Quais são os melhores destinos para o seu intercâmbio?
Menu & Busca
Quais são os melhores destinos para o seu intercâmbio?

Quais são os melhores destinos para o seu intercâmbio?

Home > Lifestyle > Viagens > Quais são os melhores destinos para o seu intercâmbio?

Intercâmbio é um programa no qual estudantes ou profissionais passam um determinado tempo morando em outro país. Seja para realizar um curso de idiomas, um voluntariado, imergir em uma nova cultura, ou se profissionalizar em uma determinada área, existem inúmeras variedades de destinos disponíveis. 

Confira os melhores destinos para o seu intercâmbio.
Confira os melhores destinos para o seu intercâmbio. | Foto: Reprodução.

O sonho de fazer intercâmbio faz parte da realidade de muitos brasileiros. Com tantos lugares para conhecer, separamos os melhores destinos para o seu intercâmbio.

O país mais barato para os intercambistas

O sonho de conhecer outras culturas, criar novos vínculos e viajar pelo mundo faz parte da lista de desejos de muitos brasileiros. Entretanto, com a oscilação do dólar e do euro, muitos acreditam que fazer intercâmbio é um luxo impossível. Em partes, isso se torna verdade quando buscamos viajar para os destinos mais badalados, como New York, Los Angeles, Londres, Vancouver, entre outros. Mas o que poucos sabem é que existem países menos conhecidos que oferecem a mesma experiência que esses centros, mas com um custo que cabe dentro do orçamento. 

Essa é a realidade de viajantes que escolhem o país Malta como destino. Localizado no continente Europeu, Malta é um pequeno país formado por um conjunto de três ilhas, localizado entre o Sul da Itália e o Norte do continente africano. Apesar da moeda da ilha ser o euro, Malta oferece um custo de vida baixo, alta qualidade de vida, lazer, moradia e alimentação. 

Por ser uma ilha pequena, é possível percorrer todo o limite de Malta de maneira rápida, seja a pé ou usando o transporte público. Além disso, para aqueles que preferem o calor e amam pegar uma praia, Malta é banhada pelo Mar Mediterrâneo, o que torna o clima local quente e úmido. 

Como a língua oficial da ilha é o inglês, existem diversas escolas de idiomas para estrangeiros, o que torna Malta um destino ideal para estudantes que queiram se aperfeiçoar na língua ou aprendê-la. E se engana quem pensa que a ilha não tem uma vida noturna animada. A cidade de St. Julian’s é uma das cidades mais agitadas do país, que conta com restaurantes, bares e diferentes opções de festas para todos os gostos. 

Conhecida por suas paisagens de tirar o fôlego, Malta é o destino perfeito para aqueles que querem economizar e curtir.

Uma das pequenas praias da ilha de Malta
Uma das pequenas praias da ilha de Malta. | Foto: Reprodução.

É possível trabalhar no intercâmbio?

É importante ter em mente que no intercâmbio você terá gastos como alimentação, transporte, moradia e outras despesas pessoais. Mesmo que alguns destinos possam ser considerados relativamente menos caros do que outros, para aqueles que desejam passar um tempo a mais fora do Brasil, os custos podem ficar bastante salgados. 

Para isso, alguns países, como a Irlanda e a Nova Zelândia, adotaram políticas de trabalho flexíveis para estrangeiros. Na Irlanda, por exemplo, você consegue uma permissão de trabalho caso comprove sua estadia no país por, no mínimo, 25 semanas. Na Nova Zelândia, por sua vez, o período mínimo de estadia é de 14 semanas. Vale lembrar que o intercambista só conseguirá a permissão de trabalho caso comprove que está viajando a estudos, ou seja, caso comprove a matrícula em algum curso acadêmico ou profissional. 

