A falta de Bolsonaro e a Ata final da COP-26: O que esperar do Brasil?
Menu & Busca
A falta de Bolsonaro e a Ata final da COP-26: O que esperar do Brasil?

A falta de Bolsonaro e a Ata final da COP-26: O que esperar do Brasil?

Home > Notícias > Política > A falta de Bolsonaro e a Ata final da COP-26: O que esperar do Brasil?

Além das falácias, o Brasil passou uma imagem passiva de ceticismo e promessas sem futuro

Há algum tempo a terra vem sofrendo com catástrofes climáticas, como terremotos, furacões, queimadas e entre outras terríveis calamidades. Como já sabemos, 99% dos cientistas assumem que ações do homem degradam a terra. O último relatório publicado pelo IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) aponta que algo precisa ser feito imediatamente para evitar problemas posteriores ainda piores.

Em sua 26ª edição, a Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima de 2021 reuniu líderes em Glasgow, na Escócia. Realizada entre 1 e 12 de novembro, a conferência teve como objetivo o acordo em colaboração e investimentos para as ações climáticas entre países. A meta é que todos os países elevem seus compromissos climáticos tratando-os de forma primordial para atingirem até 1,5° C. Até 2022, tende haver planos prontos para as emissões líquidas de gases do efeito estufa para chegar a 0 até 2050.

Há muitos prós e contras dos próprios líderes sobre os planos para o clima. Na conferência, além dos líderes mundiais, houve participação dos ativistas, como Greta Thunberg e a ativista brasileira indígena Alice Pataxó. Para muitos dos militantes presentes no congresso, muitas das promessas são falácias, como disse Greta “blá blá blá”.

O que mais chamou atenção dos brasileiros, no entanto, foi a participação ou a falta dela, do presidente Jair Bolsonaro. A seguir, saiba o que houve na COP-26 e qual foi o papel do Brasil nessa conferência.

O Brasil na COP-26: Como a ausência de Bolsonaro afeta o país?

Nos Emirados Árabes Unidos, Jair Bolsonaro (sem partido) diz ter sido atacado pela COP-26, e ainda enfatizou que é um local onde se apresentam problemas e os outros que devem resolver. Na retórica do presidente, notou-se grandes falácias, uma vez que o país apresenta grandes desaprovações dos feitos ambientais, criticados veementemente por ambientalistas, desde que Bolsonaro assumiu a presidência, em razão do fato do desmatamento da Amazônia estar cada vez mais acelerado.

Na cúpula do Clima, o País apresentou ata, onde nos comprometemos ao desmatamento ilegal zerado até 2028 e na redução dos gases do efeito estufa até 50% em 2030. Porém a informação chega com desconfianças aos líderes e principalmente aos ativistas. 

No encontro em Glasgow, Jair Bolsonaro não compareceu, o que acarretou em críticas negativas ao presidente. O vice-presidente, Hamilton Mourão, já havia afirmado que Bolsonaro seria apedrejado pela decisão. Mesmo assim, os EUA não veem problema no não comparecimento, mas sim nos fatos que comprovem que as medidas realmente serão cumpridas. 

Antes, Bolsonaro havia afirmado que por estratégia dele e de sua equipe, não compareceria. Em entrevista à TV A Crítica, o presidente diz que é um local que já assumiu compromisso e que já está cumprindo. Porém, como analisa a CNN Brasil, O Sistema de Alerta de Desmatamento do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) monitorou a floresta amazônica e concluiu que em setembro, a área teve perda equivalente a mais de 4 mil campos de futebol.

Nos últimos tempos o Brasil não tem sido grande referência ambiental, tem-se mostrado como um país que deixa a “Deus dará” essa questão. A ausência enfraquece nosso país, que já tem uma imagem mal mencionada por muitos, e acarreta medo nos brasileiros em relação a Amazônia. Atualmente, brasileiros se encontram céticos sobre a COP-26, e alegam que a reunião não resolve muita coisa.

Em coletiva de imprensa, o embaixador do Reino Unido no Brasil, Peter Wilson, disse que a falta do presidente do Brasil, enfraquece a voz do país. “A ausência dele pode enfraquecer a voz do Brasil, que é um dos países mais importantes para as negociações climáticas. O Brasil tem um protagonismo no cenário ambiental há 29 anos, desde a Conferência Rio-92”, lembrou o embaixador.

O fracasso final da COP-26

Com atraso de um dia, a Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima deixou a desejar, o texto final aprovado, divulgado neste sábado (13), mostra que o Brasil apresenta desequilíbrio em entregas de promessas financeiras o dinheiro ajudaria regiões mais afetadas pelas mudanças climáticas.

Outros pontos levados em consideração foram: 

  • A necessidade de redução global das emissões de dióxido de carbono em 45% até 2030.  No apoio financeiro aos pobres houve pouca evolução;
  • Países afetados pelo mau clima, defenderam o financiamento dos EUA, China, União Europeia, Rússia, índia, e Brasil, países que são os maiores responsáveis pelo aquecimento do planeta;
  • Livro de regras do Acordo de Paris: pontos que estavam em aberto foram finalizados, bem como, o artigo 6° referente ao mercado de carbono.

Ativistas elogiam a exigência de que os países apresentem planos para o salvamento climático até 2022. Mas ainda assim, parece estarmos longe do fim uma vez que a ata final apresenta meio-termo e meio-termo para muitos não seria algo objetivo.

No Twitter

A deputada Carla Zambelli falou sobre o Brasil na COP-26.
A deputada Carla Zambelli falou sobre o Brasil na COP-26. | Foto: Reprodução/Twitter.
A ativista Helena Gualinga falou sobre a participação dos jovens na COP-26.
A ativista Helena Gualinga falou sobre a participação dos jovens na COP-26. | Foto: Reprodução/Twitter.
André Trigueiro sobre o resultado da conferência.
André Trigueiro sobre o resultado da conferência. | Foto: Reprodução/Twitter.
Jornalista George Mobiot sobre a COP-26.
Jornalista George Mobiot sobre a COP-26. | Foto: Reprodução/Twitter.
Greta sobre os resultados da  Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima de 2021.
Greta sobre os resultados da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima de 2021. | Foto: Reprodução/Twitter.

__________________________________________________

Por Bianca Rocha – Fala! Anhembi

Tags mais acessadas