Conheça os planos de vacinação de cada estado do Brasil
Menu & Busca
Conheça os planos de vacinação de cada estado do Brasil

Conheça os planos de vacinação de cada estado do Brasil

Home > Lifestyle > Saúde > Conheça os planos de vacinação de cada estado do Brasil

Para vacinação, há logística de guerra e escolta da polícia no transporte das vacinas

vacinação
Mônica Calazans, 54, enfermeira, primeira brasileira a ser vacinada, logo após a autorização pela Anvisa das vacinas do Butantan/Coronavac e da Fiocruz/Oxford & AstraZeneca. | Foto: Amanda Perobelli/Reuters.

No domingo, 17, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o uso emergencial das vacinas do Butantan (CoronaVac/Sinovac) e da Fiocruz (Oxford/Astrazeneca). A votação dos pedidos ocorreu no auditório da própria agência e foi consenso unânime entre os diretores.

Em São Paulo, o governador do estado, João Doria (PSDB), convocou uma solenidade para vacinar a primeira brasileira no Hospital das Clínicas. Em seguida, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, fez uma coletiva onde anunciou que, nesta segunda-feira, 18, as 6 milhões de doses começam a ser distribuídas.

Uma das grandes questões é como cada estado irá se planejar para o recebimento das doses. O Ministério da Saúde entrou com um pedido junto ao Instituto Butantan para a entrega imediata de 6 milhões de doses, que ocorrerão entre segunda e terça-feira. Segundo a pasta, esse repasse das doses irá acontecer de forma equitativa, de acordo com o número da população de cada fase do Plano Nacional de Imunização (PNI).

plano de vacinação

O Fala! Universidades questionou os 26 estados, mais o Distrito Federal, sobre como estão os preparativos para o recebimento da vacina e a logística que será feita por eles. Confira, abaixo, quais são os planos para cada estado do Brasil.

Planos de vacinação para cada estado

Vacinação na Região Norte

Acre

A assessoria de imprensa do Governo do Estado do Acre enviou para a reportagem o Plano Estadual de Vacinação do estado. O plano pretende apoiar os municípios e operacionalizar a vacinação contra a Covid-19.

Como conta no plano, o Acre pretende ter pelo menos 500.000 doses para os públicos prioritários pelo Ministério da Saúde. No entanto, segundo a pasta, o Estado irá receber 13.840 doses. O governo prevê ainda a compra de 700.000 doses para a população de 20 a 59, sem especificar o laboratório do qual fará a compra.

O governo estima que cerca de 60 a 70% da população precisa ser imune para, assim, interromper a circulação do vírus.

Conta no público prioritário do estado: trabalhadores de saúde, pessoas com 60 anos ou mais, pessoas em situação de rua, população indígena em terras demarcadas, pessoas com comorbidades, trabalhadores educacionais, forças de segurança e salvamento, pessoas com deficiências permanentes severas, povos e comunidades tradicionais ribeirinhas, caminhoneiros, trabalhadores de transportes coletivos, aéreos e portuários, população privada de liberdade e funcionários do sistema de privação de liberdade.

O estado também pretende treinar e capacitar a equipe de enfermagem por meios digitais, como videoconferência e web palestras. De acordo com o plano, ainda este mês, irá ocorrer o treinamento de 250 profissionais de saúde através de videoconferência.

Sobre o armazenamento das doses, o plano cita investimentos feitos em 2020 para ampliar e melhorar a segurança das câmaras frias. O Acre pretende ter capacidade para 1.611.600 doses de vacina. O investimento foi de mais de R$1.400.00,00 para essa ampliação.

Durante o ano passado, o Estado vinha estocando seringas e agulhas. Segundo o plano, serão necessárias ao todo 2.300.000 unidades de insumos.

A logística de distribuição das vacinas será feita por via terrestre em caminhão baú refrigerado. Dois municípios (Marechal Thaumaturgo e Porto Walter) contaram com transporte terrestre e via aérea ou fluvial, e dois (Jordão e Santa Rosa do Purús) por via aérea. O governo assume o compromisso de disponibilizar aeronave da frota em caso de necessidade de distribuição de forma imediata.

