais de 6 milhões de brasileiros.
  • 2º – Tabaco: De acordo com a Fiocruz, 26,4 milhões de brasileiros já fizeram uso de produtos com tabaco, o que representa 17,3% da população nacional. Aqueles que experimentaram cigarros industrializados, no entanto, representam um valor bem maior, de cerca de 51 milhões de pessoas, sendo os homens a maior porcentagem de usuários. 21 milhões de brasileiros afirmam ter fumado no último ano, enquanto 4,9 milhões confirmam que fumaram no último mês.
  • 1º – Bebidas Alcoólicas: o álcool é a droga ilícita mais utilizada no Brasil, com cerca de 66,4% da população admitindo seu uso pelo menos uma vez na vida. Já 43,1% informaram ter bebido no último ano e 30,1% no último mês.

Leia também o que acontece no corpo quando misturamos drogas.

E há ainda as drogas que são legalizadas – embora letais.

E veja ainda os famosos antes e depois das drogas.

8 Comentários

  1. jose almeri
    3 anos ago

    é verdade que;
    as drogas causa muitos efeitos colaterais nos seres humanos isso é fato
    mas, os cientistas podem amenizar outros recursos para que os humanos não se enlaça neste mundo tão tenebroso, pois a melhor forma de viver a vida, em drogas nenhuma, parece um pesadelo, principalmente para os jovens dessa geração. no entanto; ganhar dinheiro fácil; parece um mistério sem fim para a sociedade, e para as autoridades do mundo todo. mas em breve eu tenho certeza que; o deus do céu vai arruinar aqueles que; arruínam a terra com tantas fontes de psiquiatrias diversas, e dai vem a morte, vem as consequèncias
    de uma vida, sem os sabores reais da natureza que Deus criou para todos nós, que vivem em um paraíso, sem drogas.

    • Ilo
      3 anos ago

      Fala isso mas deve fumar e beber , deus n condena a qm usa drogas , as drogas tem diversas funçoes , n eh atoa q a droga psicodelica mais forte do mundo ,eh produzida na glandula pineal do ser humano , em 80 espécies de planta e todos os mamiferos , tbm presente na formação do feto

  2. Ismael Ribeiro
    3 anos ago

    Gostaria de saber quanto tempo cada tipo de droga citada acima demora pra sair completamente do organismo do indivíduo que a usa?

    • 3 anos ago

      Quais os tipos de drogas e o tempo que elas ficam em nosso organismo?

      O Álcool tende a ser identificado entre 3 a 5 dias pela urina, 10 a 12 horas na corrente sanguínea e até 90 dias pelo cabelo. As Anfetaminas ficam na urina entre 1 a 3 dias, estão presentes no sangue cerca de 12 horas, e no Cabelo em até 90 dias. A Maconha, a que mais tem demora a ser expelida, fica identificável pela urina de 7 a 30 dias, no Sangue Cerca de duas semanas e no cabelo por até 90 dias.

      A Cocaína poderá ser identificada pela urina se feita até 3 a 4 dias, no sangue de 1 a 2 dias e no cabelo por até 90 dias. A Heroína pela Urina é identificada até o 3º ao 4º dias de consumo, no sangue Até 12 horas e no cabelo por Até 90 dias.

      O Ecstasy poderá ter substâncias avaliadas na urina por até 3 a 4 dias, no sangue por 1 a 2 dias e no Cabelo em até 90 dias. Por fim, a Morfina que pode ser identificada na Urina por 2 a 3 dias, no Sangue: 6 a 8 horas e no Cabelo por até 90 dias.

    • Joacir Ferreira
      3 anos ago

      No caso dos sintéticos fica por muito tempo no organismo. Mas cerca de 6 meses não é mais detectado nos exames de sangue convencionais.

  3. 2 anos ago

    Seus artigos são bem informativos, vendo que muitas pessoas buscam informações relevantes, muito bom quando encontramos conteúdo de qualidade como esse, parabéns.

  4. Seus artigos são bem informativos, vendo que muitas pessoas buscam informações relevantes, muito bom quando encontramos conteúdo de qualidade como esse, parabéns.

  5. cristiano massur da silva
    2 anos ago

    Ótimo artigo, com certeza tirou muitas dúvidas. Mas tem informações que deixaram desejar, não tenho o conhecimento de todas as drogas, em cocaína não tem duração de 4 horas e sim entre 8 e 10 horas. Gostei muito do artigo. Não sei se usa o blog ainda, mas esta incorreto a palavra ”nenhum” por ”nunhum”.

Tags mais acessadas