Por que nos interessamos tanto pela vida das celebridades?
Menu & Busca
Por que nos interessamos tanto pela vida das celebridades?

Por que nos interessamos tanto pela vida das celebridades?

Home > Lifestyle > Por que nos interessamos tanto pela vida das celebridades?

Se você tem uma conta no Instagram, há grandes chances de seguir pelo menos um(a) celebridade ou subcelebridade. Mas o que são essas pessoas? Não são famosos, porém têm mais seguidores do que a grande maioria das “pessoas comuns” nas redes sociais.

celebridades
Redes Sociais de Celebridades

Estão ali postando dicas de alimentação, dividindo com seus seguidores séries de exercícios, fotos com o pet, vídeos de auto maquiagem, ou de qualquer forma, exibindo suas vidas. E tem muita gente interessada no assunto!  Só para ter uma ideia, o canal da Inês Tânia Lima da Silva, mais conhecida como Inês Brasil (@inesbrasiltv) tem mais de 480 mil seguidores.

Ines Brasil
Inês Brasil participou de uma chamada para a série Orange is The New Black, da Netflix.

Para quem não lembra, a musa dos memes ganhou notoriedade após o vídeo de sua inscrição para o Big Brother Brasil 13 vir à tona, onde ela exibia uma performance bem ousada. Sua “fama” lhe garantiu uma vaga em uma chamada para a famosa série Orange is The New Black, do serviço de streaming Netflix.

A audiência é grande

De acordo com a pesquisa sobre hábitos, frequência e preferências no Instagram, feita em 2018 pelo site opinionbox.com, 51% dos entrevistados afirma utilizar a rede para acompanhar a vida de blogueiros e influenciadores digitais. E esse número parece crescer abruptamente.

É o que fica claro quando analisamos o Instagram de fofocas @garotxdoblog. Em 5 meses de criação, a conta já ultrapassou os 900 mil seguidores. De acordo com o criador, a conta foi criada na época da polêmica entre Débora Nascimento, José Loreto e Marina Rui Barbosa, e tinha como objetivo defender essa última. Os seguidores cresciam exponencialmente a cada novidade no caso e hoje, outros conteúdos foram ganhando espaço na conta.

“Gravidez e nascimento de filhos de celebridades e subcelebridades são os conteúdos que mais geram curtidas e acessos”.

revelou o criador ao Fala! Universidades, que é conhecido por famosos mas prefere ficar no anonimato. Outro personagem que também segue a linha de noticiar a vida das celebridades e subcelebridades é Leo Dias, que além de ter uma conta no Instagram com mais de 3 milhões de seguidores, também faz parte do quadro de apresentadores do programa Fofocalizando, no SBT, que disputa a audiência das tardes com outros dois programas da mesma linha: A Hora da Venenosa na Record e A Tarde é Sua na RedeTV!.

Instagram @garotxdoblog
O Instagram @garotxdoblog atingiu quase 1 milhão de seguidores em 5 meses, noticiando a vida de celebridades e subcelebridades.

Por que nos interessamos pela vida de subcelebridades?

Afinal, por que a vida de pessoas que nem conhecemos – e que quase sempre não tem um conteúdo relevante a oferecer – nos interessam tanto? Seria pouco honesto dizer que não nos interessamos por pelo menos 5% da vida alheia. E essa porcentagem não se refere apenas a parte ruim.

O criador do @garotxdoblog, que tem um dos maiores Instagrams de fofocas atualmente explica:

Nos interessamos pela viagem que nosso vizinho fez, pelo carro ou casa nova que ele comprou. Ficamos felizes com essas conquistas. E quando ficamos sabendo que a filha da vizinha teve um caso com o filho do vizinho casado? Ficamos interessados no desfecho da história. A mesma coisa acontece nas plataformas digitais, especificamente em Instagram de fofoca. As pessoas se interessam em saber o que as celebridades estão fazendo, e que seus perfis oficiais não mostram”.

Fica claro então que as celebridades ou subcelebridades têm um grande público e parece que vai ser assim por um bom tempo. O fato de que o Instagram ocultou o número de curtidas para usuários pode mudar um pouco a forma de divulgação de conteúdo e parcerias para os blogueiros e influenciadores digitais, mas isso só o tempo dirá.

0 Comentários

Tags mais acessadas