Amazonas

A assessoria informou o Fala! Universidades que o Estado tem agulhas e seringas para a primeira etapa da campanha, pretendendo vacinar 1.154.504 pessoas dos grupos prioritários. Considerando as perdas no processo, serão necessárias 2,4 milhões de doses. No entanto, o Ministério da Saúde informa que vai disponibilizar ao Estado 69.880 de vacinas.

Nos 62 municípios amazonenses, serão 794 salas de vacinação, onde 495 já estão ativas na rotina de serviços de saúde. 

Atualmente, o Amazonas tem em estoque 1.097.990 seringas e agulhas, sendo 443 mil do Estado e 654.990 dos municípios. Já foram licitados 1,5 milhão de kits com entrega programada para os meses de janeiro, fevereiro e março. As primeiras 409 mil unidades devem chegar no próximo dia 26.

O Estado pretende fazer uma megalogística. O governo cita a dimensão continental do estado. Serão utilizados os meios aéreo, fluvial e terrestre, sendo que 20 municípios serão abastecidos apenas por aeronaves.

Na questão de segurança, a Polícia Federal fará a escolta da vacina entre o aeroporto e o local onde será distribuída. As Polícias Civil e Militar farão a segurança do imunizante, bem como dos locais de vacinação.

Amapá

A assessoria de imprensa do Estado não respondeu aos questionamentos da reportagem. Entretanto, conforme o Plano de Vacinação divulgado no dia 22 de dezembro do ano passado, serão quatro fases. A previsão é vacinar 171.376 amapaenses. O Ministério da Saúde prevê entregar 15.000 doses neste primeiro momento.

vacinas
Descrição dos grupos prioritários divididos em quatro fases. | Foto: Divulgação.

Pará

A assessoria de imprensa do Estado não respondeu aos questionamentos da reportagem. Contudo, no sábado, 16, o governador do Estado, Helder Barbalho, detalhou o plano de vacinação com os prefeitos dos municípios do Pará.

A expectativa do governador era receber 320 mil doses de vacina no primeiro lote do Ministério da Saúde, mas, segundo a pasta o Estado, irá receber 124.560 doses.

Na questão dos insumos, Helder Barbalho também afirmou que disponibilizou seis milhões de agulhas, seringas e isopores.

Para as regiões do Marajó e Calha do Norte, o Estado contará com ajuda de aviões e helicópteros para o transporte das vacinas. 

Rondônia

Segundo informações do portal do governo repassadas por meio de assessoria ao Fala! Universidades, o Estado de Rondônia contará com quatro fases de vacinação seguindo os mesmos moldes do Plano Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde.

A expectativa do Estado era receber 68 mil doses no primeiro lote do Ministério da Saúde, mas, conforme a pasta, o Estado receberá 33.040. 

O governo ainda fez uma aquisição superior a R$1 milhão de seringas. O Estado possui cerca de 700 mil unidades em estoque. A previsão é que o Estado tenha 3,6 milhões de seringas para vacinar toda a população.

O governo ainda não descarta a compra de outras vacinas, além das distribuídas ao Estado.

Na logística, que conta com a parceria de empresas áreas privadas, que se disponibilizaram, como ainda a cooperação da Força Aérea Brasileira para que as vacinas sejam transportadas. 

Rondônia contará com três grandes câmaras frias, na Rede de Frio, na Capital.

Roraima

A assessoria de imprensa do Estado não respondeu aos questionamentos da reportagem. Segundo o Ministério da Saúde, o Estado receberá 33.040 doses da vacina. O governador do Estado de Roraima, Antonio Denarium, chegou a pedir à pasta cerca de 600 mil doses.

Denarium divulgará o plano de vacinação só quando a vacina chegar ao Estado.

Tocantins

A assessoria de imprensa do Estado informou à reportagem que seguirá as orientações do Ministério da Saúde referente às fases e grupos prioritários para a vacinação. De acordo com a pasta, o Estado irá receber 29.840 doses.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o Estoque Regular conta com 466 mil seringas com agulhas para o início da vacinação. Compraram outras 177.200 unidades, aguardando a entrega, e estão concluindo um processo de compra de mais 1.665.957.

