Coronavírus: Como a Nova Zelândia vem obtendo resultados no combate
Menu & Busca
Coronavírus: Como a Nova Zelândia vem obtendo resultados no combate

Coronavírus: Como a Nova Zelândia vem obtendo resultados no combate

Home > Lifestyle > Saúde > Coronavírus: Como a Nova Zelândia vem obtendo resultados no combate

Desde o início da epidemia, a estratégia adotada pelo governo neozelandês foi de eliminar o vírus no país

A Nova Zelândia, ao lado de países como Alemanha, Noruega, Taiwan e Austrália, vem conseguindo obter muito sucesso no combate à pandemia do novo coronavírus. Optando por respeitar a ciência e os especialistas da área de saúde, o país localizado na Oceania vem conquistando excelentes resultados no que diz respeito à redução de casos de Covid-19. 

Ao contrário de alguns países europeus que apenas procuram controlar a epidemia e aliviar as medidas de contenção, a ilha do Pacífico, através do seu governo liderado pela primeira-ministra Jacinda Ardern, adotou a estratégia de eliminar, na medida do possível, a presença de tal vírus no país. 

nova zelândia coronavírus
A Nova Zelândia tem obtido resultados expressivos no combate ao coronavírus. | Foto: Reprodução.

Dessa forma, a Nova Zelândia vem alcançando números expressivos no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. Dentre tais estatísticas, pode-se destacar que o número de óbitos em decorrência da Covid-19 é inferior a 20, a taxa de novos casos confirmados decresce a cada dia e o índice de contaminados é baixíssimo, próximo de 0,02%.

Afinal, quais foram as principais medidas impostas pelo país que o tornaram referência no combate ao coronavírus?

A mais importante e relevante delas foi a de um estabelecimento de um rígido cumprimento de isolamento social. Com uma política dura de lockdown, ou quarentena, desde 23 de março, os serviços não essenciais foram fechados e a população estava impedida de sair de casa, exceto para comprar comidas ou remédios.

Eu tive que trabalhar de casa nas últimas cinco semanas e era permitido sair somente para o supermercado e a farmácia. 

Disse Onno le Roy, arquiteto neozelandês que vive na ilha

Outra medida determinada foi a de controlar as fronteiras, reforçando as restrições, principalmente para quem estava entrando. Os neozelandeses que estavam retornando foram obrigados a permanecer 14 dias isolados em uma instalação especial, e não em suas casas. Isso permitiu com que o governo tivesse mais capacidade de detectar novos casos e evitar outros contágios. Já para os estrangeiros, o acesso ao país está proibido desde o dia 20 de março.

As duas providências citadas acima, sem dúvida nenhuma, tiveram papel fundamental para o êxito da Nova Zelândia no embate à pandemia do novo coronavírus.

Embora seja uma tarefa mais simples fechar as fronteiras de uma nação composta por duas grandes ilhas e de manter uma vigilância sobre uma população de aproximadamente 4,8 milhões de habitantes, a primeira-ministra e o seu governo proporcionam uma verdadeira aula de como obter resultados positivos em meio a este contexto de crise da saúde pública mundial.

Eu acho que o nosso governo fez certo em, imediatamente, impor o lockdown. Com o isolamento de todos, o vírus não pôde se espalhar. Tanto é que a maioria dos infectados que tivemos foram de pessoas retornando ao país. Em geral, eu daria ao nosso governo a nota 9.5 se a máxima fosse 10.

Avalia Onno le Roy, morador de Auckland, cidade da Nova Zelândia

Além do mais, há de se ressaltar que outros fatores também contribuíram para o país tornar-se um modelo a ser seguido neste contexto de pandemia. Um deles é a enorme consciência social da população da ilha, procurando respeitar o isolamento e o distanciamento social. “O governo checa os dados de localização do Google e, aparentemente, a maioria das pessoas ficam em casa”, destacou o arquiteto neozelandês. 

Todavia, assim como em todo lugar do planeta, existem aqueles indivíduos que desrespeitam a quarentena. Diante disso, visando impor o lockdown amplo e completo, o governo optou por aplicar advertências, multas ou até mesmo processos para aquelas pessoas que estão violando as regras.

Claro que sempre há aquelas pessoas que quebram o lockdown, porém, a polícia está pronta para pará-las e checá-las. Muitos indivíduos recebem advertência (principalmente se foi a primeira vez que violaram as regras), mas alguns foram multados e até mesmo processados.

Pontua Onno le Roy

O fato da Nova Zelândia testar de forma rápida os cidadãos é um outro aspecto que favorece para o sucesso no combate à pandemia do novo coronavírus, uma vez que isso possibilita ter maior eficiência no isolamento populacional e impede o avanço de novos contágios. Além disso, o país está em paz no âmbito político. Inclusive, as medidas impostas por Jacinda Ardern tiverem o apoio do líder da oposição Simon Bridges. 

Portanto, todo esse êxito no combate a esta epidemia não é uma obra do acaso. A Nova Zelândia comprova e mostra para as demais nações que, em períodos de pandemia, o antídoto mais eficaz é a convergência entre governo, autoridades médicas e cidadãos. 

Para finalizar, após mais de um mês de confinamento social e devido ao enorme sucesso no combate à pandemia do novo coronavírus, a tendência é que o governo flexibilize a determinação de cumprimento do lockdown na próxima terça-feira (12/05).

E na terça-feira, 12/05, iremos para o nível de alerta 2, o que significa que todos os negócios poderão funcionar novamente e nossa economia poderá começar a se recuperar. 

Relata Onno le Roy

_________________________________________
Por Leonardo Cavallaro – Fala! Cásper

Tags mais acessadas