10 filmes emocionantes para quem gostou de 'Milagre na Cela 7'
Menu & Busca
10 filmes emocionantes para quem gostou de ‘Milagre na Cela 7’

10 filmes emocionantes para quem gostou de ‘Milagre na Cela 7’

Home > Entretenimento > Cinema e Séries > 10 filmes emocionantes para quem gostou de ‘Milagre na Cela 7’

O filme turco Milagre na Cela 7, lançado na Netflix, foi sucesso imediato de público, principalmente devido ao apelo emocional que causa.

Adaptado do filme coreano de mesmo nome, a obra cinematográfica é uma montanha-russa de emoções devido a sua temática pungente. Em Milagre na Cela 7, a trama acompanha Memo (Aras Bulut Iynemli), um pai deficiente intelectual que vive com sua e filha, Ova (Nisa Sofiya Aksongur) e sua avó, Fatma (Celile Toyon Uysal). Após ser acusado injustamente de assassinar a filha de um oficial do exército Memo é preso, mas sua família luta pela justiça. 

A emoção causada pelo filme é única, mas o objetivo de causa-la é recorrente na indústria cinematográfica. Confira 10 filmes emocionantes para quem gostou de Milagre na Cela 7.

10 filmes emocionantes para quem gostou de Milagre na Cela 7

1. Um Sonho de Liberdade (1994)

Indicado a sete categorias do Oscar (incluindo o de ‘Melhor Filme’) e na 4ª colocação da lista feita, em 2014, pelo The Hollywood Reporter, Um Sonho de Liberdade, de Frank Darabont, conta a história de Andy Dufresne (Tim Robbins), um banqueiro injustamente preso por assassinar a esposa e seu amante. Na prisão, conhece Red (Morgan Freeman), um prisioneiro que cumpre pena há 20 anos. 

O filme é baseado no romance The Shawshank Redemption, de Stephen King. 

2. À Espera de um Milagre (1999)

Também dirigido por Frank Darabont e também baseado em um livro de Stephen King, À Espera de um Milagre é um drama policial passado no corredor da morte de uma prisão, em 1935.

Na obra, o chefe de guarda da prisão Paul Edgecomb (Tom Hanks) desenvolve uma relação incomum com o prisioneiro John Coffey (Michael Clarke Duncan), baseada na descoberta de um dom mágico de Coffey.

Foi indicado a quatro estatuetas de ouro na edição de 2000 da Academia. 

3. O Expresso da Meia-Noite (1978)

Dirigido por Alan Parker, O Expresso da Meia-Noite venceu um total de 10 prêmios, incluindo duas categorias do Oscar: ‘Melhor Roteiro Adaptado’, para Oliver Stone, e ‘Melhor Trilha Sonora Original’, para Giorgio Moroder.

O filme é baseado na autobiografia de Billy Hayes (interpretado por Brad Davis na película), um jovem americano preso em Istambul por tráfico de drogas. Torturado e submetido a interrogatórios, Hayes vê sua única chance no Expresso da Meia-Noite, uma analogia para ”fuga”. 

4. A Vida é Bela (1997)

Nesse filme dirigido e protagonizado por Robert Begnini, Guido e seu filho Giosué (Giorgio Cantarini) são levados para um campo de concentração nazista. Afastado da mulher, o pai tem que usar a sua imaginação para proteger a criança dos terrores e da violência que os cercam.

Pelo filme, Begnini venceu as categorias do Oscar de ‘Melhor Ator’ e de ‘Melhor Filme Estrangeiro’, em 1998. A produção também venceu o Oscar de ‘Melhor Trilha Sonora Original’, que foi entregue a Nicola Piovani.

5. Rain Man (1988)

Em Rain Man, o vendedor Charlie (Tom Cruise), após a morte de seu pai, descobre que tem um irmão autista, Raymond (Dustin Hoffman). Logo, revela-se que Raymond recebeu uma herança milionária do falecido pai, fazendo com que Charlie leve o irmão para Los Angeles para disputar o dinheiro. Porém, a viagem transforma a disputa em um forte laço fraternal.

Indicado a oito categorias do Oscar, venceu quatro deles, inclusive o de ‘Melhor Filme’. 

6. Uma Lição de Amor (2001)

No melodrama de Jessie Nelson, Sean Penn é Sam Dawson, um pai com problemas mentais que cuida de sua filha Lucy (Dakota Fanning) com a ajuda de um grupo de amigos. Quando Lucy completa sete anos de idade, começa a passar o pai, intelectualmente, e o vínculo do dois fica ameaçado pela presença de uma assistente social (Michelle Pfeiffer), que deseja colocar Lucy em um orfanato.

O filme foi indicado ao Oscar de ‘Melhor Ator’ (Sean Penn).

7. Em Nome do Pai (1993)

Em 1974, o jovem rebelde irlandês Gerry Conlon (Daniel Day-Lewis) e três amigos são acusados de matar cinco pessoas em um pub de Guilford, próximo de Londres. Giuseppe Conlon (Pete Postlewaithe) pede ajuda à advogada Gareth Peirce (Emma Thompson), que passa a investigar irregularidades do crime.

O filme dirigido por Jim Sheridan foi indicado a sete categorias do Oscar. Entre eles, ‘Melhor Filme’ e ‘Melhor Ator’ (Daniel Day-Lewis).

8. Os Últimos Passos de um Homem (1995)

Em outra presença de Tim Robbins, dessa vez como diretor, Sean Penn (que também já apareceu nessa lista) interpreta Matthew Poncelet, um detento condenado ao corredor da morte.

Ao ver sua data de execução se aproximar, Poncelet pede para que a freira Helen Prejean (Susan Sarandon) o ajude, insistindo na inocência do protagonista no assassinato de um jovem casal. Com a situação do protagonista ficando mais complicada, os laços entre os dois vão se fortalecendo.

Por seu papel como Helen Prejean, Susan Sarandon venceu o Oscar de ‘Melhor Atriz’ na premiação de 1996. O filme ainda receberia indicações para Sean Penn, na categoria de ‘Melhor Ator’, e para Tim Robbins, concorrente para ‘Melhor Diretor’.

9. À Procura da Felicidade     

Will Smith foi indicado ao Oscar de ‘Melhor Ator’ interpretando Chris Gardner, um pai que enfrenta sérios problemas financeiros e passa a cuidar sozinho de seu filho, Christopher, após a esposa (Thandie Newton) deixá-lo.

Então, Chris decide usar suas habilidades como vendedor para tentar conseguir um emprego. Mesmo falhando várias vezes, pai e filho mantêm a esperança por dias melhores.

A obra, dirigida por Gabriele Muccino, é baseada em uma história real.

10. Luta por Justiça (2019)

O filme do diretor Destin Cretton é baseado na história real de Walter McMillan (Jamie Foxx), um homem injustamente condenado à morte por assassinato. O advogado Bryan Stevenson (Michael B. Jordan) assume o caso, encontrando racismo e manobras ilegais enquanto luta pela vida de McMillan. 

_______________________________
Por Victor Livi – Fala! Cásper

Tags mais acessadas