O Estado ainda contará na logística com apoio da Defesa Civil Estadual, Corpo de Bombeiros Militar, Forças Armadas e de Segurança (Exército, Aeronáutica, Marinha, Polícias Federal, Civil e Militar). Se necessário, montarão postos de vacinação em universidades, escolas públicas e privadas, associações de moradores, instituições religiosas, órgãos públicos, como Detran, além de shoppings e aeroportos.

Vacinação na Região Nordeste

Maranhão

A assessoria de imprensa do Maranhão enviou para o Fala! Universidades o Plano Estadual de Vacinação. Por sua vez, ele estabelece as estratégias e ações para a operacionalização da vacinação contra a Covid-19 no Maranhão.

O Estado irá seguir as fases do Plano Nacional de Imunização (PNI) do Governo Federal. Estima-se que 401.638 mil serão vacinados na primeira fase, sendo necessárias 803.276 mil doses. No entanto, o Ministério da Saúde irá distribuir 164.240 mil doses, já incluídas as doses para os povos indígenas.

O transporte das vacinas será realizado por meio aéreo e terrestre. Contando com apoio das Forças Militares, Força Aérea Brasileira e Civis, Corpo de Bombeiro no apoio às ações de segurança, comando, controle e logística para a vacinação. O Governo do Maranhão disponibilizou dois aviões e um helicóptero do Centro Tático Aéreo (CTA).

Piauí 

A assessoria de imprensa do Governo do Piauí informou à reportagem que a meta é vacinar 1.113.329 pessoas dos grupos prioritários, seguindo o Plano de Vacinação do Governo Federal. O Ministério da Saúde mandará para o Estado 61.200 mil doses da vacina. O total da população prevista para a primeira fase é de 229.335 mil.

Sobre os insumos médicos para a vacinação, foram distribuídos 200 mil seringas, agulhas e EPIs aos municípios piauienses.

A Polícia Militar do Estado fará a segurança das doses 24 horas em todos os pontos da Rede de Frio do Estado, capital e interior.

O Governo ainda pretende fazer campanhas de conscientização, mostrando como a vacinação é importante.

Ceará

A assessoria do Governo do Estado do Ceará informou à reportagem que firmou acordo com o Instituto Butantan para o fornecimento de dois milhões de doses da CoronaVac. Além da compra paralela, o Ministério da Saúde enviará 229.200 mil doses, sendo 42.480 mil doses destinadas à população indígena.

A quantidade de doses necessárias para a vacinação dos grupos prioritários no Estado é de 2,6 milhões de doses. As fases do Plano de Vacinação seguem as mesmas do Governo Federal.

O transporte aos municípios será realizado por aviões, helicópteros e veículos terrestres. 

A assessoria não informou quais locais serão usados e a qualidade de insumos médicos para a aplicação.

Rio Grande do Norte

A assessoria do Governo do Rio Grande do Norte informou que, além das vacinas distribuídas pelo Ministério da Saúde, serão entregues 82.440 mil doses ao Estado. Também assinou um memorando de entendimento com o Instituto Butantan, o qual faz previsão que, perante a disponibilidade de vacinas pelo Instituto, seja firmado um acordo vinculante de aquisição de vacinas pelo estado do RN.

As fases de vacinação serão as mesmas feitas pelo Ministério da Saúde. O total da população prioritária é de 803.914 mi a serem vacinadas nas quatro fases.

O Estado conta com uma Central Estadual de Rede de Frio localizada no município de Natal, e com suas Gerências de Imunização distribuídas pelas 6 Regionais de Saúde, constituindo, assim, seis Centrais Regionais de Rede de Frio vinculadas às Unidades Regionais de Saúde Pública (URSAP), localizadas nos municípios João Câmara, São José do Mipibu, Mossoró, Pau dos Ferros, Santa Cruz e Caicó. 

A logística seguirá a mesma já realizada pelo Estado para as outras campanhas, de modo que compete à Central Estadual de Rede de Frio distribuir os imunobiológicos às Centrais Regionais, e compete aos municípios da região metropolitana (7ª Região de Saúde) a retirada direta nesta central.

