5 livros de Rainbow Rowell para ler ao se tornar um jovem adulto
Menu & Busca
5 livros de Rainbow Rowell para ler ao se tornar um jovem adulto

5 livros de Rainbow Rowell para ler ao se tornar um jovem adulto

Home > Geek > 5 livros de Rainbow Rowell para ler ao se tornar um jovem adulto

O início da vida adulta é um momento muito difícil, seja pelo peso da  independência, dos momentos de surtos da faculdade ou até mesmo das crises existenciais de não saber o que se está fazendo da vida. 

Em momentos como esse, às vezes, o que precisa é de alguma inspiração ou simplesmente algo que demonstre que está tudo bem em ter dúvidas sobre a vida. Uma ótima pedida é a leitura, como os livros da autora norte-americana Rainbow Rowell.

Rainbow é uma das maiores escritoras de livros com temática Young Adult (Jovem-Adulto) do mundo. Sua principal temática é a mescla entre reflexão e crescimento pessoal com um pouco de romance (porque ninguém é de ferro) e, por isso, qualquer um de seus livros é uma excelente leitura para jovens que acabaram de descobrir como é ter que pagar contas e se virar sozinhos.

Publicidade

Mas, para facilitar a sua vida, o texto de hoje vem falar sobre os 5 melhores livros da autora para ler nesse momento tão especial em nossas vidas. 

1. Fangirl

livro Fangirl, de Rainbow Rowell
Fangirl, de Rainbow Rowell. | Foto: Reprodução.

O livro conta a história de Cath, uma garota muito fã de uma saga de livros – meio estilo Harry Potter – chamada Simon Snow, que está prestes a entrar na faculdade junto com a sua irmã gêmea, Wren.

A protagonista é uma garota muito introvertida que vê na escrita sua válvula de escape, sendo uma das escritoras de fanfics de Simon Snow mais famosas da internet. A história de Cath é uma trajetória de aprendizado sobre como enfrentar suas inseguranças e aprender a usar seus medos com força e vantagem.

Publicidade

O livro é extremamente fofo e mostra um desenvolvimento forte da personagem principal, em que ela aprende quem realmente é e a confiar em si própria acima de tudo.

Esse é um livro fácil de se identificar com a personagem principal e de aprender lições sobre si mesmo, porque, a partir dos aprendizados que a jovem escritora de fanfics vai desenvolvendo, percebe-se que muitas deles possuem relações com os momentos passados pela maioria das pessoas do grupo etário, como: dificuldade de se adaptar às mudanças repentinas, descobrir como se desenvolver como profissional e fazer de tudo para dar forças para si em momentos muito decisivos da vida.

Para melhorar, o romance é a coisa mais linda do universo, sendo uma das formas de reforçar a necessidade da Cath em tomar a rédea de sua vida e parar de pensar demais e nunca agir.

Fangirl é uma leitura que vale muito a pena, não só por conta do arco principal, mas porque todos os personagens da história são incríveis e  lembram muito algumas pessoas que você conhece. A história vai te deixar mais otimista com a vida e seu futuro.

Esse é o livro da Rainbow que eu mais amo nesse mundo e que mais vai te ajudar se você é alguém que não tem a coragem para tomar a iniciativa da sua própria vida. 

2. Ligações

livro Ligações, de Rainbow Rowell.
Ligações, de Rainbow Rowell. | Foto: Reprodução.

Ligações conta a história de Georgie McCool, uma roteirista de séries de televisão apaixonada pelo seu trabalho, que vive uma crise em seu casamento, piorada ainda mais quando ela decide não viajar com seu marido, Neal, e as filhas para a casa da família dele durante o natal, por conta de uma oportunidade no trabalho.

Desesperada por tentar manter o seu casamento de 15 anos com o marido, mas também ambicionando maior prestígio na carreira, a personagem principal se mantém em casa.

Mas, ao encontrar um telefone antigo do período em que estava na faculdade e seu relacionamento com Neal estava no começo, ela descobre que de alguma forma consegue se comunicar com a versão do passado do seu atual marido e, a partir dessas ligações, reflete o que fazer no presente para salvar seu casamento, tentando descobrir se o amor daquela época ainda existe entre eles.

