Cadastre-se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Quero me cadastrar!
Menu & Busca
Quem foi o Santo Agostinho?

Quem foi o Santo Agostinho?

Aurélio Agostinho, também conhecido como Santo Agostinho, nasceu em 354 D.C em Tagaste, na Argélia, no norte da África.

Filho de Patrício (um não-crente) e sua devota esposa católica, Mônica, Agostinho foi um dos mais importantes teólogos e filósofos nos primeiros séculos do cristianismo. Agostinho é dono de obras famosas e renomadas como Confissões e A Cidade de Deus.

Resultado de imagem para santo agostinho
Santo do dia: Agostinho

PESQUISADOR CRITICA RETIRADA DE FILOSOFIA DO ENSINO MÉDIO

A História de Santo Agostinho

Embora ele fosse matriculado como catecúmeno por sua mãe quando menino, o batismo de Agostinho ocorreu tarde, de acordo com o costume vigente.

Desde seus primeiros anos, Agostinho possuía uma mente inquisitiva e uma personalidade atraente e voltava sua atenção para uma carreira que lhe traria riqueza e fama. Em sua juventude, entregou-se as paixões juvenis ,cometendo diversas atitudes que seriam consideradas pecaminosas por ele posteriormente, quando entregou a vida monástica.

Agostinho estudou em Tagaste e depois em Cartago e tornou-se professor de retórica, primeiro em sua cidade natal, depois em Roma e finalmente em Milão.

A busca e o compromisso de Santo Agostinho

Sua jornada de cidade em cidade, ocasionada por várias oportunidades e desafios, era sugestiva de uma jornada espiritual mais importante que ele fez durante um longo período de tempo, em busca de paz interior e felicidade duradoura.

Ele foi batizado aos 33 anos pelo bispo Ambrósio, de Milão. A decisão de Agostinho de abraçar a fé católica era ao mesmo tempo um compromisso de celibato, mesmo tendo vivido por anos com uma mulher que ele amava profundamente e com quem ele teve um filho, a quem ele deu o nome de Adeodatus.

FILOSOFIA DE VIDA: O FILME OBSERVAR E ABSORVER ESTÁ DISPONÍVEL NA INTERNET

Resultado de imagem para agostinho
Agostinho: O pecador que virou santo

Após o batismo, que Agostinho recebeu juntamente com Adeodato e com o grande um de seus amigo, Alípio, ele partiu para sua cidade natal, onde desejava buscar um estilo de vida monástico junto com outros homens que haviam igualmente experimentado uma conversão radical à fé.

Na viagem, em Ostia Antica, nos arredores de Roma, sua mãe adoeceu e morreu repentina, mas feliz, tendo testemunhado o total compromisso de Agostinho com Cristo e a Igreja. Em Tagaste, Agostinho, Adeodato e vários companheiros viveram uma intensa vida de oração, trabalho e comunhão, compartilhando suas idéias sobre a Escritura e a vocação cristã.

CORTELLA, KARNAL E PONDÉ LANÇAM LIVRO SOBRE FELICIDADE

Agostinho de Hipona

Depois de três anos, porém, em uma visita à cidade de Hipona, a cerca de oitenta quilômetros de Tagaste, Agostinho foi chamado a se tornar padre, contrariando seus desejos, mas disposto, no entanto, a aceitar o que ele acreditava ser a vontade de Deus para ele.

Também em Hipona, ele estabeleceu uma comunidade monástica, que ele dirigiu enquanto ajudava o bispo Valerius.

Vários anos mais tarde, Agostinho sucedeu Valerius como chefe da diocese, e sentindo-se obrigado a se mudar para a casa do bispo para não perturbar a paz da comunidade monástica, ele escreveu sua Regra para sua direção continuada, e então estabeleceu uma terceira comunidade para clérigos em sua nova residência episcopal.

INTOLERÂNCIA RELIGIOSA: VIOLÊNCIA ALIMENTADA PELA IGNORÂNCIA

Assim, desde o seu retorno a Tagaste até sua morte, Agostinho optou decididamente por um estilo monástico de vida em comunidade.

Como bispo, Agostinho encontrou sua vida desejada de contemplação e separação de preocupações mundanas necessariamente influenciadas e remodeladas por suas muitas obrigações como líder da Igreja local e como oficial civil, que o ofício de bispo da época incluía.

Além de seus deveres pastorais em Hipona, ele viajou para os conselhos da igreja na região do Norte da África – quarenta a cinquenta vezes ao longo dos 35 anos em que serviu como bispo. Ele fez a viagem de nove dias para Cartago, a sede metropolitana, para encontros com outros bispos cerca de trinta vezes.

Mas mesmo essas viagens extensas, que Agostinho sempre considerou uma dificuldade física, eram modestas em comparação com a grande produção de escritos e sermões que ele produzia: mais de duzentos livros e quase mil sermões, cartas e outras obras.

Morte

No ano de 430, Agostinho adoeceu e foi para a cama. Seus dias e noites foram gastos rezando os salmos penitenciais, que ele pediu para escrever na parede de seu quarto.

Ele morreu em 28 de agosto, quando a cidade de Hipona estava sendo saqueada pelos vândalos. Seu corpo foi colocado para descansar em Hipona, mas mais tarde foi levado para a Sardenha para guarda, e, finalmente, para Pavia, no norte da Itália, onde agora repousa na Basílica de San Pietro in Ciel d’Oro.

0 Comentários

Tags mais acessadas