Aos demais municípios, compete a retirada dos quantitativos de suas vacinas nas Centrais Regionais de Rede de Frio, de acordo com o desenho do Plano Diretor de Regionalização. O transporte contará ainda com escolta policial.

O Governo do Estado ainda informa que as vacinações serão realizadas nas salas já montadas para as outras campanhas de imunização.

Paraíba

Segundo o Ministério da Saúde, o Estado da Paraíba contará com 114.880 mil doses neste primeiro lote de distribuição das vacinas e, como informou a assessoria de imprensa do governo, serão quatro fases de vacinação seguindo o mesmo molde do Ministério da Saúde. A estimativa é que 28.844 mil pessoas se encontram na primeira fase do Plano de Vacinação.

O Estado possui mil salas de vacinação, 12 centrais regionais de rede de frio e 11 veículos refrigerados para a distribuição.

Segundo o Núcleo de Imunização, o estoque atual de 286 mil seringas e agulhas é o suficiente para começar a primeira fase do plano.

Para a distribuição às regionais de Saúde, os transportes utilizados são de responsabilidade estadual, através de furgões refrigerados ou caminhões baús refrigerados, de acordo com a demanda do território.

Pernambuco

A assessoria de imprensa do Estado de Pernambuco não respondeu aos questionamentos da reportagem.

Contudo, o Ministério da Saúde pretende enviar 270.960 mil doses de vacina. Conforme o Plano Estadual de Vacinação do Estado de Pernambuco, disponibilizado no portal do governo, a primeira fase contará com idosos a partir dos 80 anos e aqueles a partir dos 60 que estejam em instituições de longa permanência, profissionais de saúde que atuam em UTI em unidade de referência para a Covid-19 e populações indígenas aldeadas. A previsão é de 627 mil pernambucanos pertencentes à primeira fase.

Não especificaram como vai ser a logística para a aplicação.

Alagoas

A assessoria de imprensa do Estado de Alagoas não respondeu aos questionamentos da reportagem.

Por outro lado, o Ministério da Saúde pretende enviar 71.080 mil doses de vacina. Com isso, o governador do Estado, Renan Filho, afirma que 35.540 pessoas serão vacinadas. A previsão, segundo a Agência Alagoas, é inicialmente vacinar profissionais da saúde, indígenas aldeados e pessoas com mais de 75 anos de idade. 

Não especificaram como vai ser a logística para a aplicação.

Sergipe

O Ministério da Saúde enviará 48.880 mil doses de vacina ao Estado. Segundo a assessoria de imprensa, o transporte será feito em caminhões refrigerados para os municípios e utilizará o Plano Nacional de Imunização (PNI). A resposta termina dizendo que a vacinação será realizada pelos municípios.

Bahia

A assessoria de imprensa do Estado da Bahia não respondeu aos questionamentos da reportagem.

Entretanto, o Ministério da Saúde pretende enviar 376.600 mil doses de vacina. O governo pretende imunizar durante as quatro fases do Plano Nacional de Imunização (PNI) 5,08 milhões de baianos.

O Estado contará com 5.114 salas de vacinação e 243 veículos – entre aeronaves, caminhões, furgões e caminhonetes.

Vacinação na Região Sudeste

Minas Gerais

O Ministério da Saúde enviará para o Estado de Minas de Gerais 577.680 mil doses. Segundo a assessoria de imprensa do Estado, desde setembro, estão se preparando para a vacinação. Assim, adquiriram 50 milhões de unidades de seringas agulhadas.

A distribuição das doses seguirá o Plano Nacional de Imunização (PNI) e a mesa logística utilizada para todas as Campanhas Nacionais de Vacinação.

Espírito Santo 

A assessoria de imprensa do Estado do Espírito Santo informou que possui um memorando de entendimento com o Instituto Butantan para o fornecimento de 500 mil doses. O Estado receberá do Ministério da Saúde 101.320 mil doses. Ainda, garantiu que todos os capixabas serão vacinados neste ano, seguindo o Plano Nacional de Imunização (PNI).

