Vício em cafeína: como ele acontece e por quê?
Menu & Busca
Vício em cafeína: como ele acontece e por quê?

Vício em cafeína: como ele acontece e por quê?

Home > Lifestyle > Saúde > Vício em cafeína: como ele acontece e por quê?

A cafeína é um estimulante do sistema nervoso central, da função cardíaca, da circulação sanguínea e da liberação de adrenalina. Em conjunto com a cafeína, a adrenalina estimula uma grande variedade de tecidos, potencializa a contração muscular, eleva o índice de quebra de glicogênio muscular e hepático.

Entre tantos benefícios, como também uma ajuda significativa na memória, fica difícil dizer não ao famoso “cafezinho”, pois ele contribui na diminuição do sono, no aumento da disposição e na melhora do humor.

Vício em cafeína: como ele acontece e por quê?
Café em xícara

O hábito de consumir café não se dá somente devido à substância cafeína, mas ao seu agradável aroma e sabor, além do ambiente social e dos acompanhamentos da bebida, como biscoitos doces, bolos e tortas, por exemplo.

Drogas como a cocaína, morfina e nicotina ativam o circuito cerebral de dopamina que está relacionado ao ciclo de dependência e recompensa e que, mesmo doses baixas, são viciantes. Estudos de mapeamento cerebral indicam que a cafeína não está ligada ao circuito de dependência do cérebro, e assim, não preenche os critérios para ser considerada uma droga de dependência.

Mas então por que a cafeína pode viciar?

Embora a interrupção do consumo de cafeína periódico possa induzir sintomas de privação em alguns indivíduos, eles são, geralmente, de curta duração e podem ser evitados pela redução progressiva da cafeína. Ou seja, programar-se para não exagerar nas quantidades, tomar um dia sim e outro não, ou então uma semana sim e outra não, pode fazer com que você não fique viciado.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, não há prova de que o uso de cafeína tenha consequências físicas e sociais comparáveis às consequências das drogas de abuso. Além disso, o Comitê Antidoping Internacional tirou a cafeína da lista de drogas proibidas para atletas.

Referências:
MELLO, KUNZLER, FARAH, 2007;
III Ciclo Científico da Faculdade São Paulo – FSP, 2015 – EFEITO DA CAFEÍNA NO ORGANISMO;
Associação Brasileira da Indústria de Café – ABIC.

 

Tags mais acessadas