Esse livro não é dos mais famosos da autora, mas acho que ele fala muito sobre crescer. A personagem principal, no momento inicial da história, não é mais uma jovem adulta, mas as reflexões feitas por ela sobre os seus valores no período em que iniciava sua fase adulta, fazem dele um livro muito sobre escolhas – tanto por ser uma volta no tempo em que gera o questionamento do”e se eu tivesse feito diferente?” tanto porque fala muito sobre a dualidade entre a busca pela realização de um sonho e a manutenção das relações sociais, como no caso de um relacionamento amoroso – o que faz da obra uma opção muito válida para aqueles que estão em um período de mudanças e de escolhas decisivas na vida. 

O casal principal é composto por dois personagens muito interessantes e a percepção dos sentimentos entre eles é feita com muita sutileza através dos diálogos, o que faz o leitor, gradualmente, se apaixonar e torcer pelo relacionamento dos dois.

Ligações demonstra como, às vezes, esquecemos de manter o equilíbrio entre a busca pelo sucesso profissional e a manutenção da relação com as pessoas que mais importam para nós, o que irá te fazer refletir sobre soluções para que os problemas de Georgie não ocorra com você. 

Essa é uma história com uma estrutura muito simples, mas muito doce e leve, o que torna a leitura fácil, algo perfeito para estudantes que têm uma lista enorme de textos acadêmicos para ler e que não precisam que o entretenimento também seja complicado. Esse livro, talvez, te ajude a lembrar de valorizar quem você ama, apesar da correria da vida. 

3. Carry On   

livro Carry On, de Rainbow Rowell
Carry On, de Rainbow Rowell. | Foto: Reprodução.

Spin off de Fangirl, essa história é, em resumo, a fanfic da Cath completa. Ela conta a história de Simon Snow, bruxo estudante da escola de magia da Inglaterra que é considerado “O Escolhido” da profecia que salvará o mundo mágico – porém, ele é o pior escolhido possível, sendo um dos alunos mais arrastados da escola e livrando-se de ser expulso constantemente por ser protegido pelo diretor; sua magia é poderosa, mas também incontrolável.

O principal desafio do personagem principal é ter que lidar com a pressão cada vez maior de que ele controle o seu poder para poder salvar o mundo mágico que, cada vez mais, vem perdendo magia.

Para piorar, seu colega de quarto e possível vilão da história segundo Simon, Baz, está desaparecido e, provavelmente, arquitetando um plano para destruir Snow (forma que Baz o chama). 

Essa história, apesar da sinopse ser bem o estilo HarryPotter, tem muito mais do que monstros e fantasias. É uma trajetória de aprendizado sobre as expectativas dos outros perante nós versus quem nós realmente somos, além da busca pelo autoconhecimento (não podemos esquecer que, teoricamente, quem escreve essa história é a confusa e insegura Cath).

O romance dessa história é introduzido de uma maneira muito doce e delicada e vem para reforçar a necessidade do Simon de se impor como indivíduo e não como aquilo que os outros querem dele.

O livro é muito divertido e é um ótimo veículo de entretenimento e também de aprendizado, pois Simon, assim como muitos de nós, sofre com a pressão externa de atender às diversas expectativas e com a necessidade de saber quem realmente é fora dessas expectativas.

Carry On é, como a maioria dos livros da Rainbow, uma história cheia de diálogos fofos, reflexivos e que faz você querer muito dizer para as pessoas que ama o quanto elas representam para você, é uma ótima pedida para qualquer público, pois tem de tudo: criaturas fantásticas, personagens fofos, personagens extremamente inteligentes, questões sociais, ação, aventura, romance e muitas reflexões para se fazer sobre si mesmo.

Meu amor por CarryOn é extremamente forte e, se pudesse, eu abraçaria muito o Simon e diria que ele não precisa sofrer tanto por conta da pressão de toda a escola em cima dele. Se você ler essa história e não se identificar com a parte além dos vampiros e outras criaturas, você é muito privilegiado, sim!

Não precisa ter lido Fangirl para ler esse livro, na verdade, é até mais divertido lê-lo primeiro.

