Menu & Busca
Dicas para potencializar os seus estudos

Dicas para potencializar os seus estudos


O site estadunidense Best Colleges reuniu diversas dicas cientificamente comprovadas para estudar melhor, e o que vai te deixar bem satisfeito, não é necessário muito tempo para isso!

Qual material devo utilizar?

Materiais portáteis como celulares e tablets são práticos e fáceis de carregar, porém os materiais impressos e escritos são considerados, por mais de 90% dos estudantes entrevistados, melhores pois requerem uma menor quantidade de repetições de leitura em relação às outras ferramentas.

A música ajuda ou atrapalha?

Fones de ouvido

Compositores “obscuros” do século XVIII podem ajudar os alunos a envolver partes do cérebro que os ajudam a prestar atenção e fazer previsões. É algo subjetivo, pois algumas pessoas não conseguem se concentrar assim, mesmo que seja algo que melhore o humor.

A atividade física vai ocupar meu tempo?

Com certeza sim, mas nada que seja prejudicial ao seu desempenho. De acordo o médico Douglas McKeag, formado pela Michigan State University College of Human Medicine, o poder cerebral recebe um impulso após um curto exercício, pois nosso corpo está bombeando oxigênio e nutrientes para o cérebro. Ou seja, realizar alguma atividade física antes de estudar pode contribuir para o aprendizado de coisas novas com mais facilidade.

Mulheres se exercitando

Tente relaxar!

De acordo com pesquisadores da UC Irvine, o estresse de curta duração pode envolver hormônios liberadores de corticotropina que interrompem o processo de criação e armazenamento de memórias. Fazer pausas para respirar fundo algumas vezes poderá te ajudar a se manter mais calmo.

Estudar enquanto dorme?

Mulher dormindo

Revisar os materiais de estudo antes de dormir pode ajudar o cérebro a aprender, mesmo durante o sono. Isso acontece porque a consolidação da memória funciona melhor durante este período, quando ele recebe a sua restauração e a reativação.

É importante estudar sempre no mesmo lugar?

O psicólogo Robert Bjork sugere que mudar para uma sala diferente para estudar ou estar ao ar livre pode aumentar seus níveis de concentração.

Mulher lendo na natureza

É melhor revisar antes da prova?

A “curva do esquecimento” é um conceito iniciado em 1885 mas até hoje muito útil ao se analisar hábitos de estudo. Na primeira vez que você ouve uma palestra ou estuda algo novo, é retido até 80% do que você acabou de aprender – se você analisar o material em até 24 horas. O efeito é acumulativo, então, após uma semana você poderá reter 100% das mesmas informações após apenas cinco minutos de análise.

Os alunos devem estudar mais perto do dia em que aprenderam o material do que no dia do teste.

Qual a maneira mais eficaz para memorizar?

Uma das opções é utilizar a recordação ativa: fechar o livro e recitar tudo o que pôde lembrar até aquele ponto para praticar memorização a longo prazo.

As provas antigas servem para alguma coisa?

Você pode ter uma ideia geral do teste e se familiarizar com a forma das perguntas e o estilo de respostas que os corretores esperam. Os estudantes que refizeram os exames antigos obtiveram resultados mais satisfatórios do que os que não refizeram.

Faça conexões

Conhecida como aprendizagem contextual, o processo exige que os alunos façam conexões que inspirem todas as informações a se encaixarem e façam sentido para elas individualmente.

Registrar todas as informações em uma folha de papel ou quadro de giz ou canetinha pode auxiliar nestas construções. A partir de mapas simples os complexos podem ser desenvolvidos.

Método de Fenyman

O físico Robert Feynman o criou baseado na organização. É uma técnica de desconstrução e reconstrução de ideias, em um esforço para entender até os conceitos mais complicados. Primeiro identifique o que você quer aprender. Depois, tente explicá-lo como você faria à uma criança de cinco anos de idade. Ele é ideal para o uso de analogias para ilustrar melhor seu conceito, por exemplo: um aquário é como se fosse uma piscina, porém menor.

Faça o papel do professor

Criança escrevendo na lousa

Os alunos estão mais engajados e instintivamente buscarão métodos de recordação e organização quando se espera que assumam um papel de “professor“. Isso pode ser especialmente eficaz em assuntos como compreensão de leitura e ciência, embora parte da “magia” envolva descobrir como você “ensinaria” cada assunto, em casos individuais, buscando palavras-chaves e resumos.

Autoavaliação

Pensar sobre o pensamento prospera na autoconsciência. Para conseguir isso, os alunos precisam ser capazes de avaliar seu nível de habilidade e onde estão em seus estudos, como também monitorar os indícios de bem estar em suas rotinas.

Não exagere

É melhor ter um tempo limitado para estudar cada tópico, sempre mesclando matérias e assuntos. Remexer conteúdos de ciências humanas, exatas e biológicas é uma boa opção. Caso esteja fazendo matemática, inclua vários conceitos juntos, em vez de apenas um, com vários exercícios diferentes. Não cometa o erro do “superaprendizado” e renda mais em seus objetivos.

“Matar dois coelhos com uma paulada só”

A chamada “multitarefa” aumenta seu tempo de estudo e pode prejudicar suas notas. Pausar a sua leitura para enviar mensagens, por exemplo, pode atrasar muito o seu aprendizado.

_________________________________________________________________
Por Izadora Del Bianco (@izadbr) – Fala! Cásper Líbero

Quer se tornar um colaborar e escrever para o fala?
Saiba como

0 Comentários

Tags mais acessadas