Saiba tudo sobre a Primeira Guerra Sino-Japonesa?
Menu & Busca
Saiba tudo sobre a Primeira Guerra Sino-Japonesa?

Saiba tudo sobre a Primeira Guerra Sino-Japonesa?

Home > Notícias > Urbano > Saiba tudo sobre a Primeira Guerra Sino-Japonesa?

Atualmente, conhecemos uma Coreia livre, dividida em dois países distintos, mas isso nem sempre foi realidade e a Primeira Guerra Sino-Japonesa é a prova. A disputa entre Japão e China pelo controle da Coreia. Essa guerra terminou com diversos mortos e feridos, entre tantas outras consequências. A seguir, saiba mais sobre a Primeira Guerra Sino-Japonesa, ou Guerra Jiawu.

Saiba o que foi a Primeira Gerra Sino-Japonesa.
Saiba o que foi a Primeira Guerra Sino-Japonesa. | Foto: Reprodução.

O que foi a Primeira Guerra Sino-Japonesa?

A questão coreana

​A China da Distância Qing exercia forte influência na Coreia, sobretudo na Dinastia Joseon, que governava o país. A Coreia se caracterizava como um Estado Vassalo da China (devia várias obrigações, era dependente de aspectos políticos, sociais e econômicos da China) e como forma de manutenção da dinastia no poder, se pagavam tributos e assim facilitava as relações comerciais estratégicas pelo Oceano Pacífico. Além disso havia uma forte influência do confucionismo na Coreia, uma doutrina ética, política, ética, filosófica e religiosa, tendo como base a ideia da família, pregando que devem amar e proteger o povo.

Japão

Estava em processo de expansão territorial e buscava ter o controle da região, como forma de defesa, pois sua posição demográfica representa riscos aos interesses japoneses, já que possuem arquipélagos de ilhas que não estão necessariamente dentro da Ásia Continental, então para expandir e ter uma marinha forte, ele precisava entrar no continente. O Japão queria dominar a Coreia, mas via como ameaça, já que esta estava sob domínio da dinastia Qing. Com isso, o Japão defendia a ideia de uma Coreia livre da China. 

Em fevereiro de 1924, aconteceu uma Rebelião Camponesa Donghak, dentro da Coreia, que se baseava na doutrina do Confucionismo, mas queria cada vez mais eliminar influências cristãs que existiam dentro do Confucionismo. A grande crítica que existia era política em relação ao governo coreano, diziam que na região sul da Coreia, havia corrupção dos funcionários públicos. A partir daí começa uma rebelião, que pretendia marchar até a capital coreana, Seul. O governo coreano pediu ajuda da China, que reprimiu violentamente a rebelião. Nesse momento, existe um ponto de movimentação política e social acontecendo na Coreia, alguns deles são ligados aos interesses japoneses, dentro da própria Coreia, existem pessoas que querem derrubar o governo Chinês e lutar por essa independência, que o Japão pregava.

Isso se potencializa, em março de 1924, quando um revolucionário coreano, Kim Ok-Kyun é assassinado em Xangai, na China. Ele era pró Japão, revolucionário em relação ao Japão e contra o governo coreano ligado aos interesses Chinês. Esse acontecimento vai ser considerado um estopim de revolta do Japão, que vai ser considerado como uma afronta aos ideais de liberdade dentro da Coreia. 

No dia 23 de julho de 1894, soldados japoneses invadem a Coreia pelo Sul e marcham até a capital Seul e lá conseguem capturar o imperador coreano, Kim Hong- jip, que era ligado aos interesses da dinastia chinesa e assim dominar a cidade de Seul. Militarmente quanto o Japão, quanto a China tem grandes forças militares, o exército chinês contava com um maior número de soldados e mais heterogêneo, enquanto, o exército do Japão era mais coeso, homogêneo e forte, existia mais influência ocidental, até mesmo britânica, desde a Restauração Meiji, que era fundamental para a marinha.

Após a tomada de Seul pelos japoneses, as tropas chinesas recuam para Pyongyang, enquanto, o exército japonês continua crescendo, ele vai subindo e consegue também tomar Pyongyang. O Japão conseguiu estabelecer um novo governo na Coreia, a partir do momento em que eles tomaram Seul, livre da China, mas pro Japão, contudo, a guerra continuava, porque a China não conseguia ter forças. 

O Japão consegue subir mais ainda e chega na Manchúria, um território chinês e estabelece um processo de guerra com os chineses. Com isso, o Japão consegue impor derrotas na China dentro do seu próprio território. O Japão quer expandir mais, até mesmo chegar no Oceano Índico e com isso dominar as ilhas Penghu. 

Em abril de 1895 foi assinado o Tratado de Shimonoseki, o tratado de paz entre China e Japão, estabelecendo o fim dessa guerra, em que a China saiu derrotada da guerra, vai se reconhecida a independência da Coreia, em relação à China, mas ao condicionamento de um protetor japonês, um governo livre e independente, mas com certa influência, assim como se tinha antes com a China. Com isso, a China perde o controle de Taiwan, que fica sob influência e domínio japonês, que dura até a queda do império japonês, na Segunda Guerra Mundial.

Consequências da Guerra Sino-Japonesa

  • ​Cerca de 35 mil mortos do lado chinês e por volta de 1.200 mortes do lado japonês;
  • A dinastia Qing acabou sendo enfraquecida;
  • Império Britânico, Alemão, Francês e sobretudo o Russo, se aproveitam da fragilidade chinesa para instituir áreas de dominação comercial no país;
  • Império Russo passou a ver o Japão como uma grande ameaça.

______________________________________________________

Por Lívia Ferreira de Almeida – Fala! Mack

Tags mais acessadas