Home / Colunas / Cinema / Resenha: Antes que Eu me Esqueça

Resenha: Antes que Eu me Esqueça

Por Vinicius Santos – Fala!Cásper


Desde a retomada do cinema brasileiro no final da década de 90, com o filme Carlota Joaquina, Princesa do Brazil, o cinema vem caminhando a passos curtos para ganhar a credibilidade devida, depois de anos de filmes de comédia e pornochancadas(produzidos durante a ditadura militar). Algumas produções relativamente recentes ajudaram para essa retomada (impossível não citar
Tropa de Elite, Cidade de Deus e Carandiru) mas, mesmo assim, ainda vieram uma enxurrada de filmes medíocres. Felizmente, o filme da vez, Antes que eu me esqueça, não é um deles.


A história gira em torno de Polidoro (
José de Abreu), um juiz aposentado que, aos 80 anos, decide tornar-se sócio de uma boate de strip-tease. Enquanto isso sua filha Bia (Letícia Isnard) entra com uma ação para interditá-lo, mas para que o juiz aprove essa ação, é preciso que Paulo (Danton Mello), filho de Polidoro, opine sobre o assunto. Paulo, entretanto, não se relaciona com o pai há anos, e então o juiz determina que ele deve realizar visitas semanais ao pai para que ele, enfim, consiga se posicionar sobre o assunto.

Leia Mais

 

Confira também:

Resenha: Taurus, a queda de Lenin

 

Confira também

Deputados aprovam lei de descriminalização do aborto na Argentina

Por Bianca Dias, Fernanda Ming e Gabriela Henrique – Fala! Anhembi   Na última quinta-feira, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *