Home / Colunas / Por favor, me vê 1 litro de jeans!

Por favor, me vê 1 litro de jeans!

Por Bárbara Moura – Fala!Cásper

Me vê 1 litro de jeans!

Na atualidade, muito se fala sobre a importância de economizar água; há várias campanhas incentivando a fechar a torneira ao escovar os dentes ou não passar tanto tempo no banho. Mas será que essas medidas de fato mudariam algo? Será que não há um desperdício muito maior que esse? A resposta é sim e é preciso se conscientizar sobre.

Uma simples calça jeans gasta aproximadamente 11 mil litros de água em sua formação, quantidade suficiente para suprir o consumo residencial de uma pessoa por três meses. O jeans se trata de um material que constitui produtos de moda, obedecendo à lógica da obsolescência programada, que hoje é questionada pelo paradigma da sustentabilidade.

O algodão é o responsável por ser uma das principais cadeias produtivas do Brasil e do mundo, representa parte significativa do PIB brasileiro, emprega direta e indiretamente boa parcela da população brasileira, a área cultivada em território brasileiro ultrapassa 1 milhão de hectares e para cultivar um quilo de algodão são necessários cerca de 30 mil litros de água. Além disso, o Brasil está entre os 5 maiores produtores de algodão mundial (ao lado da China, Eua, índia e Paquistão) e somos o maior consumidor mundial de algodão em pluma. O algodão também consome a maior quantidade de energia em seu processo produtivo (o combustível das máquinas agrícolas que realizam a colheita, a energia das máquinas de fiação e dos processos de lavagem, secagem e ferro de passar). Ou seja, o algodão produz um impacto ambiental negativo enorme.

O jeans é feito majoritariamente do algodão e este recebe 25% dos agrotóxicos consumidos no mundo, segundo o Instituto Ecotece, organização paulista dedicada ao “vestir consciente”; o aspecto desgastado é causado por substâncias químicas como amônia e soda cáustica, que além de altamente poluentes, são prejudiciais à saúde; a fabricação de um jeans provoca a emissão de de 32kg de gás carbônico, o que se compara a andar 150 km de carro; os 16 maiores navios de carga do mundo (que levam os jeans as lojas) emitem tanto enxofre quanto todos os carros do mundo juntos. Ou seja, o bom e velho jeans não é nada sustentável.

Além disso, o impacto ambiental causado por nós, consumidores, é espantoso: somos os responsáveis por 41%, contudo, há pequenas medidas que podem ser tomadas para diminuir esse impacto. Temos o costume de usar o jeans no máximo três vezes e já lavar, o ideal seria lavar apenas uma vez por mês, reduzindo em 48% o impacto na emissão de carbono e 40% a energia gasta e 35% o consumo de água, alías,  secar ao natural seria a melhor opção por ser mais econômico e ecológico. Uma ótima alternativa também é a compra e venda em brechós, é possível encontrar peças em bom estado e por um preço muito mais acessível e é uma medida mais sustentável do que comprar um jeans novo em uma loja comum, pois no brechó há a possibilidade de dar uma maior longevidade para o mesmo. Comprar de quem respeita o meio ambiente é muito importante, procurar se manter informado sobre a produção das marcas mais consumidas.

Pensando em uma opção de jeans sustentável, surge a MIG Jeans. Criada em 2015 por três amigas cariocas – Mayra Sallie, Luana Depp e Isa Maria Rodrigues-, a marca traz o conceito de upcycling. É um processo que dá vida nova a roupas esquecidas no armário, customizando-as. As garotas do MIG Jeans queriam ir além da customização e focar em peças jeans, por ser um material de grande impacto ambiental negativo, apresentar longa duração, ser uma peça básica e de fácil transformação. Iniciativas sustentáveis como essa, que incentivam o consumo mais responsável, muitas vezes são criticadas devido ao valor das peças, mas no caso da MIG, isso não acontece. “Por trabalharmos com peças descartadas, temos um preço de custo menor, o que nos permite ter preços mais acessíveis. Além disso, também faz parte de nosso propósito democratizar a moda sustentável, abrindo oportunidades para diversos públicos. Por isso, trabalhamos com linhas mais acessíveis e a opção de serviço de customização e ação de doação em troca de desconto”, disseram à Elle Brasil.

Uma marca muito famosa e que se preocupa com a questão do desperdício de água é a Levi’s, criando a campanha Water< Less. Os designers da marca se desafiaram a fabricar as mesmas peças já conhecidas mas usando menos água até o estágio final, desenvolvendo mais de 20 técnicas como usar uma quantidade mínima de água e um pouco de ozônio em vez de detergente. A Levi’s também dá dicas para seus consumidores causaram menos impacto ambiental, como trocar o amaciante de roupas por passar jeans com tampas de garrafa e bolas de golfe, retirando a água da lavagem e tendo a mesma sensação de maciez.

Desde o lançamento do processo Water <Less ™ em 2011, foram economizados mais de 1 bilhão de litros de água na fabricação da LS & Co. produtos, incluindo 30 milhões de litros de água doce salvos através da reutilização e reciclagem. Até 2020, a marca Levi’s pretende fabricar 80% de seus produtos usando as técnicas Water <Less ™, um aumento de quase 25% hoje.

 

Confira também

Consciência Negra, muito além do dia 20 de novembro

Por João Guilherme Lima Melo – Fala!PUC   Projeto de lei número 10.639, dia 9 ...

Um comentário

  1. AMEI<3 TÔ APAIXONADA POR VOCÊS!
    CASAM COMIGO???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *