quinta-feira, 20 junho, 24
HomeNotíciasThiago Schutz, coach “red pill”, é denunciado pelo Ministério Público

Thiago Schutz, coach “red pill”, é denunciado pelo Ministério Público

Nas últimas semanas, o nome de Thiago Schutz veio à tona na web. Contudo, no último dia 16 de março de 2023 o influenciador foi abalado com a notícia de que havia sido indiciado pelo Ministério Público de São Paulo (MP – SP) por ameaça e violência psicológica.

Thiago se tornou popularmente conhecido por apelidos como “Calvo do Campari” e “Coach Red Pill”, após falas duvidosas durante uma entrevista em um podcast.

Entretanto, o status do influenciador não intimidou a atriz e humorista Livia La Gatto e a cantora Bruna Volpi, que decidiram acusar o coach por danos morais e materiais. O caso conta até com testemunhas e parece mais sério do que se imagina.

Mesmo que seja um crime de “menor potencial ofensivo”, os procuradores envolvidos pedem que uma indenização seja fixada.

Ficou com vontade de saber mais sobre o assunto? Então, você não pode deixar de conferir abaixo o conteúdo de hoje. 

Saiba tudo sobre a polêmica envolvendo Thiago Schutz, entenda o que é significa o termo “Red Pill” e muito mais! Siga em frente com a leitura!

Thiago Schutz, famoso coach “Red Pill”
Thiago Schutz, famoso coach “Red Pill”. | Foto: Instagram.

Quem é Thiago Schutz?

Thiago da Cruz Schoba, mais conhecido pelo nome de Thiago Schutz, nasceu na cidade de Salto no interior paulista, dia 18 de junho de 1988. 

Thiago desenvolve atividades como coach, influenciador digital, empreendedorismo, produtor de programas de podcast, entre outras atuações. Através de sua página na web intitulada “Manual Red Pill”, Thiago disponibiliza conselhos sobre relacionamentos e masculinidade aos seus seguidores.

Manual Red Pill, página criada por Thiago Schutz para aconselhar homens sobre relacionamentos e masculinidade
Manual Red Pill, página criada por Thiago Schutz para aconselhar homens sobre relacionamentos e masculinidade. | Foto: Instagram.

A polêmica em torno do nome de Thiago Schutz

Após publicar um vídeo onde participava de uma entrevista em um canal de podcasts, o drama da vida de Thiago Schutz começou. Durante a gravação, o coach contou que, em um dia quando frequentava uma balada, uma mulher lhe ofereceu uma cerveja. 

Thiago, que estava tomando uma bebida alcoólica da marca Campari, recusou o convite da moça, que novamente o convidou e recebeu um outro “não”.

Nas filmagens da entrevista ao podcast, o influenciador relatou que esse tipo de comportamento da mulher, em geral, é bastante comum e se assemelhava a um “teste”, para – supostamente – verificar o quão firme Thiago permaneceria em sua posição de recusa ao convite ou se iria ceder ao pedido da jovem.

Thiago afirmou, ainda, que esse episódio foi só mais um exemplo de como as mulheres da pretendem “moldar” os homens da melhor maneira para beneficiar a si mesmos, fazendo-os perder toda sua essência.

Somente essas falas já causaram grande alvoroço e até espanto da comunidade feminina e foi aí onde tudo teve início e a “carreira” do coach “despencou ladeira abaixo”. E o apelido “Calvo do Campari” passou a ser a nova forma de se referir ao influenciador.

“Mais lenha na fogueira”: a jovem citada por Thiago responde e desmente parte da história contada por ele. Além de ter contado uma visão extremamente machista da história, Thiago ainda teve que se explicar novamente quando a própria mulher citada por ele relatou sua versão dos fatos e expôs diversas contradições para com a versão dele.

Segundo a jovem, ela havia perguntado se Thiago gostaria de acompanhá-la e tomar uma cerveja juntos. Como a música da balada estava muito alta, a mulher não escutou a resposta e perguntou novamente, nesse momento recebeu uma resposta grosseira da parte de Thiago e foi injustamente chamada de “insistente “.

Ao saber desse relato, diversos internautas começaram a atacar ainda mais fortemente Thiago em suas redes sociais. E é exatamente esse o gancho para as polêmicas envolvendo o coach, a atriz e humorista Livia La Gatto e a cantora Bruna Volpi.

Acompanhe agora o que rolou.

Tudo em nome da reputação: ameaças e violência, o desconhecido lado brutal de Thiago Schutz (H2)

Após a repercussão das falas machistas do coach, muitos influenciadores e influenciadoras começaram a fazer vídeos para diversas plataformas digitais, opinando ou simplesmente contando o que havia acontecido.

Nesse cenário, várias mulheres decidiram expor não só o que havia acontecido, mas também o que estava se passando com elas por trás das câmeras. Isso mesmo, é aqui que entram as ameaças e a violência psicológica.

Thiago, ao ver vídeos de algumas mulheres falando sobre ele, decidiu que usaria ameaças como forma de fazê-las retirar o conteúdo do ar. Ele enviou para muitas mulheres mensagens do tipo: “Ou você retira o conteúdo do ar em 24 horas, ou é processo ou bala. Você escolhe”.

Não demorou muito para que as mensagens saíssem do privado e viessem a público. A internet toda ficou chocada com a atitude de Thiago Schutz e, mais uma vez, uma onda de “cancelamento” o atingiu.

O pronunciamento de Thiago

Com a forte propagação negativa de sua imagem, o coach Red Pill não teve outra saída a não ser pedir desculpas nas redes sociais e se pronunciar sobre o caso.

Em um vídeo em seu instagram, Thiago comentou que jamais teria a intenção de praticar alguma maldade contra qualquer ser humano e que o termo “bala” se tratava apenas de uma “gíria”, bastante utilizada por ele.

Um pedido de desculpas vale mais que mil palavras? Talvez não para Thiago Schutz. Mesmo com as respostas de Thiago a respeito das polêmicas envolvendo seu nome, Livia La Gatto e Bruna Volpi não sentiram a veracidade em suas falas.

Livia La Gatto havia feito um vídeo debochando da atitude de Thiago Schutz e da comunidade Red Pill pregada por ele. 

Vale lembrar que Red Pill é um termo originado do filme Matrix e popularizado com outro sentido: o de denominar os homens que saíram da “bolha da realidade controlada” e são seres inteligentes, supremos e não-submissos às mulheres, autoproclamando-se como “machos alfa”.

O desfecho do caso

A delegada Nadia Ferreira Aluz Santos determinou, no relatório final sobre o caso, que Thiago Schutz deve permanecer uma distância mínima de 300 metros de Livia La Gatto e Bruna Volpi.

Thiago fica impedido, também, de conversar com ambas as mulheres, seja presencial ou virtualmente. Se o coach descumprir alguma das medidas, pode ter prisão preventiva decretada. 

A própria marca Campari se pronunciou e alegou não ter envolvimento algum com Thiago Schutz e que repudia quaisquer atitudes machistas.

____________________________________
Por Maísa Siena – Fala! Universidade Cruzeiro do Sul

ARTIGOS RECOMENDADOS