Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Bate Papo com Ralph Peticov

Bate Papo com Ralph Peticov

Ralph Peticov – bate papo

Ralph Peticov trabalha numa cosultoria de markeing chamada Mandalah, a qual leva como base para todos os seus trabalhos a valorização do sentimento e do pensamento humano. Confira uma breve conversa que tivemos com ele, que tem muito o que contar sobre suas experiências, vivências e aprendizados:

  • A sua formação, desde quando você nasceu, foi algo totalmente diferente do que a maioria dos jovens de hoje tiveram como educação, referência e influência. O fato de seus pais serem hippies, com uma vida completamente alternativa, moldou toda a sua perspectiva e concepção de mundo quando criança, o que pesa e pode fazer toda a diferença no momento de você escolher o que quiser fazer da vida, quais serão suas escolhas e suas atitudes. A respeito deste contexto, você acha que faria e traçaria o mesmo caminho que você percorreu, se tivesse passado por uma educação mais conservadora, atrelada ao meio acadêmico, à escola e às convenções sociais presentes hoje na sociedade?

Acredito que se eu tivesse passado por uma educação comum, eu hoje não teria chegado aonde cheguei, ralph 2teria chegado a destinos diferentes, não posso afirmar se seria bom ou ruim. Meu trabalho com inovação hoje é totalmente ligado a essas experiências diferenciadas. Tb posso dizer que não foi nem um pouco fácil para os meus pais assumirem essa posição, houve muitas críticas.

  • Você pode citar alguma outra tribo, mesmo que seja influenciada pelos hippies,  que você se identifica, gostaria muito de conhecer melhor, e que acharia um bom exemplo para uma formação e educação que leve em consideração fatores e pensamentos mais humanos?

Sou muito ligado à cultura “Hacker”, onde a inquietude é um potencializador, a curiosidade é um combustível e o erro é glorificado.

  • Em seu trabalho, dentro da Mandalah, vocês prezam por atitudes e reflexões com preocupações humanas, que levam em consideração a vida das pessoas, suas identidades, seus interesses e sua cultura. Em relação ao Brasil, é possível determinar um perfil único e, de certa forma genérico, que possa descrever nosso povo? Das mais variadas opiniões estrangeiras que você já ouviu pelo mundo a respeito do brasileiro, houve alguma que foi a mais bizarra ou sem sentido? E houve alguma característica brasileira que você mesmo nem tinha notado, e que só percebeu  depois de interpretar a visão estrangeira?

Muito boa pergunta! Parte do nosso trabalho na Mandalah é identificar e mostrar quem são os brasileiros, acredito que o Brasil é um país único, pela sua grandiosidade geográfica e demográfica, um caldeirão de culturas. Sempre tentamos mostrar que o brasileiro é um povo único devido a essa mistura, que mantém unidos os que em outros lugares estariam separados. E que mesmo unidos, mantém suas características locais. Adoro a cultura brasileira e a sua abertura. Mas que uma coisa fique bem clara: nunca tente adaptar o Brasil a sua marca e sim adapte a sua marca ao Brasil.

0 Comentários