Veja 5 curiosidades sobre a alimentação dos muçulmanos
Menu & Busca
Veja 5 curiosidades sobre a alimentação dos muçulmanos

Veja 5 curiosidades sobre a alimentação dos muçulmanos

Home > Entretenimento > Cultura > Veja 5 curiosidades sobre a alimentação dos muçulmanos

Você já se perguntou alguma vez na sua vida como é a alimentação dos muçulmanos? Pois bem, é o que vamos falar aqui!

Antes de mais nada, caso você ainda não saiba, os muçulmanos são as pessoas que seguem o Islã, uma religião monoteísta centrada na vida e nos ensinamentos do profeta Maomé, seguido por revelações do Arcanjo Gabriel. 

muçulmanos
Veja 5 curiosidades sobre a alimentação dos muçulmanos. | Foto: Reprodução.

Curiosidade sobre a alimentação dos muçulmanos

1. Halal/ Haram/ Mushbook

A primeira curiosidade sobre a alimentação dos muçulmanos é que os alimentos ingeridos por eles são separados através de três aspectos importantes: “Halal”, “Haram” e “Mushbooh”.

A palavra “Halal” significa “permitido”, ou melhor, o que se pode consumir. Essa palavra não é somente usada para a comida, mas para tudo. Assim, quando falamos em “Halal”, sempre será o que se pode fazer, o que se pode ler, o que se pode vestir e entre outras coisas.

Em relação à comida, os alimentos “Halal” são: leite de vacas, ovelhas, cabras, camelas, mel, peixe, plantas que não sejam intoxicantes, legumes frescos ou congelados, frutas frescas ou secas, leguminosas – como amendoim, nozes, castanhas – e grãos – como trigo, arroz, aveia, milho e painço. 

Já a palavra “Haram”, seria o contrário de “Halal”, ou seja, o que não é permitido, proibido. Quando nos referimos à alimentos “Haram”, serão aqueles que os muçulmanos não podem comer. Esses alimentos são: suínos e seus derivados, sangue e derivados de sangue, animais carnívoros, répteis e insetos. Sobretudo, não é permitido animais que não foram abatidos de acordo com a Lei Islâmica, ou abatidos em nome de outros, corpos de animais mortos ou que foram executados antes do abate normal. Também não é aceito beber álcool e intoxicantes como vinho, álcool etílico, licores, entre outros.

E a palavra “Mushbooh” quer dizer incerto, ou seja, aquilo que é duvidoso, suspeito. Quando um muçulmano não tem ideia se a comida é “Halal” ou “Haram”, a comida passa a ser “Mushbook”. Quando isso acontecer, é bom evitar, pois não é 100% seguro.

2. Sangue é Haram

A segunda curiosidade que muitos não devem saber é que o sangue de qualquer animal e pessoa, seja fresco ou coagulado, é um alimento “Haram” na religião islâmica! Isso porque o sangue contém organismos causadores de várias doenças.

Da mesma forma que a carne que contenha muito sangue, também possui um risco grande de contração de doenças causadas por organismos dentro do sangue. Portanto, como vimos anteriormente, deve-se evitar carnes vermelhas, como porcos.

3. Comer animais é permitido?

Falando em animais, a terceira curiosidade é sobre a questão de que muitos dos animais mortos são proibidos para o consumo dos muçulmanos. Na Lei Islâmica, os animais que morrem por causas naturais são considerados como ilícitos ou impróprios para o consumo. Os animais podem também morrer devido a doenças ou ao comer plantas venenosas, sendo por isso impensável considerar a carne desse tipo de animais para alimentação, especialmente para os muçulmanos.

4. É com a mão direita ou a esquerda?

A quarta curiosidade é sobre a forma como os muçulmanos comem suas refeições. Faz parte da tradição e costume dos muçulmanos comerem com a mão direita. Isso mesmo! Por quê?

Eles consideram a mão direita como mão “pura”, enquanto a esquerda é considerada “impura”, sendo relacionada aos hábitos de higiene pessoal.

5. Refeições dos muçulmanos

A última curiosidade sobre as refeições dos muçulmanos é que, de modo geral, são à base de peixes, carne de carneiro, carne de camelo e aves, e também não podem faltar frutas e leguminosas no banquete.

Se você curtiu esse artigo com bastante informação sobre a alimentação dos muçulmanos, não deixe de deixar seu comentário e compartilhar com seus amigos!

______________________________
Por Yasmin Ahmed Hatheyer – Fala! Mack

Tags mais acessadas