5 curiosidades da sociedade brasileira dos anos 60
Menu & Busca
5 curiosidades da sociedade brasileira dos anos 60

5 curiosidades da sociedade brasileira dos anos 60

Home > Entretenimento > Cultura > 5 curiosidades da sociedade brasileira dos anos 60

​Os anos 60 foi um período marcado por constantes revoluções em diversos segmentos da sociedade. Logo, a tecnologia permitiu que diversos avanços fossem realizados e, assim, a televisão conseguiu se consolidar como um dos mais importantes veículos de comunicação. No entanto, a época também foi marcada pelo surgimento de novas tendências na moda, título mundial no futebol e o surgimento da Música Popular Brasileira (MPB). Desse modo, esse período possui grande importância para a história da sociedade de nosso País. Por isso, confira 5 curiosidades sobre essa década que agitou o país.

Curiosidades sobre a década de 60 no Brasil

1. A filosofia hippie era popular entre os jovens

Estilo hippie, popular nos anos 60.
Estilo hippie, popular nos anos 60. | Foto: Reprodução/ Timothy Louis.

O movimento que tem origem nos anos 50, durante a Guerra Fria, ganhou destaque quando um grupo de escritores passaram a criar obras literárias com o objetivo de criticar os valores tradicionais, matrimoniais, estilo de vida e padrões de beleza da sociedade americana e oriental.

Logo, no Brasil, essa mobilização chegou durante a Ditadura Militar. Nesse sentido, os princípios hippies foram adaptados para a sociedade brasileira com o tropicalismo, onde alguns nomes da música nacional, por exemplo, Caetano Veloso e Gilberto Gil, cantavam letras cheias de simbologia e reivindicavam uma nova maneira de fazer música.

As características dos hippies consistiam em um estilo de vida próprio. De modo que, discordavam da cultura dominante e acreditavam que o consumo de drogas alucinógenas abriria a mente para novas oportunidades criativas. Como também, defendiam a liberdade sexual, o amor, respeito pela terra e consideravam que a diferença entre os povos seria resolvida com a paz.

Portanto, a moda hippie era representada por jovens rebeldes com cabelos longos, que se vestiam com blusas e calças largas, estampas florais, faixas na cabeça e os homens possuíam barbas grandes. Além disso, nessa época, surgiram artistas promissores que viviam sob esses princípios. No entanto, o abuso de substâncias tóxicas levaram muitos à morte prematura.

2. Surgimento das roupas unissex e minissaia

As minissaias foram criadas nos anos 60 e viraram tendência no público jovem.
As minissaias foram criadas nos anos 60 e viraram tendência no público jovem. | Foto: Reprodução/ Getty Images.

O comportamento da sociedade também influenciou na moda. De modo que, as empresas buscavam atrair os jovens e, assim, houve uma explosão da juventude em todos os aspectos. Logo, nesse período, as garotas começaram a acompanhar diariamente as novidades com o objetivo de atualizar mensalmente os looks nas lojas.

O destaque dos anos 60 foi o surgimento da minissaia. Nesse sentido, essas saias mais curtas se popularizaram entre as meninas e substituíram as “hot pants”, shortinho famoso entre as garotas da época. Além disso, outra combinação que ficou famosa foram os vestidos tubinhos com botas, geralmente brancas, de cano longo. Como também, surgiram as roupas unissex, por exemplo, o smoking feminino.

As empresas perceberam que os mais novos eram um potencial mercado consumidor e criaram produtos específicos para os jovens, que, pela primeira vez, não precisavam herdar as roupas dos mais velhos, pois agora possuíam sua própria moda. Nessa época, a referência da moda era a modelo Jean Shrimpton, conhecida por representar o estilo “chelsea girls”. Logo, a aparência adolescente combinada com os cabelos longos e franja, olhos maquiados e minissaias era tendência no público feminino.

3. As gírias da época

“Sebo nas canelas!”, “cafona”, “papo furado” essas são algumas gírias que surgiram no período. Além delas, outras expressões eram famosas nos diálogos, como: borogodó (charme), boa pinta (bonito), broto (garota bonita), pão (homem bonito), bulhufas (nada, coisa nenhuma), dar tábua (quando alguém se recusa a dançar), lelé da cuca (maluco) e duvide-o-dó (quando alguém duvida veementemente de algo).

Além disso, uma curiosidade sobre a gíria “sebo nas canelas”, é que ela tem origem no Ceará. Nesse sentido, eram realizadas muitas corridas entre os meninos. Logo, com o tempo, descobriram que, ao passar sebo nas canelas, eles corriam mais rápido. Em contrapartida, o material esquentava e ardia a pele, porém se você corresse mais rápido, o vento aliviava a dor. Por isso, a frase “sebo nas canelas!”.

4. Surgimento da Música Popular Brasileira (MPB)

O tropicalismo, liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil, marcou a sociedade dos anos 60.
O tropicalismo, liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil, marcou a sociedade do anos 60. | Foto: Reprodução/ Portal WSCOM.

É nos anos 60 que acontece a migração da audiência do rádio para a TV. Com isso, as televisões se tornam espaços dominados por artistas de canções engajadas, isto é, músicas brasileiras com letras críticas. Além disso, os festivais musicais, promovidos pela TV Globo, Record e Excelsior possibilitou o surgimento de cantores consagrados no país, como: Chico Buarque, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Elis Regina, Jair Rodrigues, Nara Leão, Roberto Carlos, Geraldo Vandré, entre outros.

A MPB trouxe um novo estilo musical inspirado na Bossa Nova, mas que trazia críticas e traços sociais da sociedade brasileira em suas composições. Como também, foi nessa época que surgiu o Tropicalismo. Em outras palavras, era um movimento liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil que combinava a arte de vanguarda, manifestações da cultura popular e crítica social.

O Tropicalismo influenciou a estética de peças teatrais, filmes, livros, artes plásticas e inspirou artistas como: Maria Bethânia, Gal Costa, Tom Zé, Capinam, Torquato Neto, Os Mutantes e os maestros Rogério Duprat e Júlio Medaglia.

5. O mundo ficou verde e amarelo em 62

"Garrincha foi o principal jogador da competição e comandou a seleção brasileira ao bicampeonato.
Garrincha foi o principal jogador da competição e comandou a seleção brasileira ao bicampeonato. | Foto: Reprodução/ Agência Estado.

O clima de euforia marcou a sociedade brasileira no início dos anos 60. Logo, o motivo foi a conquista da Copa do Mundo de 62, no Chile. No entanto, a competição não foi só de alegrias, pois, na segunda partida, a população viu Pelé, principal jogador da seleção, sofrer contusão e ficar impossibilitado de disputar o torneio. No entanto, Garrincha assumiu o protagonismo e comandou a equipe para o bicampeonato.

Assim, na estreia, vitória por 2 x 0 contra o México. Logo depois, empate em 0 x 0 com a Tchecoslováquia e triunfo por 2 x 1 frente a Espanha. Portanto, a seleção chegou invicta na fase eliminatória, conseguiu a classificação nas quartas com vitória contra a Inglaterra por 3 x 1 e a classificação para a final foi com um triunfo em cima dos donos da casa por 4 x 2. Desse modo, o título mundial veio contra a Tchecoslováquia, adversária na fase de grupos. Dessa vez, triunfo por 3 x 1, com gols marcados por Amarildo, Zito e Vavá. Logo, o país ficou em festa com o bicampeonato mundial.

___________________________________________________

Por Marcus Vinicius Mendes da Costa – Fala! Metodista

Tags mais acessadas