Clube de Regatas do Flamengo: saiba 5 curiosidades sobre o time carioca
Menu & Busca
Clube de Regatas do Flamengo: saiba 5 curiosidades sobre o time carioca

Clube de Regatas do Flamengo: saiba 5 curiosidades sobre o time carioca

Home > Notícias > Esporte > Clube de Regatas do Flamengo: saiba 5 curiosidades sobre o time carioca

Clube de Regatas do Flamengo. Não é preciso dizer muito mais para juntar uma multidão enlouquecida. O clube de maior torcida do Brasil e do mundo completou nesse ano 126 anos de muita história e conquistas memoráveis. E, claro que  um clube dessa magnitude e tradição teria incontáveis curiosidades a seu respeito.

Por isso, continue com a gente e confira 5 curiosidades sobre o clube carioca a seguir.

Clube de Regatas do Flamengo
O Clube de Regatas do Flamengo tem 126 anos de história. | Foto: Reprodução

Curiosidades sobre o Clube de Regatas do Flamengo

1) O Clube nem sempre teve as cores vermelho e preto

Para início de conversa, o rubro-negro carioca, como é popularmente conhecido, nem sempre trajou essas cores em seu manto de jogo. No começo, quando o Flamengo era apenas um clube de Remo(o que explica o Clube de Regatas), seus atletas usavam regatas listradas em azul e amarelo. Contudo, essas cores desbotam muito facilmente com o forte sol do Rio de Janeiro, além do fato que os tecidos dessas cores eram mais difíceis de encontrar e tinham, muitas vezes, que ser importados.

Portanto, a solução encontrada foi a utilização das duas cores mais fortes que haviam, o preto e o vermelho. Além da praticidade, também tornou o uniforme muito mais bonito, marcante e forte, intimidando os competidores, e apaixonando sua torcida. O time de futebol homenageou o manto original por duas vezes, uma em 2010 e outra em 2017, e, digamos que o vermelho e preto ficou melhor mesmo. 

2) O mascote original não era o Urubu

Uma curiosidade sobre o mascote do Flamengo é que, ao contrário do que muitos acreditam, o mascote original do clube não era o Urubu, mas sim o marinheiro Popeye. Pois é, pode parecer uma escolha estranha hoje em dia, mas na época em que foi designado, em 1940, o clube ainda era extremamente identificado com o Remo, e por conseguinte, com os marinheiros.

Mas, em 1969, eis que surge um novo mascote. Por conta do grande número de afrodescendentes e pessoas de baixa renda, torcedores adversários costumavam provocar a torcida do Flamengo nos estádios com gritos de ‘’urubus’’. O que era para ser um apelido ofensivo, acabou se tornando mascote de uma nação.

Num jogo entre Botafogo x Flamengo, quatro torcedores rubro-negros tiveram a ideia de capturar uma ave, amarrar numa bandeira, e lançá-lo no meio do jogo, e assim foi feito. O urubuzinho voou graciosamente, exibindo as cores preto e encarnado, até pousar no centro do gramado, e, junto dele, veio a vitória, quebrando um jejum de dois anos sobre o Botafogo. Ou seja, o desprezado e xingado animalzinho deu sorte e caiu para sempre nas graças de 40 milhões de torcedores, se transformando em um dos mascotes mais emblemáticos do futebol brasileiro.

3) A origem do futebol do Clube de Regatas do Flamengo

De 1895 até 1911, o Flamengo era um clube que disputava exclusivamente a modalidade do Remo e já tinha uma popularidade considerável na cidade do Rio de Janeiro. Entretanto, foi em 1912 que o time viria a atingir um outro patamar.

O Fluminense Football Club já existia e era a maior referência carioca no esporte bretão, até que  começaram alguns desentendimentos internos. Alguns jogadores falavam sobre trocar de clube, enquanto outros até mesmo pensavam em abandonar o futebol. Foi quando Alberto Borgerth, um dos jogadores do Fluminense, fez a proposta de criar uma seção de futebol no Flamengo, na qual já era remador.

A ideia foi aprovada e, no dia 8 de novembro daquele ano, foi criado o Departamento de Esportes Terrestres rubro-negro. O time realmente estava destinado ao sucesso, pois logo na sua primeira partida, o Flamengo goleou o Mangueira por 15 x 2. Além disso, naquele mesmo ano chegaria seu primeiro título, o Campeonato Carioca de 1912, em cima do próprio Fluminense, pelo placar de 2 x 1. Poético.

4) O hino do Clube de Regatas do Flamengo

O Flamengo tem hino, bandeira, e uma nação, o que falta para ser aceito na ONU? Brincadeiras à parte, a próxima curiosidade é sobre o hino do clube. “Uma vez Flamengo, sempre Flamengo, Flamengo sempre eu hei de ser”, esse é só o começo desta verdadeira carta de amor da torcida para o clube, torcedores aficcionados e fiéis, 40 milhões de pessoas que teriam um desgosto profundo, se faltasse o Flamengo no mundo.

No entanto, esse não é o hino oficial, mesmo que sempre seja lembrado, cantado e celebrado nas conquistas, o hino oficial do mengão na verdade é “Flamengo, tua glória é lutar”, composto em 1932 por um ex-goleiro e jornalista, Paulo Magalhães. O hino de 1945 que citei anteriormente, todavia, se tornou muito mais popular e identificado com a nação rubro-negra.

5) A torcida é o maior patrimônio

Não é segredo para ninguém que o maior patrimônio do Clube de Regatas do Flamengo é sua imensa torcida, que fiz questão de enfatizar ao longo desse registro. Então, nada melhor do que fechar a lista com um feito histórico dos torcedores: o maior público já registrado na história do futebol.

O fato ocorreu em 1963, numa final de campeonato carioca, um Fla-Flu. Foram 194.603 cabeças presentes no Maracanã, e o jogo terminou empatado em 0x0. Com o empate, o rubro-negro levou a taça.

________________________________________
Por Gustavo Oreb Martins – Fala! Cásper

Tags mais acessadas