sábado, 15 junho, 24
HomeFamosos e TVTaylor Swift: 10 músicas que marcam a trajetória da cantora

Taylor Swift: 10 músicas que marcam a trajetória da cantora

De polêmicas com rappers e socialites, passando por um histórico amoroso movimentado, transformando plataformas de streamings e se concretizando como uma das maiores artistas da atualidade, Taylor Swift é o tipo de artista que não consegue causar indiferença — principalmente, na indústria da música.

Tamanha é sua popularidade que, guiados pelo amor ou pelo ódio, o público sempre tem algo a dizer sobre Swift e suas inúmeras peripécias no mundo do entretenimento. 

Consolidando-se como uma das cantoras mais famosas e premiadas da atualidade, a carreira de Taylor Swift começou em um country que flertava com o pop, crescendo para o pop absoluto, passeando pelo indie e experimentando com louvor o folk. 

Vulnerável quando lidando com sua vida privada de forma pública, suas canções que tanto geram engajamento são conhecidas por retratar suas experiências pessoais, reflexões sobre relacionamentos, suas emoções e sua evolução como artista. 

Ela é, sem dúvida alguma, uma peça indispensável no quebra-cabeça que molda a personalidade de inúmeros fãs todos os dias, através do uso de sua linguagem sentimentalmente melódica, de fácil identificação e brutalmente lírica

Taylor Swift-musicas
Confira as músicas que marcaram a trajetória de Taylor Swift. | Foto: Montagem.

Em memória dessa personalidade tão performática e marcante, vamos relembrar 10 músicas que marcam a trajetória da cantora, desde seu álbum de estreia até seu mais recente lançamento: 

Taylor Swift: Um Passeio pelas 10 Músicas mais Marcantes da Carreira

Tim McGraw (2006): Esta foi a primeira música que Taylor Swift lançou como single, em seu álbum homônimo de 2006. A canção é uma homenagem ao cantor country Tim McGraw, um dos ídolos de Taylor na época. 

A letra fala sobre um romance de verão que termina, mas que deixa uma lembrança associada à música de McGraw. A canção foi bem recebida pela crítica e pelo público, alcançando o sexto lugar na parada country da Billboard, revista de entretenimento americano publicada semanalmente.

You Belong With Me (2008): Ainda hoje, é uma das queridinhas dos fãs de longa-data de Taylor. Foi um dos maiores sucessos do seu segundo álbum, Fearless, que lhe rendeu quatro prêmios Grammy, incluindo o de Álbum do Ano, além de uma turnê intitulada Fearless Tour. 

A música conta a história de uma garota que está apaixonada pelo seu melhor amigo, que namora uma garota popular e superficial. O clipe da música mostra Taylor interpretando os dois papéis femininos antagônicos e foi premiado como o Melhor Vídeo Feminino no MTV Video Music Awards de 2009.

Foi nesse mesmo VMA que a carreira de Taylor Swift ganhou mais um marco. Após receber o prêmio, Swift teve seu discurso interrompido pelo rapper Kanye West, que alegou não concordar com a vitória da cantora.  

Dear John (2010): Esta é uma das músicas mais pessoais e emocionantes de Taylor, que faz parte do seu terceiro álbum, Speak Now. 

A canção é uma carta aberta ao cantor John Mayer, com quem Taylor teve um breve relacionamento em 2009. 

Nessa música, Taylor fala sobre como ele brincou com os sentimentos dela, e como ela se sentiu usada e magoada. A música foi elogiada pela crítica por sua honestidade e maturidade, sendo considerada uma das melhores composições de Taylor.

We Are Never Ever Getting Back Together (2012): Este foi o primeiro single do quarto álbum de Taylor, Red, que marcou definitivamente a transição da cantora do country para o pop. 

A música é uma declaração de independência de Taylor, que termina definitivamente com um ex-namorado que sempre voltava a procurá-la (spoiler: o namorado era Jake Gyllenhaal. Esse nome volta a ser importante daqui algumas músicas). 

A canção foi um sucesso comercial, alcançando o primeiro lugar na Billboard Hot 100 e vendendo mais de sete milhões de cópias nos Estados Unidos4.

