Digital Influencer: os mediadores entre marcas e público
Menu & Busca
Digital Influencer: os mediadores entre marcas e público

Digital Influencer: os mediadores entre marcas e público

Home > Lifestyle > Digital Influencer: os mediadores entre marcas e público

A partir do avanço das mídias digitais e sua interferência sobre a opinião pública, foi surgindo a profissão que denominamos de Influenciador Digital (Digital Influencer). Assim, sendo uma forma pela qual os usuários da Internet ganham destaque e relevância, seja ela social ou profissional. 

O que é um Digital Influencer?

São pessoas, marcas ou grupos que possuem a capacidade de influenciar outros indivíduos na tomada de decisões em relação a estilo de vida ou consumo. Atuam em nichos específicos, por exemplo: beleza, viagens, decoração, alimentação, empreendedorismo, entre outros. Fazendo das redes sociais, seja ela Instagram, Facebook, Twitter ou YouTube, sua ferramenta de trabalho.

Segundo a revista Forbes, uma das mais importantes no mundo do Marketing Digital, o perfil influenciador apresenta um público fiel e engajado em seus canais on-line. E seu poder de intervenção no processo decisório dos seus seguidores é dado, pois, este indivíduo criou um relacionamento social diário de confiança, publicando frequentemente sobre o tema.

Digital Influencer
Digital Influencer. | Foto: Reprodução.

Como classificar os criadores de conteúdos digitais por números de seguidores?

  • Mega influenciador: pessoas com mais de 1 milhão de seguidores, são eles: Whindersson Nunes, Boca Rosa, Neymar e Anitta.
  • Macro influenciador: perfis com 500 mil a 1 milhão de seguidores. Por exemplo: Olé do Brasil, Futirinhas, Fábio Rabin.
  • Intermediário: contas que variam de 100 mil a 500 mil seguidores, como: Sarah Fonseca, 44 Arquitetura, Badgallore, Gabi de Pretas.
  • Micro influenciadores: possuem entre 10 mil a 100 mil seguidores, exemplificando: Babi Brum, Karine Abreu, Maria Chantal. 
  • Nano influenciadores: menos de 10 mil seguidores. Tal como: Polly Santiago, Luana.maemarqueteira. 

Nesses dois últimos pontos, o potencial do marketing de influência é agudo devido ao pequeno nicho. Por consequência, permite que o seguidor tenha a sensação de estar mais próximo ao criador de conteúdo, fazendo com que a capacidade de convencimento do público seja maior. Aliás, possibilita a afirmação da relação de confiança do blogueiro com seu fã.

O que é o Tripé da Influência?

Segundo Cassio Politi, especialista em Content Marketing, o Tripé consiste em três aspectos que indicam seu bom desempenho como criador de conteúdo.

1. Alcance: diz respeito à aptidão que um influenciador tem de espalhar a sua mensagem. Se ele tem muitos seguidores, seu alcance tende naturalmente a ser grande. Mas, se os seus seguidores também tiverem muitos seguidores, o alcance se torna ainda maior, porque as pessoas compartilham os posts.

2. Relevância: é a importância que o influenciador digital tem dentro do seu segmento. Ele não precisa ser popular com milhões de seguidores, basta ser relevante no grupo que se propõe a influenciar.

3. Ressonância: refere-se ao quanto as pessoas estão efetivamente passando a mensagem do influenciador adiante, se está havendo interação e engajamento no interior da sua comunidade. Esse elemento é crucial, uma vez que diferencia influenciadores reais daqueles que compram apreciadores falsos.

A análise do Tripé da Influência é muito significativa para eliminar os erros cometidos por algumas marcas, que avaliam os influencers somente em relação ao número de seguidores, o que não condiz com um referencial valoroso.

Além desse recurso qualificativo, existem plataformas que já efetuam esse trabalho, uma delas é o Klout. Tal mecanismo é um algoritmo desenvolvido para medir o grau de domínio de um canal, sendo usado como um dos parâmetros que o Analista de Mídias Sociais se vale no momento de confrontar os resultados obtidos em relação à força de um perfil.

Como se tornar um Digital Influencer?

Nos últimos anos, com grande parte da população inserida no ambiente digital, principalmente, os jovens, as crianças e, também, os bebês com perfis monitorados pelos pais, já possuem visibilidade no seu grupo de seguidores. Além disso, apresentam um poder de influência que vai se desenvolvendo com seu crescimento particular e ampliação das suas redes. Mas a questão é: como trabalhar no progresso desse perfil?

Antes de começar a ser um formador e difusor de opinião na Internet, é necessário fortalecer a base do seu conhecimento sobre o assunto em evidência. Ou seja, usar conceitos e princípios que fundamentam suas ideias. Com isso, vai se construindo a sua autoridade, tanto no ponto de vista do marketing pessoal como, também, do marketing de relacionamento nas suas páginas. 

Outro ponto-chave são as parcerias, que expressam uma das estratégias mais eficientes do marketing digital e são utilizadas pelas marcas/empresas, pois caracteriza-se como a ponte perfeita entre o produto e o cliente, bem como promove mais interação ao perfil do divulgador, fazendo crescer sua rede de relacionamento.

Para exemplificar esse fato, Hugo Rocha, co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages, realizou uma pesquisa na qual constatou que 92% dos consumidores confiam mais em recomendações de produtos/serviços feitas por pessoas que fizeram uso, e não, simplesmente, pelas marcas fornecedoras.

Portanto, ser um criador de conteúdo digital vai além de apenas publicar opiniões e ideias. Todas as informações afirmadas precisam de premissas consideráveis e é sempre bom citar fontes para possibilitar que outras pessoas tenham acesso a esse material. Ademais, retoma-se o ponto de vista da confiança, uma vez que o seguidor nota que seu conteúdo está pautado em argumentos e experimentações verídicas, ficando longe dos achismos.

_____________________________________
Por Lorenna Rocha da Cruz – Fala! Uerj

Tags mais acessadas