segunda-feira, 26 fevereiro, 24
HomeEsporteMundial Feminino de Handebol 2021: Confira a prévia do torneio

Mundial Feminino de Handebol 2021: Confira a prévia do torneio

O Brasil estreia nesta quinta-feira (2) contra a Croácia, na cidade de Castelló

Logo oficial do Mundial Feminino de Handebol de 2021, que será disputado na Espanha.
Logo oficial do Mundial Feminino de Handebol de 2021, que será disputado na Espanha. | Foto: Reprodução/Sporty Trader.

Nesta quarta-feira (1), a 25ª edição do Mundial de Handebol Feminino terá início na Espanha, reunindo as 32 melhores seleções do planeta. O torneio terá quatro cidades-sede: Castelló, Granollers, Lliria e Torrevieja e tem a sua final marcada para o dia 19 de dezembro. Confira detalhes sobre a competição.

Saiba tudo sobre a 25ª edição do Mundial de Handebol Feminino

Formato de disputa

Inicialmente, as 32 equipes são divididas em oito grupos, com quatro seleções em cada. Após três rodadas, as três melhores colocadas avançam de fase, enquanto os últimos colocados vão disputar a Presidents Cup, que definirá as posições de cada time entre o 25º e o 32º lugar.

Depois, as 24 seleções são divididas em quatro grupos, com as duas melhores avançando para as quartas de final. No mata-mata, os duelos serão jogados no Ginásio Palau d’Esports da cidade de Granollers, na região da Catalunha, e estão marcados entre os dias 14 e 19 de dezembro.

Favoritos

Há alguns meses, a França conquistou a sua primeira medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio.
Há alguns meses, a França conquistou a sua primeira medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio. | Foto: AP Photo/ Pavel Golovkin.

A Europa é o continente com maior número de potências no handebol, tanto no masculino, quanto no feminino. A França, em agosto, conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio, ao derrotar a Rússia pelo placar de 30 x 25. O time francês manteve a sua base para a disputa do Mundial e chega com muita força em busca do tricampeonato.

Com um elenco um pouco mais diversificado, a Rússia (ainda punida pelo escândalo governamental de doping) aparece como uma das candidatas ao título, assim como a Suécia e Noruega, semifinalistas nas Olimpíadas. Espanha e Holanda, finalistas do último Mundial em 2019, estão um degrau abaixo dos outros concorrentes, mas ainda assim merecem ter a campanha observada.

A estreia da competição será marcada pelo jogo entre Espanha e Argentina, às 16:30 (no horário de Brasília), no Palacio de los Deportes de Torrevieja. A transmissão do campeonato será realizada pelo YouTube, mas sem os direitos liberados para o território brasileiro.

Expectativas do Brasil

Jogadoras da Seleção Brasileira se preparando para o Mundial Feminino de Handebol de 2021.
Jogadoras da Seleção Brasileira se preparando para o Mundial Feminino de Handebol de 2021. | Foto: Divulgação.

Campeã do torneio em 2013, com uma final histórica contra a Sérvia, o Brasil chega para esta edição sem a presença da craque Duda Amorim, melhor jogadora do mundo em 2014 e considerada uma das melhores defensoras do handebol internacional em atividade. O novo técnico Cristiano Silva vai contar com a experiência e o talento de algumas atletas, como a goleira Bárbara Arenhart, a central Ana Paula Rodrigues, a armadora Bruna de Paula e a ponta direita Jéssica Quintino, para fazer uma boa trajetória e levar a Seleção Brasileira o mais longe possível no torneio.

O grupo do Brasil é formado por Croácia, Japão e Paraguai, e será todo disputado na cidade de Castelló, no leste da Espanha. Se classificar para a próxima fase, a Seleção ingressará ao grupo IV, que pode contar com a dona da casa Espanha e a rival Argentina. Em uma possível quartas de final, Alemanha, Dinamarca ou Hungria cruzariam o caminho do Brasil em busca do bicampeonato mundial. A estreia da Seleção Brasileira será amanhã (2), contra a Croácia, às 14:00, no horário de Brasília.

*Nós do projeto Esporte em Pauta, estamos realizando uma parceria com o Fala! Universidades. Se quiser ter acesso a mais conteúdos sobre os mais variados esportes, procure nossa página no Instagram (@esporte_em_pauta) e no Twitter (@EsportePauta).

_______________________________________________

Por Victor Fardin – Fala! PUC-SP

ARTIGOS RECOMENDADOS