Conheça 5 curiosidades sobre a Suméria
Menu & Busca
Conheça 5 curiosidades sobre a Suméria

Conheça 5 curiosidades sobre a Suméria

Home > Entretenimento > Cultura > Conheça 5 curiosidades sobre a Suméria

A civilização suméria é um dos elementos mais interessantes na história da organização humana. Não por ser a civilização mais antiga descoberta até o momento, mas pela vasta quantidade de mistérios e elementos curiosos que reflete na organização social que vemos hoje em dia.

Confira agora 5 curiosidades sobre o primeiro povo mesopotâmico.

Suméria
A Suméria é a civilização mais antiga descoberta. | Foto: Reprodução

5 curiosidades sobre a Suméria 

1) Organização social na Suméria

Na época, os sumérios se organizavam em comunidades governadas por líderes religiosos, ou um sacerdócio. Essas comunidades se localizam ao redor de um templo, e por isso todos os cidadãos se consideravam em constante servidão ao deus responsável pela proteção da cidade.

A sociedade se dividia entre os camponeses, os artesãos, que produziam estritamente para o templo, os soldados, responsáveis por proteger a comunidade, e os sacerdotes, que tinham o papel de cuidar da população e evitar que a ira dos deuses caísse sobre os seus seguidores.

2) Método de contagem

Um dos maiores méritos da cultura suméria é seu peculiar sistema de contagem. 

Estamos acostumados a usar os dedos para calcular a quantidade de certos números (de 1 a 10 usando apenas as mãos, de 1 a 20 contando os pés), no entanto, os sumérios dividiam o seu método de contagem entre duas bases. A de base 5 e a de base 12.

Na base 5, era usada a mão direita para contar cada dedo individualmente, enquanto a esquerda servia como forma de “acumular” a quantidade dos “cinco” dedos contados na mão direita.

Na base 12, era utilizado o polegar para contar as falanges que compõem cada um dos dedos, sendo possível contar até 12 dessa forma.

3) A invenção das horas na Suméria

Para alguns dos povos que vieram posteriormente, não existia uma noção de “dia” ou “noite”. O nascer e pôr do Sol eram apenas indicadores do momento em que o trabalho do dia-a-dia começava e terminava.

Porém, os sumérios foram os pioneiros em conseguirem calcular as horas com precisão e em uma divisão semelhante a nossa.

Os dias eram divididos entre 12 períodos de duas horas, e cada período era dividido em 30 partes de aproximadamente 4 minutos. Essa divisão havia sido realizada dessa forma. Os dias eram divididos entre 12 períodos de duas horas, e cada período era dividido em 30 partes de aproximadamente 4 minutos. Essa divisão havia sido realizada dessa forma devido ao “favoritismo” que a cultura suméria possuía pelo número 60, afinal ele poderia ser dividido facilmente.

Isso também permitiu que se desenvolvesse um calendário de 12 meses e 360 dias.

Suméria
Exemplo de contagem dos sumérios. | Foto: Reprodução

4) Escrita cuneiforme

Por ser conhecida como a civilização mais antiga, os Sumérios também são creditados como os criadores do chamado sistema de escrita cuneiforme, que foi utilizada por todo o território mesopotâmio e outros povos que viviam nas proximidades.

 Essa escrita funcionava de forma extremamente básica, em que cada símbolo representava algum tipo de ideia específica. Dessa forma, mesmo com os milhares de anos que se passaram, um número considerável de textos sumérios escritos em argila pôde ser interpretado e traduzido para a nossa língua moderna, tratando-se, principalmente, de receitas, orações, explicações matemáticas e comprovantes de venda de casas.

É importante saber que muitos desses documentos existem até hoje em diversas cópias diferentes, e isso se dá pelo fato de que os sumérios contavam com uma escola chamada “Escola de Edubba”, na qual jovens escribas possuíam a tarefa de produzirem cópias desses textos para que fossem guardados em arquivos.

5) O primeiro sistema de educação

Por falar em Escola de Edubba, ela se tratava de um antigo sistema de educação realizado por pequenos grupos de jovens dedicados a compartilharem conhecimento entre si. Eles registravam seus encontros em pequenas tábuas de argila que teriam sido descobertas em locais escondidos de casas por toda a Mesopotâmia.

Nessas reuniões, os aspirantes a escribas recebiam sua educação em sequências de aprendizados consecutivos que variavam entre aprender o significado de símbolos básicos, a produção de tábuas de argila e cópia de documentos importantes como contratos, textos religiosos e listas de doenças.

A formação nessas escolas era de certa forma semelhante ao que conhecemos. Meninos e meninas saíam da casa dos seus pais ao amanhecer para começarem suas tarefas, sendo orientados a sempre contarem para as outras pessoas tudo o que haviam aprendido. E dessa forma, ser um escriba era uma profissão extremamente almejada por parte da população suméria.

___________________________
Por Tales Batalha – Fala! Universidade Cruzeiro do Sul 

Tags mais acessadas