Outros países que também permitem que turistas trabalhem são: Estados Unidos, Canadá, França, Austrália e Espanha. Cada um desses países possuem suas próprias regras e valor por hora de trabalho, mas o que todos possuem em comum é a quantidade de horas semanais que estrangeiros podem trabalhar: apenas meio período por dia, que contabiliza 20 horas semanais. Caso você precise fazer hora extra, tome cuidado! É ilegal e a imigração do país não ficará nada amistosa caso descobrir.

Também vale lembrar que, para conseguir um emprego, você precisará entregar seu currículo de porta em porta. Apesar de parecer complicado, restaurantes, hotéis, bares e outros costumam contratar muitos estrangeiros durante as férias. Outra opção viável é fechar um pacote de estudo + trabalho em empresas especializadas, como a CI e a Experimento, o que garante seu carimbo de trabalhador no país destino.

Estudando e trabalhando no exterior: destinos

O intercâmbio work study é a opção ideal para aqueles que querem conhecer novas culturas sem gastar muito. Para aqueles que querem aprender a língua espanhola, o melhor destino é a cidade de Valência, na Espanha. A economia espanhola é desenvolvida e o país permite que você trabalhe 20 horas por semana a partir de apenas 4 semanas de estadia. O intercambista pode trabalhar na área comercial, estagiando dentro de uma empresa ou até mesmo no órgão público. Além disso, a cidade de Valência possui praias lindas, um centro metropolitano intenso e um povo caloroso. E o combo: por se localizar na Europa, fica muito fácil pegar um trem para conhecer os países vizinhos. 

Intercâmbio na Espanha.
A cidade de Valência na Espanha. | Foto: Reprodução

Para aqueles que querem aprender inglês enquanto trabalham, a cidade de Dublin, na Irlanda, é uma ótima opção. Como dito anteriormente, qualquer estudante com estadia mínima de 25 semanas pode trabalhar. Durante o período de estudos, o permitido são 20 horas semanais e, nas férias, 40 horas semanais. Não apenas as variedades de emprego são muitas, pois Dublin é conhecida como cidade destino dos mochileiros, estudantes e profissionais que procuram aperfeiçoar a língua inglesa.

Turistar e de quebra aprender inglês: o lugar mais barato para aprender a língua

Além de Malta, outro país preferido dos estudantes intercambistas é a África do Sul. O país possui a língua inglesa como oficial e um custo de vida razoável em comparação ao do Brasil. 

O destino é uma escolha perfeita para aqueles que querem estudar e explorar a rica biodiversidade desse país africano. Com um clima tropical parecido com o do Brasil, a África do Sul não deixa a desejar quando o assunto são as mais belas paisagens: praias, montanhas, reservas ecológicas, santuários animais, entre outros. Além das paisagens, a população sul-africana é receptiva, a culinária diversificada e as oportunidades de voluntariado são variadas: o que torna a experiência na África do Sul única. 

A Cidade do Cabo (Cape Town) e a cidade de Joanesburgo possuem escolas de inglês de alta qualidade e preços acessíveis. A moeda sul-africana, o Rand, é mais desvalorizada que o Real, e é por esse motivo que a África do Sul é um dos países mais baratos para se investir no estudo da língua inglesa. Além do mais, não é necessário possuir visto para cursos de intercâmbio com duração de até três meses!

Intercâmbio na África do Sul.
África do Sul. | Foto: Reprodução.

O melhor curso de inglês para intercâmbio

Se você possui como meta viajar e aprender inglês, é preciso colocar no papel os diferentes custos-benefícios de cada curso de inglês, pois opções não faltam. É importante ressaltar que cada intercambista possui uma visão diferente do que almeja em um curso de idioma, e por isso o destino acaba sendo o ponto principal no momento da escolha. Com isso, separamos uma pequena lista com os três melhores cursos de inglês no exterior, cada um em um país diferente. 

  • Canadá

O Canadá é o destino mais queridinho dos intercambistas. O processo de estudo no Canadá é menos burocrático que nos Estados Unidos e o custo relativamente mais barato, por isso acaba sendo um dos destinos mais procurados. 