4. Anexos

livro Anexos, de Rainbow Rowell.
Anexos, de Rainbow Rowell. | Foto: Reprodução.

Anexos conta a história de Lincoln, um cara que acabou de voltar para sua cidade natal para trabalhar em um emprego que parecia ser algo extraordinariamente legal. Mas que, na verdade, se resume em ler os e-mails dos funcionários para garantir que não haja nada inapropriado ocorrendo neles, no ano de 1999 em que as pessoas conversavam com outras por e-mail como se fosse bate-papo.

A história se passa entre os e-mails de duas amigas, Beth e Jennifer, e Lincoln reagindo à leitura desses emails. A obra é muito engraçada e cada um dos personagens traz um pouco mais de alegria, desde os principais, Beth e Lincoln, até os secundários como a mãe do principal e os amigos que jogavam Dungeons and Dragons com ele.

Esse livro diverte em todos os seus âmbitos e mostra as lutas dos personagens principais em amadurecer e tentar conquistar o que desejam, seja com  Lincoln e sua timidez que o impede de alcançar realizações por muito tempo na vida – e que o faz ficar lendo os e-mails das garotas bastante entretido com a espontaneidade das conversas delas – seja as irrealizações de Beth com sua família e que, com o passar dos e-mails, vai conhecendo seu impedimento de amar-se mais, de aceitar seu corpo (como é deixado claro várias vezes durante as conversas com Jennifer em que relata acontecimentos de vergonha do próprio corpo, como no caso dela sempre usar casacos quando está de regata para não mostrar os braços). 

Esse enredo diverte e mostra para jovens como precisamos superar impedimentos pessoais, como medo de uma pressão familiar ou acreditar ser incapaz de alcançar determinadas realizações na vida, e buscar realizar os desejos que tanto almejamos.

RainbowRowell deixa claro que nada é impossível e que é preciso tentar.  Acho que todos nós, pessoas meio perdidas nesse mundo, precisamos acreditar nisso e nada melhor do que se divertindo lendo uma história bem-humorada e com um romance muito interessante – que vai se construindo aos poucos. 

5. Eleanor e Park 

livro Eleanor e Park, de Rainbow Rowell
Eleanor e Park, de Rainbow Rowell. | Foto: Reprodução.

Eleanor e Park conta a história dos dois personagens que dão nome ao livro que, apesar de suas diferenças, desenvolvem um romance. Eleanor é uma garota nova na escola que possui uma família muito problemática, já Park é um garoto coreano apaixonado por música e revistas em quadrinhos.

Essa é uma história sobre primeiros amores e como, geralmente, os finais deles são tristes e marcantes por toda uma vida.

Esse é o livro mais adolescente da lista, mas ainda não retira seu valor de leitura para pessoas que já saíram do ensino médio e que o foco não é mais passar em um vestibular, mas sim conseguir o emprego dos sonhos ou simplesmente um estágio.

A parte mais geral de Eleanor e Park é muito clichê e não tem nada a ver com a temática que um jovem-adulto esteja focado, já que, nesse período, o primeiro amor, geralmente, já aconteceu e, muito provavelmente, já é passado. Mas o que esse livro esconde por trás da história da garota nova com o cara normal típico do ensino médio são vários dramas sociais que nos fazem refletir muito sobre como a vida de cada um de nós possui camadas muito profundas que poucos enxergam.

Esse livro, apesar de algumas questões questionáveis sobre xenofobia (algo que não sabemos se foi proposital por se referir aos anos 90, nos Estados Unidos, ou se por puro erro da autora) nos traz muito a ideia de empatia, de como precisamos enxergar o outro além de suas aparências. 

Além dessas questões sociais, esse livro mostra o amadurecimento dos personagens principais, que vivem em realidades completamente diferentes e aprendem a observar o mundo de outra forma um com o outro.

É uma história triste, mas incrivelmente bela, que vale muito a pena ler nesse momento de crescimento, pois nos faz pensar sobre como, às vezes, precisamos nos dar um pouco de esperança e amor em situações complicadas e como também expectativas, muitas vezes, são quebradas. 

___________________________________
Por Cynara Maíra – Fala! UFPE

Tags mais acessadas