terça-feira, 23 julho, 24
HomeEsporteNHL: o trágico ano do Buffalo Sabres

NHL: o trágico ano do Buffalo Sabres

Apesar de contar com talento no elenco, a temporada do Buffalo Sabres tornou-se um verdadeiro caos

Buffalo Sabres
Atletas do Buffalo Sabres durante o hino nacional antes de uma partida. | Foto: Puck Prose.

Fundada na expansão da NHL em 1970, a franquia Buffalo Sabres é uma das mais tradicionais da liga, que conta com uma torcida calorosa e presente, mesmo que ainda esteja em busca da sua primeira Stanley Cup. Mas não será em 2021 que este objetivo será conquistado. Com um elenco talentoso e de nomes jovens e promissores, o Buffalo Sabres foi de uma equipe que poderia surpreender para um verdadeiro caos, que vai fazendo uma temporada simplesmente desastrosa.

O 2019/20 de Buffalo

Na última temporada da NHL, a equipe do estado de Nova York deu sinais de que poderia ter um futuro melhor. Ficando em 6º na Atlantic Division, a equipe parecia que estava se alinhando aos trilhos e que poderia crescer de rendimento nos anos seguintes, comandados por alguns bons nomes, como o dos atacantes Jack Eichel, Taylor Hall e Jeff Skinner, e o jovem defensor, escolhido na primeira escolha geral em 2018, Rasmus Dahlin.

O jovem Eichel, de apenas 22 anos na época, comandou as ações ofensivas dos Sabres e já era visto como um dos principais nomes do futuro da franquia. Liderou a equipe com 36 gols, 42 assistências e 78, tendo uma temporada digna dos principais Centers da National Hockey League.

Com a pandemia do Covid-19, a temporada foi paralisada e dada como encerrada a temporada regular, com 69 rodadas disputadas. Mesmo com o playoff estendido para serem disputados nas ‘bolhas’ da NHL no Canadá, o Buffalo Sabres acabou não se classificando, mas dava ao seu torcedor uma esperança de um futuro melhor para sua equipe do coração. Mas, com o começo da temporada de 2021, esse barco de esperança e expectativas acabou naufragando.

hockey
Equipe dos Sabres em 2019/20. | Foto: Sabre Noise.

A tragédia Buffalo Sabres em 2021

Neste exato momento da temporada, já foram jogadas 28 partidas pela equipe do Sabres, em uma temporada que terá apenas 56, diferentemente das tradicionais 82 rodadas na temporada regular da liga. Desses 28 jogos, Buffalo tem apenas seis vitórias, e com um total de 16 pontos, é com sobras o pior do time da National Hockey League neste ano, podendo ser definido por uma palavra: bagunça.

Um time que contou com uma queda absurda de rendimento de seus principais jogadores e um treinador que não conseguia tirar o melhor de sua equipe justificam, em partes, o ano ruim que os Sabres fazem em 2021. Porém, a queda e o mau desempenho técnico foram muito acima do imaginável e os jogadores que tanto se destacaram no ano anterior, simplesmente não conseguiram fazer absolutamente nada.

Os três principais nomes do ataque, Jack Eichel, Taylor Hall e Jeff Skinner, possuem um total de seis gols somados em 28 partidas. A efeito de comparação, os três combinaram para 88 gols em 2017, 79 em 2018, e 66 em 2019. Quando três de seus principais jogadores contribuem com seis gols, ao longo de 28 partidas, é realmente complicado de se esperar algo diferente, senão resultados muito ruins.

As seis vitórias vieram nos primeiros 16 jogos, com algumas goleadas sofridas, mas é bem verdade que o Buffalo Sabres está na divisão mais complicada deste ano, a Massmutual East Division, com equipes como Islanders, Penguins, Bruins, Capitals e Flyers. Uma campanha ruim, porém nada de excepcional, ainda mais tratando-se de uma divisão tão competitiva.

Mas foram nos doze últimos jogos que o caos definitivamente tomou conta do Buffalo Sabres. Com doze derrotas consecutivas e contando, a equipe está próxima de igualar um recorde que definitivamente não está nos planos de nenhuma franquia. O recorde de maior número de derrotas consecutivas por uma equipe da National Hockey League pertence ao Pittsburgh Penguins de 2003/2004, que perdeu 18 jogos. Com o desempenho da equipe nova iorquina nesta temporada, parecem determinados a quebrar o indesejado recorde.

Buffalo Sabres jogo
A 12ª derrota do Sabres, contra o New Jersey Devils. | Foto: WKBW.

A situação é tão crítica que mesmo com o estado liberando a presença de 10% de público no KeyBank Center, o clube está com dificuldades para encontrar cerca de 1900 torcedores que queiram comprar ingressos para assistir ao pior time da liga, segundo o portal The Hockey Writers. Mesmo sendo uma torcida apaixonada, os fãs do Sabres têm sofrido bastante nos últimos anos com sua equipe e, neste momento, sequer tem interesse em assistir a seu time no gelo.

Com tantos problemas envolvendo o time, surgem muitos rumores de jogadores insatisfeitos e que gostariam de ser trocados, mesmo que grande parte de tudo que esteja acontecendo seja responsabilidade deles. Ontem, o treinador principal da equipe, Ralph Krueger, foi demitido de seu cargo e os Sabres estão em busca (mais uma vez) de um novo comandante para sua equipe. 

Uma campanha terrivelmente decepcionante, jogadores importantes que não conseguem desempenhar, um treinador demitido e uma torcida que sequer tem vontade de assistir aos jogos de sua equipe presencialmente. O momento do hockey em Buffalo é extremamente delicado e preocupante, e o futuro que parecia promissor, agora deu lugar às incertezas e um iminente novo processo de rebuild da franquia Buffalo Sabres.


*Nós, do projeto Esporte em Pauta, estamos realizando uma parceria com o Fala!; se quiser ter acesso a mais conteúdos sobre os mais variados esportes, procure nossa página no Instagram (@esporte_em_pauta) e no Twitter (@EsportePauta).

_______________________________
Por Filipe Saochuk – Fala! PUC

ARTIGOS RECOMENDADOS