BBB21: 3 livros que Rodolffo ganhou para entender melhor o racismo
Menu & Busca
BBB21: 3 livros que Rodolffo ganhou para entender melhor o racismo

BBB21: 3 livros que Rodolffo ganhou para entender melhor o racismo

Home > Entretenimento > Cultura > BBB21: 3 livros que Rodolffo ganhou para entender melhor o racismo

Nesta terça-feira (13), o cantor Rodolffo, ex-participante do BBB21, participou do programa Encontro, com Fátima Bernardes. Sendo eliminado na semana passada, o artista fez uma longa trajetória no reality show. Dessa forma, deu o que falar nas redes sociais, tanto por emplacar seu hit Batom de Cereja – da dupla com Israel – quanto por seus comentários tidos como preconceituosos.

No programa matutino da TV Globo, o famoso contou um pouco de sua história no Big Brother Brasil e foi presenteado pela apresentadora. Assim, a jornalista lhe deu três livros brasileiros para entender melhor o racismo.

bbb21 rodolffo racismo
Cantor no programa da Fátima Bernardes. | Foto: Reprodução/TV Globo.

Rodolffo ganhou livros para entender melhor o racismo após o BBB21

Durante o BBB21, Rodolffo fez alguns comentários preconceituosos. No entanto, desde o início, alertou aos outros participantes de que não sabia quando estava sendo preconceituoso ou não. Segundo ele, em Goiânia, não tinha acesso a pautas importantes – como machismo e racismo – e estava no reality para aprender. Além disso, cresceu em uma estrutura marcada pelo conservadorismo.

Como o artista afirmou diversas vezes que não sabia o que era brincadeira e o que era preconceito, a apresentadora do Encontro, Fátima Bernardes, presenteou o ex-BBB com três livros que tratam o racismo. Sendo assim, a seguir, confira quais obras o cantor recebeu e sobre o que cada uma apresenta.

Torto Arado, de Itamar Vieira Junior

O romance literário de Itamar Vieira Junior é um sucesso. Lançado em 2019, Torto Arado traz a história das irmãs Bibiana e Belonísia que sofreram um trágico acidente na infância e carregam as marcas do ocorrido anos mais tarde. Além disso, como cenário, o autor utiliza a realidade do trabalho escravo atual. Com isso, abordando também a questão racista, patriarcal e conservadora.

torto arado
Livro Torto Arado. | Foto: Reprodução.

O livro, inclusive, foi indicado aos prêmios Oceano e Jabuti de Romance Literário e conquistou ambos. Pelo site da editora Todavia, seu preço alterna entre R$ 57,90 (livro físico) e R$ 34,90 (e-book).

Pequeno Manual Antirracista, de Djamila Ribeiro

A obra de 2019 é um dos grandes sucessos de Djamila Ribeiro e, em 2020, foi o livro mais vendido no Brasil. Em 136 páginas, o Pequeno Manual Antirracista propõe-se a explicar o racismo e suas origens. Ademias, mostra possíveis alternativas para combatê-lo na sociedade contemporânea. Dessa maneira, a filósofa explora as questões sobre negritude, branquitude e violência racial.

rodolffo bbb21
Livro Pequeno Manual Antirracista. | Foto: Reprodução.

De mesmo modo que recebeu a indicação, o manual também conquistou o prêmio Jabuti de Ciências Humanas. Na página da editora Companhia das Letras, o livro físico custa R$ 24,90 e o e-book, R$ 14,90.

Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada, de Carolina Maria de Jesus

O último, porém longe de ser menos importante, foi o livro Quarto de Despejo, da escritora brasileira Carolina Maria de Jesus. Em sua obra, a catadora de papel retrata a triste e injusta vida na favela. Por meio de uma linguagem simples, mas marcada pela sensibilidade, Carolina narra os horrores que vê e a realidade difícil com seus três filhos na comunidade do Canindé, em São Paulo.

Quarto de Despejo
Livro Quarto de Despejo. | Foto: Reprodução.

Assim, a autobiografia é um best-seller tanto no Brasil quanto no exterior. Seu valor mínimo, por sua vez, é R$ 46,92, referente à sua última edição, pela editora Ática.

Trajetória de Rodolffo no BBB21

Como sua trajetória não foi curta, Rodolffo conseguiu acumular momentos bons e polêmicos no BBB21. Dessa forma, formou uma grande amizade com o fazendeiro Caio, com quem dividiu opiniões sobre a casa e ajudou em momentos difíceis, e declarou falas consideradas preconceituosas.

Apesar de ser brincalhão no programa, o cantor sertanejo, muitas vezes, não soube medir o impacto de suas “brincadeiras”. Com isso, acabou demonstrando atitudes machistas, LGBTfóbicas e racistas. Na primeira situação, os internautas o acusaram de machismo após seus dizeres a Carla Diaz em sua indicação ao paredão. De acordo com o famoso, a atriz teria sido “desleal” ao seu affair, Arthur.

Em outra ocasião, Rodolffo debochou da roupa de Fiuk em uma festa, que era um vestido, e teceu comentários homofóbicos a Gilberto. Em seguida, no desafio do monstro da última semana em que esteve no reality show, o sertanejo comparou o cabelo de João Luiz à peruca. Diante disso, internautas e alguns participantes – como o próprio João e sua amiga, Camilla de Lucas – acusaram-no de racismo.

Após o episódio que repercutiu na internet, o cantor pediu desculpa ao brother e a todos que se sentiram ofendidos com o comentário, que não teve intenção pejorativa, conforme ele. Aliás, em meio a isso, antes de sua eliminação, Thiago Leifert comentou sobre a situação no ao vivo e explicou que, no caso de João, seu cabelo não era uma questão de estética, mas de resistência, já que o movimento Pantera Negra utilizava-o como símbolo contra o racismo na década de 1960.

_________________________________
Por Isabela Cagliari – Redação Fala!

Tags mais acessadas