Blank Space (2014): Esta foi uma das músicas mais icônicas do quinto álbum de Taylor, 1989, que consolidou sua carreira como uma estrela pop global. 

A música é uma sátira aos estereótipos que a mídia criou sobre Taylor, como uma namoradeira compulsiva e vingativa. 

O clipe da música mostra Taylor vivendo um romance luxuoso e dramático com um modelo, e depois destruindo seus pertences quando ele a trai.

 A canção é uma das favoritas dos swifites. Foi aclamada pela crítica e pelo público, ganhando dois prêmios Grammy e sendo a segunda música mais vendida de 2014 nos Estados Unidos.

Look What You Made Me Do (2017): Este foi o primeiro single do sexto álbum de Taylor, Reputation, que mostrou uma nova faceta da cantora, mais sombria e provocativa. 

A música é uma resposta aos seus inimigos e críticos, especialmente ao rapper Kanye West.

O clipe da música é cheio de referências e simbolismos, exibindo Taylor se reinventando após declarar que “a velha Taylor está morta”. 

A canção bateu vários recordes, como o de maior número de visualizações no YouTube em 24 horas.

Lover (2019): Esta foi a música-título do sétimo álbum de Taylor, Lover, que trouxe uma sonoridade mais leve e romântica para a cantora. 

A música foi uma declaração de amor ao seu último namorado, o ator Joe Alwyn, com quem Taylor mantinha um relacionamento discreto até o começo de 2023. 

A letra fala sobre os momentos íntimos e cotidianos do casal, e sobre o desejo de ficarem juntos para sempre. A canção foi indicada a três prêmios Grammy, e foi considerada uma das melhores músicas de 2019 pela revista Rolling Stone.

Cardigan (2020): Esta foi a primeira música que Taylor lançou de surpresa, junto com seu oitavo álbum, Folklore, que foi gravado durante a quarentena da pandemia de Covid-19 e se populariza por ser o álbum mais diferente da carreira de Taylor até então. 

A música faz parte de uma trilogia de canções que contam a história de um triângulo amoroso entre três personagens: Betty, James e Inez. 

Essa composição é narrada pela perspectiva de Betty, que se sente traída por James, mas que ainda guarda seu cardigã como uma lembrança. A canção foi elogiada pela crítica por sua melodia suave e sua letra poética, e ganhou o prêmio Grammy de Canção do Ano.

Willow (2020): Esta foi a primeira música do nono álbum de Taylor, Evermore, que foi lançado apenas cinco meses após Folklore, como uma continuação do mesmo estilo musical. 

A música é uma metáfora sobre o amor como um salgueiro, que se curva e se adapta às circunstâncias, mas que permanece firme e forte. 

A letra também faz referência ao relacionamento de Taylor com Joe Alwyn, quem ela considerava seu porto seguro. A canção foi bem recebida pela crítica e pelo público, alcançando o primeiro lugar na Billboard Hot 100.

All Too Well (10 Minute Version) (2021): Esta foi a música mais esperada pelos fãs de Taylor, que faz parte da regravação do seu álbum Red (Taylor’s Version), lançado em novembro de 2021. A música é uma versão estendida da original, que tinha apenas cinco minutos, e que conta em detalhes o fim de um relacionamento com o ator Jake Gyllenhaal. 

A letra é considerada uma das mais vulneráveis, emocionantes e bem escritas de Taylor, que revela seus sentimentos mais profundos e dolorosos. A canção foi aclamada pela crítica e pelo público, sendo chamada de obra-prima e de marco na história da música pop.

Estas são as 10 músicas que marcam a trajetória de Taylor Swift. Com um repertório absoluto de musicalidade, a discografia de Taylor Swift é, além de um patrimônio, um objeto de estudo que vale a pena ser análisado em minuciosos detalhes por pertencer a uma cantora que não tem medo de se expressar e se reinventar, responsável pela conquista de milhões de fãs ao redor do mundo com sua voz, sua arte e sua personalidade.

__________________________
Por Thais Datri – Redação Fala!

ARTIGOS RECOMENDADOS