Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Conheça o trabalho de Glória Groove – A drag queen com o poder da música

Conheça o trabalho de Glória Groove – A drag queen com o poder da música

Por: Bruno Cominatto – Fala! Cásper

 

Drag queens vêm se tornando cada vez mais um símbolo de entretenimento no hemisfério norte – mas que tal alguma representatividade nacional?

Indo contra a onda, surge no meio musical a figura de Glória Groove, uma drag que expressa nas suas canções a realidade que teve de encarar tão cedo.

perfil 01

Diretamente da zona leste de São Paulo, Glória ainda vive enfrentando diversos preconceitos. Negra com orgulho, já ouviu muitas recusas por conta de sua pele; gay assumida, não foi tão bem compreendida na sociedade quando apareceu; e, por último, uma queen que lidou com o julgamento por interpretar a personagem com a qual se manifesta musicalmente.

Por algum tempo, se limitou a fazer apenas covers de músicos norte-americanos (Beyoncé, Sia e outros), além de se propor a realizar shows de lip sync, a “dublagem” na cultura drag. No entanto, seu talento natural se sobrepôs ao antigo formato e ela se tornou “a dona da festa toda”, assim como é prescrito em uma de suas músicas, trabalhando com conteúdo original, compondo e dando voz a sua visão de mundo.

império-capa

A cantora uniu o ritmo que escutava enquanto crescia – o hip-hop – com sua caracterização artística. Com muita militância, abre espaço para rimar sobre os desafios que superou em relação a sua classe social, sexualidade e tom da pele –  e trava essa luta a partir da música.

Em janeiro de 2017, Groove lançou seu álbum de estreia, “O Proceder”, disponível em todas as plataformas digitais. O CD conta com os dois primeiros singles, “Dona” (com 1,9 milhão de visualizações no YouTube) e “Império” (com 1,8 milhão de visualizações no YouTube), hit no qual agradece por estar viva, porque é “marginalizada, fraca, estagnada” pela população. Ela já é sucesso no meio LGBT, mas qualquer um está convidado a curtir a batida.

É importante, por fim, deixar claro que um homem utilizar roupas que pertenceriam ao gênero feminino não está relacionado à condição sexual – e nem mesmo define transexualidade.

É uma expressão livre para todos os públicos aderirem, inclusive homens héteros e mulheres. Ser uma Queen, como Glória Groove, é entrar numa personagem da maneira que preferir, e se sentir mais confortável consigo mesmo. É se divertir.

perfil 02

 

Confira também:

– Coletivo Colorido cria movimento para arrecadar doações para a Casa 1

CineSolar: um novo jeito de enxergar a vida!

1 Comentário

  1. 2 anos ago

    Adorei seu site. Conteudo de qualidade e bem organizado. Abraço e sucesso

Tags mais acessadas