Mercado de infoprodutos cresce e envolve até políticos, como Eduardo Bolsonaro
Menu & Busca
Mercado de infoprodutos cresce e envolve até políticos, como Eduardo Bolsonaro

Mercado de infoprodutos cresce e envolve até políticos, como Eduardo Bolsonaro

Home > Eduzz > Mercado de infoprodutos cresce e envolve até políticos, como Eduardo Bolsonaro

FONTE: Terra.com.br

O mercado de produtos digitais cresceu 103% em 2020 e deve superar esse índice em 2021. Com a oferta de cursos cada vez maior, oratória e técnicas aprimoradas de comunicação otimizam resultados. Novo treinamento chega para magnetizar e turbinar a comunicação de experts.

A pandemia só acelerou o processo de tornar necessidade o que já era tendência. O mercado de infoprodutos cresce vertiginosamente. Só no ano passado, o aumento foi de 103%, segundo a Connect Soluções Digitais, e a expectativa é que esse índice seja superado em 2021, uma vez que o número de produtos digitais não para de crescer. Mais de 4 mil novos produtos digitais são inseridos nas principais plataformas de infoprodutos diariamente (Hotmart, Eduzz e Monetizze).

Eduardo Bolsonaro cria curso na plataforma Eduzz pensando em atingir seus eleitores. | Foto: Reprodução/montagem.
Foto: DINO / DINO

Em ascensão há quase 10 anos, o mercado de lançamentos nunca esteve tão aquecido. Trancadas em casa, as pessoas descobriram que cursos online seriam uma ótima forma de tornar a pandemia menos desagradável. Segundo a Global Consumer Insights Survey 2020, 45% das pessoas passaram a usar o celular como canal de compras desde que o vírus começou a se propagar no mundo. E isso inclui o mobile learning. A busca de novos universos começou como uma saída para manter a saúde mental durante a emergência mundial e foi além: se tornou uma oportunidade de aprofundamento de aprendizado, descoberta de novos mercados e novas profissões.

Foi questão de tempo para consumidores dos cursos perceberem a oportunidade: também era possível se tornar produtor de conhecimento e ser rentabilizado por isso. O mundo aos poucos descobriu que explorar especialidades e vender conhecimento passou a ser um negócio muito lucrativo. Ou seja, enquanto vários setores da economia quebravam, muita gente garantia sua renda extra compartilhando o seu conhecimento.

Com a forte tendência da humanização das redes sociais, os e-books perdem força a cada dia e os vídeos são o formato preferido dos internautas. Segundo pesquisa da WordStream, conteúdos com vídeos conquistam 3 vezes mais a atenção dos internautas. Fácil de consumir, mas existe uma barreira para produzir vídeos. E essa barreira se tornou o grande diferencial dos players que faturam vários dígitos e daqueles que patinam a cada lançamento, vendo cifras exorbitantes dos outros, sem atingir esses grandes marcos.

“Até o início da pandemia, era preciso basicamente se posicionar diante de uma câmera e dar a sua mensagem, com o mínimo de didática. Muito menos gente fazia isso. Hoje em dia, tudo mudou. Vivenciamos o ‘boom’ das Lives e, a partir daí, muitos gostaram do poder de ter um canal de comunicação nas mãos. Com muito mais oferta de conteúdo, é preciso se diferenciar na qualidade para não ser mais um na multidão”, explica Camila Augusto, que é jornalista e mentora de infoprodutores de alta performance.

Quem entra para o mercado de lançamentos, entra também em um ciclo de muito estudo para começar a ter resultados. Com mais especialistas nesse mercado, a competitividade começa a incomodar – e os dígitos não são conquistados com tanta facilidade quanto no período pré-pandemia. É preciso dominar diversas áreas como copywriting (escrita persuasiva), tráfego (anúncios online), estratégia de lançamentos. E, ao se dedicarem a todas essas áreas, os especialistas não otimizam a sua performance diante das câmeras.

“Porém, se trata de redes sociais. É preciso socializar, e com qualidade. Ter o que chamo de Comunicação Magnética Entregar o que você sabe da melhor maneira possível. Otimizar os pilares que vão fazer você se conectar com seu público, tornar seu conteúdo mais didático, leve, atraente, irresistível, mesmo que você não seja o número 1 do Brasil. As pessoas não compram seu conteúdo, acima de tudo, elas compram o especialista. Por isso, o magnetismo muda o jogo”, garante Camila.

FONTE: Terra.com.br

CURSOS E INFOPRODUTOS JÁ FAZEM PARTE DE ESTRATÉGIAS DE CAMPANHA

A revolução tecnológica já está aqui e os políticos não perderam tempo. De presidente a deputado federal, todos já estão se adaptando às novas formas de se promover. Seja fortalecendo sua imagem nas redes sociais ou criando cursos para a internet.

Eduardo Bolsonaro tem usado de diferentes estratégias para se manter visível para o eleitorado. No Twitter, o político compartilha suas ideias com os seguidores e busca promovê-las, já pensando na continuidade de sua carreira política.

O mesmo acontece em seu canal do YouTube, onde o Deputado utiliza os vídeos para alcançar seu eleitorado e promover seus pensamentos.

Eduardo Bolsonaro cria curso na plataforma Eduzz pensando em atingir seus eleitores. | Foto: Reprodução/montagem.
Eduardo Bolsonaro criou curso Prepara Brasil. | Foto: Reprodução/montagem.

Agora, além das redes sociais, que o político costuma usar com frequência a fim de compartilhar suas ideias, Eduardo Bolsonaro lançou um curso de formação política voltado para a Direita.

Os cursos publicados por Bolsonaro possuem um conteúdo político, sendo o mais conhecido o Prepara Brasil. Esse curso, segundo a descrição dada por Eduardo, tem por objetivo servir como um treinamento para fortalecer o conservadorismo no Brasil. Além disso, as aulas criadas por conservadores diversos tendem a instruir seu público sobre as práticas da direita.

A Eduzz, plataforma utilizada por Eduardo Bolsonaro para hospedar seus primeiros cursos, é uma rede de afiliados. A empresa, localizada em Sorocaba, mas que atende a todo o Brasil, permite que usuários criem, hospedem e vendem cursos diversos. Sendo assim, qualquer criador de conteúdo pode utilizar a plataforma a seu favor.

Tags mais acessadas