Paralimpíadas: A 100ª medalha de ouro do Brasil na competição
Menu & Busca
Paralimpíadas: A 100ª medalha de ouro do Brasil na competição

Paralimpíadas: A 100ª medalha de ouro do Brasil na competição

Home > Notícias > Esporte > Paralimpíadas: A 100ª medalha de ouro do Brasil na competição

O sul-mato-grossense Yeltsin Jacques foi o autor deste marco na história do esporte paralímpico brasileiro

O atleta Yeltsin Jacques conquistou a 100ª medalha de ouro para o Brasil.
O atleta Yeltsin Jacques conquistou a 100ª medalha de ouro para o Brasil. | Foto: Reprodução.

Em mais um dia de competições nas Paralimpíadas, uma das medalhas conquistadas pelo Brasil teve um valor especial. Vinda do atletismo, esporte que mais rendeu conquistas na história do país, Yeltsin Jacques, ao lado do guia Carlos Antônio, conquistou o ouro na prova de 1500m rasos categoria T11 (para atletas deficiente visuais), o 100º ouro brasileiro em todas as edições de Jogos Paralímpicos.

Brasil conquista medalha de ourno de número 100 nas Paralimpíadas

A prova

Na fase classificatória, Yeltsin foi o 1º colocado em sua bateria com o tempo de 4:07.34 minutos. Na outra disputa, o também brasileiro Júlio César Agripino foi desqualificado e ficou fora da grande final. Na decisão, o sul-mato-grossense teve um desempenho espetacular, superando todas as expectativas para a prova. Com o tempo de 3:57.60 minutos, Yeltsin, além de conquistar esse ouro histórico para o Brasil, ainda bateu o recorde mundial na categoria, provando toda a sua superioridade diante os adversários. Essa foi a segunda medalha do atleta, que já havia sido ouro na prova de 5000m classe T11 há alguns dias.

História do Brasil

Imagem da abertura do Jogos Paralímpicos em Tóquio.
Imagem da abertura do Jogos Paralímpicos em Tóquio. | Foto: Reprodução.

O Brasil começou a participar dos Jogos Paralímpicos apenas na edição de 1972, realizada em Heidelberg, na Alemanha. A primeira medalha saiu logo no torneio seguinte em Toronto: uma prata no Lawn Bowls com a dupla Luiz Carlos Costa e Robson Almeida. Já o lugar mais alto do pódio foi inaugurado pela carioca Márcia Malsar, que venceu a prova de 200m rasos feminino classe C6, destinada a atletas com dificuldade de locomoção.Sem contar as medalhas já conquistadas em Tóquio, o Brasil acumula 306 medalhas no total, sendo 88 de ouro, 115 de prata e 103 de bronze, um desempenho que dá a ele o 23º lugar no ranking histórico internacional. O país é o 3º melhor das Américas nas Paralimpíadas, atrás apenas dos Estados Unidos (1º) e do Canadá (2º).

*Nós, do projeto Esporte em Pauta, estamos realizando uma parceria com o Fala! Universidades. Se quiser ter acesso a mais conteúdos sobre os mais variados esportes, procure nossa página no Instagram (@esporte_em_pauta) e no Twitter (@EsportePauta).

_____________________________________________________

Por Victor Fardin – Fala! PUC-SP

Tags mais acessadas