Futebol Americano: a trajetória de Malik Willis 
Menu & Busca
Futebol Americano: a trajetória de Malik Willis 

Futebol Americano: a trajetória de Malik Willis 

Home > Notícias > Esporte > Futebol Americano: a trajetória de Malik Willis 

Para quem acompanha College Football e vive intensamente o maravilhoso período que antecede o NFL Draft, já deve ter ouvido falar em como a classe de Quarterbacks desse ano deixa a desejar em comparação aos anos passados. É bem verdade que este ano não tem um Trevor Lawrence, um Joe Burrow ou um Kyler Murray que se destaque tanto e se garanta como uma “certeza” na posição mais importante do futebol americano. Mas se existe um jovem atleta que possui todas as ferramentas para um dia chegar no patamar destes citados anteriormente, este alguém é Malik Willis.

O comandante do ataque da Universidade de Liberty é o que se pode chamar de ‘privilegiado fisicamente’. Malik Willis reúne força, explosão, velocidade, mobilidade e um braço quase surreal. Porém, na mesma medida em que é capaz de fazer jogadas que deixam os espectadores de boca aberta, pode cometer erros bizarros e injustificáveis, tendo a sua imprecisão, inconsistência e tomada de decisão como os seus principais inimigos. Com muitos pontos a favor, e significativos pontos contra, Malik Willis é sem dúvida um prospecto cru, mas que no lugar certo, tem potencial de atingir as primeiras prateleiras de sua posição na National Football League.

Malik Willis
Malik Willis durante participação no NFL Combine. | Foto/ Reprodução: Sportingnews.com

A trajetória de Malik Willis

Malik Willis nasceu no dia 25 de maio de 1999, em Atlanta, no estado americano da Geórgia. Começou a sua carreira no futebol americano ainda cedo, quando atuou como Quarterback pela West Lake High School, a qual se localiza em sua cidade natal. Estudou e jogou pela escola em seus três primeiros anos de Ensino Médio, quando se transferiu para a Roswell High School, na cidade de mesmo nome, também no estado da Geórgia.

Malik Willis
Malik Willis na Westlake High School. | Foto/ Reprodução: Rivals.com

Em seu ano de Senior, teve a melhor temporada da sua carreira até então. Passou para mais de 2.500 jardas, correu para mais de 1.000 e anotou um total de 37 touchdowns. O perfil de scout 247 Sports classificava Malik como um ‘Recruta 3 estrelas’ e o jovem Quarterback não atraiu a atenção das principais universidades do país. Recebeu ofertas de programas como Virginia Tech, Georgia Tech, Air Force e Auburn.

Ao final de 2016, comprometeu-se com a Universidade de Auburn e seria um Tiger no futebol americano universitário. Porém, a história de Malik Willis nos ‘Tigres do Alabama’ não foi nem perto do que ele esperava ou gostaria. Em dois anos, participou de um total de 15 jogos, completou 11 passes, lançou para 69 jardas, correu para 309 jardas e anotou apenas três touchdowns. A fim de buscar uma nova oportunidade de mostrar o seu talento, entrou no Portal de Transferências e acabou mudando para a pouco conhecida Universidade de Liberty, no estado da Virgínia.

Após ficar sem jogar por um ano por conta das regras de transferência da NCAA, Willis foi nomeado o Quarterback titular para a temporada de 2020 dos Flames. Se o seu período em Auburn deixou a desejar, jogando por Liberty rapidamente colocou seu nome no radar dos amantes do futebol americano. Diante de Southern Mississipi teve uma performance impressionante e marcou um total de 7 touchdowns, sendo seis passados e um corrido. Ao final daquela temporada, liderou a sua universidade a uma campanha de 10 vitórias, terminando o ano ranqueada entre as 25 melhores equipes do país.

Liberty Flames
Malik Willis atuando pelo Liberty Flames. | Foto/ Reprodução: mejorsports.com

Individualmente, 2020 foi um ano incrível para Malik Willis, que logo o colocou com as mais altas expectativas para a temporada de 2021 e para o Draft de 2022. Porém, com toda a expectativa criada, a última temporada foi decepcionante para o camisa 7 dos Flames. É verdade que o seu elenco de apoio não o favorecia, mas seu ano acabou marcado por uma grande inconsistência, erros frequentes e um sério problema de tomada de decisão. O último ano de Willis deixou a desejar, mas a sua carreira no futebol americano universitário se encerrava e dava início ao processo de preparação para o NFL Draft.

Se a temporada de Malik Willis não foi o que ele e nem os fãs do esporte esperavam, o seu prestígio voltou a subir a partir do Senior Bowl deste ano. No primeiro evento de preparação para o Draft, o Quarterback fez torcedores e analistas lembrarem o porquê ele havia gerado tanta expectativa. O seu atleticismo e força no braço não passaram despercebidos em Mobile, Alabama, apesar de muitos dos problemas que apresentou este ano ainda estarem presentes.

Sua capacidade de arremessar bolas de futebol americano a 65 jardas no em movimento com naturalidade chamaram ainda mais atenção no NFL Combine e no Pro Day de Liberty. Se em determinado momento Malik Willis passou a ser considerado até mesmo uma escolha de Dia 2 de Draft, as suas ferramentas e potencial incalculável o recolocaram como um dos principais Quarterbacks desta classe.

Malik Willis
Malik Willis no Pro Day de Liberty. | Foto/ Reprodução: Yahoo.com

Muitos analistas consideram Malik um dos prospectos mais difíceis de avaliar dos últimos anos. São muitos pontos positivos, e ao mesmo tempo, muitos fatores que levantam diversas suspeitas sobre o seu sucesso na NFL. Em resumo: ninguém sabe o que vai acontecer na noite do Draft no dia 29 de abril, e sem dúvida, onde e quando Malik Willis será selecionado, é uma das histórias mais intrigantes deste ano. Sairá antes do que muitos esperam? Sairá mais tarde? O fato é que o comandante do ataque de Liberty é um atleta de imenso potencial, e a franquia que decidir apostar em Malik Willis, pode estar de fato escolhendo o seu futuro Franchise Quarterback.

*Nós, do projeto Esporte em Pauta, estamos realizando uma parceria com o Fala! Universidades. Se quiser ter acesso a mais conteúdos sobre os mais variados esportes, procure nossa página no Instagram (@esporte_em_pauta) e no Twitter (@EsportePauta).

___________________________
Por Filipe Saochuck – Fala! PUC 

Tags mais acessadas