Entre postos fixos e volantes, são cerca de 600 postos de aplicação em todo o Espírito Santo. A Coordenação do Programa Estadual de Imunizações e Doenças Imunopreveníveis informa que a distribuição das vacinas é feita em um prazo de dois a três dias após a chegada das doses. Em seguida, são distribuídas através de caminhões frigoríficos, furgões e veículos climatizados.

Foram ainda adquiridas 80 câmaras de refrigeração com temperatura positiva, entre 2 a 8ºC, para doação a municípios prioritários.

Rio de Janeiro

O Estado do Rio de Janeiro receberá do Ministério da Saúde 488.320 mil doses da CoronaVac. Seguindo as quatro fases do Plano Nacional de Imunização (PNI), contabilizam 5.454.912 habitantes. Na primeira fase, o Rio de Janeiro tem 1.367.663 pessoas para vacinar.

Na semana passada, o Rio recebeu oito milhões de agulhas e seringas. O governo prevê que os 16 milhões de agulhas e seringas já comprados serão suficientes.

Foi iniciado o processo de compra de 163 câmaras refrigeradas, que serão enviadas aos municípios, para ajudar na montagem de infraestrutura local. Também estão sendo comprados 50 freezers com capacidade de armazenamento a menos de 70 graus Celsius, necessários para armazenar as vacinas da Pfizer, além de 3 mil caixas térmicas com termômetro, 3 mil caixas técnicas sem termômetro e 3 mil termômetros avulsos.

O Plano de Contingência prevê parcerias com Defesa Civil estadual, Corpo de Bombeiros Militar, Forças Armadas e de Segurança (Exército, Aeronáutica, Marinha, Polícias Federal, Civil e Militar); universidades e escolas públicas e privadas, associações de moradores, instituições religiosas, órgãos públicos como Detran, shoppings, aeroportos, entre outras estruturas.

São Paulo

A assessoria de imprensa do Estado de São Paulo não respondeu aos questionamentos da reportagem.

Segundo dados divulgados pelo governo no final do ano passado, o Estado produziu 10 milhões de doses da CoronaVac, mesmo com o Ministério da Saúde requisitando, o Instituto Butantan repassou 6 milhões. Dessas vacinas da pasta, São Paulo receberá 1.357.040 doses. 

O Estado de São Paulo pretende vacinar na primeira fase 9 milhões de pessoas, prevendo o envio de 2 milhões de doses semanais, utilizando caminhões com rastreadores e escolta da polícia. 

As vacinas serão armazenadas em 5.200 câmaras frias, com aluguel de 25 geradores para energia extra.

O estado tem 5.200 pontos de vacinação, contudo, este número pode chegar a cerca de 10 mil, já que também serão usados quartéis, escolas, estações de trem e terminais de ônibus, farmácias e sistemas de drive-thru.

O Governo ainda divulgou o site para realizar o pré-cadastro e agilizar o atendimento nos locais de vacinação.

Vacinação na Região Sul

Paraná

O Ministério da Saúde mandará para o Estado do Paraná 265.600 mil doses da vacina. O governo do Estado seguirá o Plano Nacional de Imunização (PNI). De acordo com a Secretaria de Saúde, o grupo prioritário é formado por cerca de 90 mil profissionais da linha de frente do combate à Covid-19, 10 mil índios acima de 18 anos mapeados em comunidades isoladas de 30 municípios do Estado e 10 mil idosos que vivem em asilos e casas de repouso.

O Estado conta atualmente com 11 milhões de unidades de insumos para a vacinação, entre seringas e agulhas, podendo saltar para 27 milhões nos próximos dias. O material garante as duas doses de vacinação para toda a população do Estado.

O Paraná conta ainda com 21 câmaras frias já adquiridas e outras 180 em processo de aquisição. Mais 31 câmaras frias para armazenamento serão compradas em parceria com o governo federal.

Serão 1.850 salas de vacinação aptas para serem usadas. Se necessário, o governo promete ampliar a capacidade.

Santa Catarina

O Estado de Santa Catarina está alinhado ao Plano Nacional de Imunização, que irá receber do Ministério da Saúde 144.040 mil doses da vacina. A assessoria de imprensa ainda informa que há um valor de R$ 300 milhões reservados para a aquisição de vacinas.

