Como as cidades turísticas irão sobreviver em meio à quarentena?
Menu & Busca
Como as cidades turísticas irão sobreviver em meio à quarentena?

Como as cidades turísticas irão sobreviver em meio à quarentena?

Home > Lifestyle > Viagens > Como as cidades turísticas irão sobreviver em meio à quarentena?

Falar em turismo enquanto o mundo luta para superar o coronavírus pode parecer surreal, mas com um setor que emprega tantos trabalhadores, sim, ele merece atenção e adaptação para superar esse momento tão tenso.

Com muita gente cancelando viagens ou adiando as férias, cidades suspendendo festividades e regiões com restrição de locomoção, empresários e trabalhadores de regiões turísticas buscam alternativas para sobreviver.

Hoje, falaremos de três soluções para enfrentar esse período: apoio do setor público, redução de gastos e também interação com sua carteira de clientes no mundo digital.

prejuízo no turismo pelo coronavírus
O turismo foi um dos setores mais prejudicados pelo coronavírus. | Foto: Unsplash.

Turismo em meio ao coronavírus

Publicidade

A principal questão na cabeça de muita gente é: esse é o momento de atrair turistas para essas cidades? A resposta a esta pergunta é: não! Mas isso não quer dizer que ações não possam ser feitas para promover o turismo regional e também captar recursos por vias alternativas.

Alguns locais do mundo já deram abertura gradual ao turismo em meio à quarentena, como são os casos de Portugal, Itália, Grécia e até o Vietnã. Porém, aqui no Brasil, este tipo de prática não deve ser retomada por enquanto.

Regiões com grande fluxo de turistas durante todo o ano viram suas ruas desertas e pacotes cancelados, como são os casos de Foz do Iguaçu e Arraial do Cabo, por exemplo.

Publicidade
turismo em Foz do Iguaçu
Foz do Iguaçu notou a redução de turistas. | Foto: Reprodução.

O impacto econômico nas cidades turísticas será grande, principalmente naquelas que contam com grande movimento no inverno e também nas festas juninas, como são os casos de Gramado, Caruaru, Campina Grande, dentre muitas outras.

Como as cidades turísticas vão superar esse momento?

O desafio deste momento passa por três medidas que podem ser eficientes:

  • Participação do poder público;
  • Redução de custos;
  • Uso de soluções digitais.

O primeiro passo deve ser dado pelas prefeituras para resguardar a segurança das empresas e a renda dos trabalhadores dos setores de serviços ligados ao turismo. A suspensão de tributos, a oferta de crédito e também investimentos diretos são alguns dos recursos que podem ser disponibilizados para quem opera neste segmento.

Regiões que contam com unidades do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) contam com a facilidade de treinamentos, palestras e eventos que permitem interação mais rápida entre os setores público e privado, facilitando a troca de informação e o encontro de soluções.

O segundo passo deve ser dado pelos empresários ao fazer uma avaliação completa de cada operação. Na verdade, este tipo de medida deve ser tomada sempre, não apenas em épocas de crises. Trata-se de fazer um levantamento dos custos básicos, prioritários e supérfluos de cada empresa.

O objetivo aqui será ter o mínimo de fluxo de caixa para manutenção de pagamentos prioritários, como são os casos dos salários dos funcionários e contratos com fornecedores. Lembre-se, se você é um empresário deste setor, muitas outras pessoas contam com a renda vinda de suas operações.

Soluções adotadas pelo governo federal ao suspender o pagamento de tributos é uma das formas de reduzir os custos mensais e manter em dia o cumprimento de outras obrigações. Contudo, para que essa medida seja efetiva, é necessário ter um fluxo de caixa já preservado, caso contrário, a entrada de novas receitas durante esse período pode não ser suficiente para sustentar sua operação.

o que fazer com viagens marcadas?
Algumas medidas podem diminuir o impacto do coronavírus no setor turístico. | Foto: Unsplash.

A nossa terceira dica para as cidades turísticas passarem pela quarentena passa pela digitalização das operações e exploração do ambiente virtual para gerar receita agora e também projetar um fluxo maior durante a retomada.

Inclusive, para quem atua até agora apenas no mundo offline (físico), o Sebrae deu início, agora em maio, ao programa Acelera Brasil, em que ajuda empresários a compreender o ambiente virtual e a digitalizar suas operações durante a Covid-19.

Um exemplo de medida digital que gera uma receita, agora, é a venda antecipada de ingressos para atrações futuras. Essa medida foi adotada pelo aquário de Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, concedendo 50% de desconto aos interessados.

Essa ação garante um fluxo de caixa mínimo para superar o momento. Lembre-se que nem toda solução será para ter lucro, mas sim, para manter os pagamentos da sua empresa em dia.

Outra medida digital que pode ser tomada é uma avaliação mais profunda da carteira de clientes e interagir com eles pelas redes sociais. Este tipo de medida servirá para construir uma reputação positiva sobre a sua marca e também apresentar os seus roteiros para os conhecidos de cada turista.

Experimente entrar em contato com os clientes atendidos nos últimos seis meses, seja por meio do e-mail, por WhatsApp ou mesmo por redes sociais, e peça a eles que postem uma foto e uma boa lembrança do último passeio e marcando o perfil da sua empresa em troca de um benefício que pode ser um desconto de 10 ou 15% em um roteiro futuro.

marketing digital é uma boa solução para reduzir custos operacionais e manter o contato com seus atuais e futuros clientes.

Essa medida pode ser efetiva para vários objetivos: atrair mais interessados nos seus roteiros, fortalecer o relacionamento da sua marca com os clientes e também gerar uma mídia orgânica positiva sobre a sua empresa.

Não sabe o que fazer em Nova York? Veja nosso roteiro de um dia na cidade.

__________________________________
Por Mayk Souza – Fala! Anhembi

Tags mais acessadas