Jogos Paralímpicos: Primeiras medalhas do Brasil em Tóquio
Menu & Busca
Jogos Paralímpicos: Primeiras medalhas do Brasil em Tóquio

Jogos Paralímpicos: Primeiras medalhas do Brasil em Tóquio

Home > Notícias > Esporte > Jogos Paralímpicos: Primeiras medalhas do Brasil em Tóquio

Em apenas dois dias, a delegação brasileira já chega a oito medalhas nos Jogos Paralímpicos

A natação está entre as modalidades em que o Brasil é medalhista.
A natação está entre as modalidades em que o Brasil é medalhista. | Foto: Reprodução.

Com apenas dois dias de competição, o Brasil já começou as Paralimpíadas de Tóquio mostrando toda a sua força e encantando o público que está torcendo do outro lado do mundo. Até o momento, oito medalhas foram conquistadas em três esportes diferentes, sendo uma de ouro, três pratas e quatro bronzes. A expectativa é que o país supere as 72 medalhas que conquistaram nas Paralimpíadas do Rio em 2016 e que fique, mais uma vez entre, os 10 melhores no quadro de medalhas.

Veja as modalidades em que o Brasil ganhou medalhas nos Jogos Paralímpicos

Natação

O Brasil levou suas primeiras medalhas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio.
O Brasil levou suas primeiras medalhas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. | Foto: Reprodução.

A natação é o segundo esporte que mais rendeu medalhas ao Brasil na história das Paralimpíadas. Em Tóquio, a delegação brasileira já começou mostrando todo o seu potencial nos primeiros dias de torneio. Na manhã de quarta-feira (25), Gabriel Bandeira subiu no lugar mais alto do pódio ao vencer a prova de 100m borboleta classe S14, batendo o recorde olímpico com o tempo de 54.76s. Além dele, Gabriel dos Santos foi prata nos 100m costas classe S2, Daniel Dias conquistou o bronze nos 200m livre classe S5, sua 24ª medalha na história dos Jogos Paralímpicos, e Phelipe Rodrigues também foi bronze, mas na prova de 50m livre classe S10.

No dia seguinte, Daniel Dias voltou ao pódio, agora com o bronze nos 100m livre classe S5, levando sua 25ª medalha paralímpica para casa. Por fim, o revezamento 4x50m livre misto do Brasil, composto por Daniel Dias, Joana da Silva, Patricia Pereira e Talisson Glock, ficou com a medalha de bronze com o tempo de 2:24.82 minutos.

Esgrima com cadeira de rodas e Hipismo

Rodolpho Riskalla, medalhista de prata na Esgrima.
Rodolpho Riskalla, medalhista de prata na Esgrima. | Foto: Reprodução.

Nesta manhã de quinta-feira (26), também saíram outras medalhas importantes para a delegação brasileira. Em uma grande trajetória, Jovane Guissone perdeu a final para o russo Alexander Kuzyukov na prova de espada classe B, na esgrima com cadeira de rodas, e ficou com a prata. Essa foi a segunda medalha de Jovane na história das Paralimpíadas, que havia sido ouro na edição de Londres de 2012.

Além dele, Rodolpho Riskalla foi prata no hipismo individual classe IV, sendo derrotado pela holandesa Sanne Voets, que já havia sido ouro nas Paralimpíadas do Rio de Janeiro em 2016.

*Nós, do projeto Esporte em Pauta, estamos realizando uma parceria com o Fala! Universidades. Se quiser ter acesso a mais conteúdos sobre os mais variados esportes, procure nossa página no Instagram (@esporte_em_pauta) e no Twitter (@EsportePauta).

________________________________________________

Por Victor Fardin – Fala! PUC-SP

Tags mais acessadas