O colégio Tamwood International College foi premiado por possuir o melhor curso de inglês no Canadá no evento anual do Study Travel Network junto com a avaliação de consumidores do Education Stars. Eleita a melhor escola de línguas da América do Norte, a escola oferece uma variedade de pacotes de estudo. O pacote básico de 15 aulas semanais custa a partir R$ 1.400,00. 

  • Austrália

A cotação de 1 dólar australiano atualmente está em R$ 3,80. Por isso, o país da Oceania pode oferecer um custo-benefício ainda melhor do que o Canadá para aqueles que buscam viajar por um período mais longo.  

A Victorian International Education premiou a escola de idioma Impact English College como a melhor instituição de ensino do hemisfério Sul, sendo reconhecida internacionalmente pela sua excelência acadêmica. De acordo com o site da instituição, o preço do programa de inglês geral, General English, custa em média AUD 370 por semana, que varia em aproximadamente R$ 976,00. 

  • Irlanda

Uma opção mais barata e menos burocrática do que a Inglaterra, a Irlanda é o segundo país europeu mais procurado pelos estudantes brasileiros. 

A ISI Dublin é uma escola localizada em Dublin, eleita em 2018 como a melhor instituição de inglês da Europa na premiação anual do Study Travel Network. A ISI oferece o ensino do inglês em turmas pequenas de no máximo 10 estudantes, aulas de 60 minutos (na maioria das escolas de idiomas, o normal é 45 minutos), e o preço semanal do curso General English varia a partir de R$ 856 por semana.

A cidade de Dublin, na Irlanda.
A cidade de Dublin, na Irlanda. | Foto: Reprodução.

Dicas de Intercâmbio

O processo para estudar em outros país é longo e cansativo. Para evitar eventuais estresses, separamos algumas dicas que podem contribuir e facilitar a realização desse sonho!

  1. Contratar uma agência especializada pode agilizar o processo: para aqueles que estão entrando nessa onda pela primeira vez, é difícil encontrar as informações corretas entre tantas. Sendo assim, contratar uma agência pode facilitar o processo.
  2. Vistos: o processo final da organização da sua viagem é o visto. Se você pretende estudar, é necessário obter um visto de estudante, pois, dependendo do destino, podem não aceitar o visto de turista. 
  3. Taxas extras: tire todas as suas dúvidas a respeito do que está e não está incluso nos pacotes de intercâmbio. Muitas vezes, as passagens de avião e transporte não estão inclusas. Anote tudo para não ter surpresas desagradáveis!
  4. Escolhas hospedagens mais baratas: hostels e repúblicas são ótimas opções para aqueles que precisam economizar. Procure também o preço de estadias em sites como o Airbnb, e nunca feche diárias em hotéis! 
  5. Faça um plano de saúde internacional: alguns pacotes das agências já incluem o seguro saúde. Contudo, se não incluir, procure um a parte. Como o SUS é um tesouro brasileiro, o seguro saúde é um fator importantíssimo no exterior!
  6. Também vale a pena pesquisar por lugares menos populares, como a ilha de Chipre no Mar Mediterrâneo, as Filipinas, Belize e até a Índia. Você pode se surpreender com o que esses territórios têm a oferecer!

Viajar para o exterior é um grande passo para aqueles que buscam se desenvolver academicamente, profissionalmente e, principalmente, o pessoal. O autoconhecimento adquirido após uma experiência internacional é, de fato, único. Os melhores destinos para o seu intercâmbio depende do seu orçamento e da sua personalidade. Seja qual for a sua escolha, para intercambistas que buscam estudar ou trabalhar, o destino final deve ser aquele que combine com quem você é nesse momento e quem você quer se tornar em um futuro próximo. Diferente de apenas turistar em um país desconhecido, o intercâmbio te permite conviver entre os nativos, criar vínculos para durar a vida toda e realmente imergir em uma cultura totalmente diferente da nossa. 

________________________________________
Por Milene Maeda – Fala! Wellesley College

Tags mais acessadas