O Governo pretende vacinar com essas doses 68.580 pessoas da primeira fase do Plano Nacional de Imunização. No entanto, esse grupo da primeira tem ao todo 426.678 pessoas, segundo a Secretaria de Estado da Saúde.

Serão utilizados para o transporte da vacina caminhões e aeronaves para a distribuição para os municípios. O Estado ainda conta com 1.157 salas de vacinação.

Rio Grande do Sul

O Ministério da Saúde distribuirá para o Estado do Rio Grande do Sul 341.800 mil doses de vacina. O Estado segue as fases do Plano Nacional de Imunização.

A Secretaria Estadual da Saúde terminou 2020 com um estoque de 4,5 milhões de seringas, sendo que foram adquiridas mais 10 milhões, afirmando ser suficientes para atender toda a demanda de vacinação.

A estrutura de frio para armazenamento conta com 96 câmaras refrigeradas, sendo algumas doadas por empresas privadas. A rede de logística de vacinação do Rio Grande do Sul é formada por 18 Centrais Regionais de Frio (uma em cada CRS), uma Central Estadual de Distribuição e Armazenamento de Imunobiológicos (Ceadi), dois Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (Cries) — um estadual e um do município de Porto Alegre. Também há cerca de 1.800 salas de vacinas em todo o Estado.

Vacinação na Região Centro-Oeste

Mato Grosso do Sul

O Estado do Mato Grosso do Sul utilizará as vacinas e o plano de fases do Plano Nacional de Imunização, o Ministério da Saúde enviará 158.760 mil doses da CoronaVac ao Estado. O Governo também formalizou um protocolo de intenção de compra junto ao Instituto Butantan para a aquisição de 1,7 milhão de doses.

De acordo com o Governo do Mato Grosso do Sul, 158 mil doses serão suficientes para imunizar 79 mil pessoas.

O transporte ocorrerá com caminhões, viaturas, aviões e barcos. Toda essa logística conta com o apoio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), por meio da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros Militar.

Mato Grosso

O Estado do Mato Grosso informou, via assessoria de imprensa, que também está junto ao Plano Nacional de Imunização, dependendo, assim, das 126.160 doses da vacina que o Ministério da Saúde enviará ao Estado.

O Governo de Mato Grosso prevê os transportes aéreo e terrestre para a distribuição das doses da vacina aos municípios. Se necessário, o governo disponibilizará seis aeronaves do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer). O deslocamento conta com apoio de segurança da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), além das Polícias Federal e Rodoviária Federal e o Ministério da Defesa.

Goiás

A assessoria de imprensa do Governo do Estado de Goiás informou à reportagem que seguirá integralmente o Plano Nacional de Imunização, sendo assim, segue o contrato paralelo para aquisição. O Ministério da Saúde enviará 183.080 mil doses da vacina ao Estado. Inicialmente, o Governo de Goiás esperava receber 3,2 milhões de doses. Em Goiás, há cerca de 1,8 milhão de pessoas nos grupos de risco.

O Estado ainda fez a aquisição de 3,8 milhões de kits com seringa e agulha, o que, segundo informam, é suficiente para imunizar mais da metade da população goiana.

A distribuição das vacinas aos municípios será por via terrestre. Para vacinas de baixa temperatura, o Estado conta com uma rede de frio já estruturada para armazenar as doses.

Distrito Federal

A assessoria de imprensa do Distrito Federal não respondeu até o fechamento desta reportagem.

Seguindo o Ministério da Saúde, o Distrito Federal receberá 106.160 mil doses da vacina, seguindo as quatro fases do Plano Nacional de Imunização. Estima-se que 51 mil pessoas fazem parte do primeiro grupo prioritário.

O transporte será feito por meio terrestre, com escolta da Polícia Militar. Unidades do SAMU também contaram com um quantitativo de imunizantes.

A rede de vacinação conta com 169 salas de vacina (sendo 16 para a primeira fase), 7 redes de frio regionais e 40 câmaras frias.

A expectativa da pasta é imunizar toda a população do Distrito Federal apta para receber a vacina até o fim do ano, inclusive pessoas que já tiveram Covid-19.

______________________________________
Por Thalisson Luan – Fala! PUC

Tags mais acessadas