Recrutamento: como contratar desenvolvedores qualificados
Menu & Busca
Recrutamento: como contratar desenvolvedores qualificados

Recrutamento: como contratar desenvolvedores qualificados

Home > Notícias > Mercado > Recrutamento: como contratar desenvolvedores qualificados

No que se refere às tendências de emprego do século XXI, a era digital é especialista em destacar novas profissões que surgiram a partir da necessidade de desenvolver um sistema, programa ou até mesmo um aplicativo, ou seja, um software que permita que empresas consigam atingir seus objetivos.

desenvolvedor
Desenvolvedor é uma das profissões mais requisitadas do mundo digital. | Foto: Reprodução.

Dessa forma, é imprescindível a contratação de um desenvolvedor. Mas não qualquer um. É de suma importância buscar por um profissional com qualificação, que seja capaz de progredir de acordo com a demanda empresarial.

O que faz um desenvolvedor?

Tal profissional tem o conhecimento em programação, e geralmente não tem conhecimentos aprofundados sobre cálculos matemáticos, segundo o site “Eu Faço Programa”. O desenvolvedor deve fornecer ideias criativas, as quais possam somar às ideias da empresa e ir muito além dos códigos já definidos para solucionar uma problemática. 

Tipos de desenvolvedor

No mercado brasileiro, esse profissional da área de programação divide-se em três tipos. Entenda, de acordo com HostGator:

Desenvolvedor back-end

É encarregado de lidar com os requisitos dos clientes de forma direta, tendo uma noção da linguagem de programação e entendendo as regras de negócio do sistema. Além disso, também é responsável por gravar dados.

Desenvolvedor front-end

Esse indivíduo caracteriza-se pelo desenvolvimento de telas de aplicações projetadas por um arquiteto e designer, sendo necessário o domínio de HTML, JavaScript e CSS.

Desenvolvedor full-stack

É responsável por um trabalho complexo, pois requer do desenvolvedor uma experiência como front-end e back-end. Dessa forma, tal profissional precisa ter um conhecimento vasto sobre a área de programação, além de comumente liderar diante de uma equipe de desenvolvedores.

Além disso, quem se depara com a necessidade de entender o mercado digital e, principalmente, ao contratar um profissional eficiente, comete um dos maiores equívocos: confundir um programador com um desenvolvedor. Ambos trabalham na mesma área, contudo, há uma diferença: o programador está relacionado à linguagem da programação, mas também é responsável por cálculos matemáticos complexos e por um software escrito para resolver determinada problemática.

Desafios para contratar desenvolvedores qualificados

Para contratar um bom profissional da área, é necessário atentar-se para além das formações acadêmicas, focando nas demais habilidades profissionais e na inteligência emocional (soft skills). As soft skills são caracterizadas por aptidões sociais e emocionais. Para a identificação desse fator, a empresa pode criar uma dinâmica de conversação com outro profissional, que de preferência não tivesse total compreensão da área do desenvolvedor. Dessa forma, ela entenderá a forma de abordagem do possível contratado e como ele reagiria às situações adversas já no recrutamento.

recrutamento
A inteligência emocional é uma das principais habilidades que o profissional digital deve ter. | Foto: Reprodução.

O responsável pela contratação deve atentar-se à adaptação deste desenvolvedor, pois será necessário para as possíveis intempéries que a empresa sofrer. É importante ter um funcionário que consiga adaptar-se até mesmo nos momentos mais difíceis. Dessa forma, para entender o quanto o candidato é adaptável, é recomendado que ele explique o que faria em determinadas situações: a riqueza dos detalhes ajudará identificar como lidará com as inconstâncias e a resposta será um dos pontos de partida que fará a empresa identificar um desenvolvedor de destaque.

Somado a isso, é possível também entender o quão grande é a capacidade de autoliderança de tal profissional da área digital. Pois, dependendo da ação imposta, o possível contratado pode resolver a problemática de forma simples e criativa.

O conhecimento e qualificação desse profissional também é importante. A classificação como um front-end, back-end ou full-stack é imprescindível para que a empresa recrute o tipo de desenvolvedor mais qualificado para os seus objetivos. A análise do currículo pode ser suficiente para alguns locais. Para outros, a eficiência do desenvolvedor pode ser testada no momento da entrevista de emprego ou no pedido prévio de um software, permitindo a criatividade e êxito do profissional.

Entre esses desafios, há também a preciosidade do tempo. Segundo a famosa frase de Benjamin Franklin “tempo é dinheiro”, o custo de um profissional que não executa seu trabalho de forma qualitativa e ultrapassa o tempo recomendado pode ser considerado um problema para a empresa. Diante disso, o negócio pode determinar um período para testar a produtividade e adaptação desse profissional, o que será uma medida válida para solucionar os desafios anteriormente listados.

Treinamentos para desenvolvedor

Um dos maiores desafios da empresa é encontrar um desenvolvedor sênior, o qual se destaca por ser um profissional mais experiente no mercado e com um domínio maior da linguagem de programação. Porém, esse nível de desenvolvedor não é a maioria do mercado. Nesse caso, a empresa pode solucionar o desafio contratando um desenvolvedor nível júnior ou pleno, podendo treiná-lo para que objetivo da empresa seja alcançado.

O treinamento deverá oferecer conhecimento de qualidade. Assim, a recomendação é uma empresa preparada, a qual permita o desenvolvedor enfrentar obstáculos reais e conectar-se com o âmbito de trabalho. AGama Academy disponibiliza uma metodologia de ensino que explora tanto as habilidades técnicas quanto as comportamentais (soft skills), sendo muito mais do que uma escola de cursos para treinamento.

Além disso, ela destaca-se pela formação de desenvolvedores, designers e vendedores, como também de profissionais especializados em marketing e em outros campos que tendem a expandir-se no mundo virtual. Nessa visão, foi selecionada para a categoria de educação no programa de aceleração Scale-Up Transforma, além do CEO da Gama Academy destacar-se na Forbes e a empresa ter a parceria com a E-Commerce Brasil.

Diante disso, para que a empresa tenha um desenvolvedor mais estimulado a aprender, com habilidades profissionais, inovações criativas e aprimoramento de sua personalidade empreendedora, a Gama Academy é a solução para a evolução do profissional.

____________________________________
Por Amanda Marques – Fala! UFPE

Tags mais acessadas